João “Sydens” Sydenstricker Fala Sobre a Aposta de Jogar 450 Mil Mãos no Mês

Por: 21/04/2014

O usuário do MaisEV “sydens” é um dos jogadores mais conhecidos da comunidade atualmente, não só por ser um dos maiores grinders do Fórum, mas também por seu estilo descontraído.

Em maio, ele propôs uma aposta em que jogaria o inédito número de 450 mil mãos de cash game em apenas 30 dias, e agora ele fala sobre este desafio e sua carreira como jogador profissional.

 

Fale um pouco da aposta que você fez no Fórum MaisEV. 450 mil mãos é um número bem alto. Por que essa meta?

A aposta das 450 mil mãos foi um desafio que eu fiz com o intuito de superar meus limites. Eu estava fazendo umas 220 mil mãos por mês em média, neste ano, e em março estava meio desanimado, grindando pouco, e com a meta de atingir o SNE (VIP status mais alto do PokerStars). Pra dar uma adiantada no ritmo que eu estipulei pra mim, decidi fazer essa aposta.

Além disso tem o fato de que eu ainda não sou lucrativo na NL200, e pra fazer essa aposta e atingir esse numero de mãos em 30 dias apenas eu seria OBRIGADO a jogar 6 mesas de zoom 6-max (ou dormir 3 horas por noite e grindar mais ainda). Jogando 6 mesas eu seria obrigado a jogar a NL200 (que por sinal eu joguei mais mãos nela que na NL100), o que elevaria o grau de dificuldade da aposta.

Eu não queria fazer nenhuma aposta fácil, com odds de 1:1 ou 1:2. Queria fazer algo que caso eu atingisse, seria extremamente épico. Acredito que eu já tenha capacidade técnica pra bater a NL200, mas ainda sou down devido à tilts, a momentos em que meu jogo ainda estava bem pior, a tiros alucinados, no qual eu estava jogando um pouco nervoso por causa do dinheiro. Mas isso não é desculpa, é a realidade. Eu ainda não sou positivo na NL200, e queria, nessa aposta, provar a mim mesmo que mesmo com o volume insano e com a rotina que é extremamente desgastante, eu poderia chegar lá.

Até acho que essa aposta com odds 1:5-6 as seria mais justa, e se eu lançasse as mesmas odds pra mesma aposta e com meta de 400 mil mãos, eu teria conseguido ação.

Então você propôs odds de 1:4 e 450 mil mãos por causa do maior grau de dificuldade?

Foi porque acho que, apesar de ser um valor um pouco abaixo das odds reais na minha opinião, seria um número que facilitaria o interesse geral, fora que com esse numero de mãos grotesco, mesmo com odds “não atraentes”, o grau de dificuldade está 100% explícito pra qualquer pessoa com o mínimo conhecimento de grind.

As 450 mil mãos sim , foram pelo grau de dificuldade, pro desafio ser épico e testar meus limites.

No fim das contas você apenas procurou algo que somente uma parcela muito pequena de jogadores conseguiria? E o dinheiro não era um motivo relevante?

Ah, a grana interessava mas não era o principal. O principal é como o (Guilherme) Cheveau falou em um tópico de aposta de outro usuário agora há pouco, eu queria fazer uma aposta que raros conseguiriam ganhar. Ser conhecido como o campeão da aposta das 450 mil mãos. Mas esse dia ainda vai chegar.

Fazer 450 mil mãos sendo positivo na NL100 também seria tão difícil quanto, não?

Se fosse só NL100 seria BEM mais fácil. (Se eu pudesse jogar 6 mesas zoom de nl100, o que o PokerStars não permite). Mas o volume, de qualquer jeito, é uma insanidade. Para uma próxima tentativa eu teria que fazer um planejamento um pouco melhor. Tenho que fazer esse desafio tendo acesso a 2 internets (a minha conexão estava meio ruim, e caiu acredito que pelo menos por duas noites por mais de 6 horas cada; é complicado de fazer esse numero de mãos, grindar +10hs/dia tendo que programar o horário de sono ao horário que a internet cai).

As odds seriam o fator que menos determinaria minha chance, pois eu fiz essa aposta com um estímulo pessoal, sem pensar na grana. É óbvio que a grana esta inclusa, mas com certeza se as odds fossem 1:100 ou 1:1 eu teria tido um desempenho similar. Lógico que seria bem mais saboroso ganhar com odds de 100:1, mas não menos prazeroso ganhar com odds de 1:1. Tentei achar as odds mais justas, e abaixei um pouco pro tópico bombar e fechar a aposta rapidamente.

Como era sua rotina antes e depois da aposta, o que você precisou mudar?

Minha rotina basicamente é jogar poker. Eu amo o jogo, gosto muito mesmo, inclusive tenho interesse de aprender modalidades variadas, totalmente distintas como 6-max hyper, Omaha, MTT, cash games, etc. Sei que a especialização é importante, mas grindar só uma parada por muito tempo é muito entediante. Além disso, um período em um outro jogo às vezes te evolui no antigo apenas pela experiência em novos jogos e estratégias, abrir a mente para coisas novas.

Mas a rotina em si não foi muito modificada. Basicamente eu acordo, como (pouco, risos), tomo banho (às vezes, risos) e grindo. No final do dia escovo os dentes (quando não durmo no PC) e vou dormir. Como qualquer pessoa normal (risos).

Durante a aposta foi isso também, porém com menos momentos de “joguinhos no PC”, de ler o BBV e outros tópicos. Outra coisa engraçada foi que quando acabou a aposta (eu abandonei por ver que tinha se tornado inviável, sem contar um problema de saúde familiar que eu tive durante a aposta e que me deixou bem abalado) eu liguei a TV, depois de um tempão sem o hábito, e vi que o BBB já tinha acabado e eu nem fazia ideia de quem tinha ido pra final. Essa aposta foi praticamente um confinamento , porem ao invés de ouvir “poesias bialescas” eu ouvi “incentivos, e questionamentos MaisEVers”

Um dos pontos que fez você perder a motivação com o aposta foi a má sorte. Estar próximo de recuperar o prejuízo mas ser “prejudicado pelo baralho” fez você perder a motivação?

No começo, nem tanto. A cada bad que tomava eu pensava “ainda tem muita mão pra essa parada ajustar”. Cheguei a estar com prejuízo de $10.5 mil, com EV em -$10.5 mil e recuperei todo o EV, e uns $8 mil do prejuízo. O que me desmotivou bastante foi ver que além de negativo, eu estava atrasado, o ritmo de 15 mil mãos por dia já tinha aumentado um pouco, e além disso minha mãe estava hospitalizada. Eu tinha que visitar ela e, mesmo que meu mental não estivesse abalado ao ponto de não dar pra jogar, deu uma notável piorada com esse fato.

Quando vi que tinha se tornado algo que eu tinha quase certeza que não iria mais vencer, somado aos problemas pessoais, a runnada no pano, a runnada de cair conexão … daí sim, a motivação de concluir acabou. Deixar todo mundo pensando que é “impossível” e no 2º semestre eu provo ao contrario.

Você já fez alguma outra aposta antes? Se sim, qual foi a aposta e o resultado?

Tentei fazer a “aposta da caixa” (leia aqui sobre a bizarra aposta) que consistia em ficar vivo dentro de uma caixa de 1x1x1.5m durante um período de 7-10 dias, tendo direito a 2 horas de luz por dia, não podendo sair pra comer ou pra ir no banheiro, com alguém pra auxiliar e tirar uma sacola com dejetos e trazer alimentos em horários pré-estabelecidos. Essa aposta não foi pra frente, mas até hoje eu estaria disposto a fazê-la, porém as odds deram uma atrapalhada nesse desafio (risos).

Além dessa, que é bem memorável, já fiz um zilhão de apostas, mas coisas do dia a dia, que eu nem lembro agora. Teve uma que eu perdi no fórum pois achei que algum usuário, não lembro qual, iria entender pelo meu MODO DE ESCREVER que eu estava imitando o Cléber Machado. TODOS os outros usuários falaram que entenderam isso, mas o usuário que eu apostei, não. Não lembro quem foi o desatento.

A vida é feita de apostas, desde o saco escrotal, até o último suspiro.

Em comparação com a aposta de 450 mil mãos, é muito mais difícil a aposta da caixa?

Eu, sinceramente, entendo o que muitos falaram, que nessa da caixa só sai se tiver muita grana, que qualquer um com necessidade de dinheiro ficaria. Mas não sei se é bem assim. Em 1º lugar, eu não sou forrado. Atualmente vivo de uma maneira pouco mais confortável do que ontem, mas longe de US$ 10 mil serem algo que eu desprezaria. Tentaria tudo para ganhar a aposta. E não SÓ pelos US$ 10 mil, mas para impor limites.  A aposta da caixa é algo que eu não tenho panorama pra comparar, porém, tem algumas coisas que as pessoas não levaram em consideração quando falaram que ela seria beeem mais fácil. O fator de não ter luz, o fator de ter que fazer necessidades dentro de uma caixa onde se DORME E COME. Enfim… a dificuldade é realmente menor, mas a TOLERÂNCIA é muito maior.

Já jogar 10 horas de poker por dia eu acredito que muitos façam sem aposta. Ficar numa “prisão” já é outra historia. Viver 10 dias em condições sub-humanas, por stream, para qualquer pessoa ver…(a aposta seria filmada e transmitida ao vivo pela internet), mas não consigo comparar o grau de dificuldade.

A chance de desistir é 0%. Enlouquecer é viável. Ficar extremamente mal acho é 100%!

Você parece ser bem disciplinado em realizar as coisas. Já fez algo muito difícil antes, como passar em um vestibular muito concorrido ou coisa do tipo?

Vestibular, não. Inclusive, sou formado em gastronomia por não ter conseguido passar via ENEM pra direito na PUC-RJ.

Acho que todo mundo já realizou coisas difíceis. Mas todas as coisas difíceis pra uns são fáceis pra outros. Com certeza tem cara que passa em 1º lugar num vestibular de medicina de faculdade pública que achou muito mais fácil e comum a tarefa do que alguém que passou em último dos classificados para educação física em faculdade particular. O ser humano é muito particular, cada um tem suas vontades/tendências/facilidades/estímulos. Não lembro de nada muito difícil que fiz. Mas sou bem determinado nas minhas ideias.

Você jogava torneios antes. Por que mudou para o cash game quando muita gente está fazendo o contrário?

Porque é entediante TODOS os dias (de trabalho) ter que acordar e ficar preso. No cash eu posso jogar 12 horas num dia, mas se DO NADA me der vontade de comer um galeto, ou de ir em uma lanchonete, eu fecho as mesas e vou na hora.

Não vou abandonar os torneios, inclusive esse ano estava sendo decente neles, cheguei a estar $7.5 mil positivo, agora estou uns $5.2 mil negativo (segundo o SharkScope). No SharkScope também contam os tiros que dei nos sit and go 6-max hyper turbo (acho que fiquei $1 mil e pouco negativo nesse ano).

Mas quando for jogar MTTs, pretendo jogar mais da maneira como eu “jogava antigamente”. Eu jogava um buy-in médio menor, mas com mais volume. Agora jogo só os torneios que estou a fim, os mais pesadinhos. Não sou vencedor em torneios high stakes, então devo me por no meu lugar e jogar “de baixo pra cima”. É claro que vou jogar uns torneios caros eventualmente, mas o foco tem que ser em ser campeão, ficar positivo.

Além da rotina mais flexível do cash game, eu também posso contar com um rakeback mensal que, no caso de eu estar breakeven, tenho um “salário” decente se colocar bastante volume. Fora o fato de que desde que eu entrei pro PokerStars SEMPRE QUIS SER SUPERNOVA ELITE. Já sonhei muito com isso e esse ano vai se tornar realidade se tudo continuar indo ok .

Acredito que dentre as coisas mais difíceis que eu já realizei, de determinação e tal, estará o SNE no fim do ano, se tudo der certo.

E como está sua meta para o SuperNova Elite?

Minha meta é fazer 100.000 VPPs por mês, pra poder ter “2 meses de férias” (nos quais eu pretendo fazer um planejamento melhor para o ano que vem, e quem sabe viajar uns dias)

No momento estou com 330 mil VPPs, o que dá 33% da meta. Esse mês estou um pouquinho atrasado, afinal, depois do desafio, eu diminui o ritmo, joguei MTTs alguns dias e joguei um pouco de 6-max hyper pra estudar. Mas, como estou em um período de downswing, resolvi parar de novo e me focar somente no cash. Esse ano ainda quero parar para estudar os 6-max hyper, e caso eu consiga bater os de $60-$100 tentar um SNE mais “ousado” ano que vem.

Devo fechar esse mês com 400.000VPP, por mais que tenha apenas 16 dias pra fazer 70 mil.

A saúde da sua mãe foi um dos principais motivos para você desistir da aposta. Como ela está agora?

Ela está bem, já voltou pra casa. Mas não tem como estar com a cabeça boa quando tem algum familiar próximo internado, especialmente em um CTI-UTI. Sei que toda internação é complicada, mas algumas são mais estáveis que outras, e dão menos angustia.

Ela sabe que você joga? Sabia da aposta? O que seus familiares pensam do jogo?

Sim, todos sabem que eu jogo. Ela sabia da aposta, mas não entrei em detalhes com ela. Mas ela sabia que eu estava fazendo um “desafio profissional com alto grau de dificuldade”. Não sabia de valores, ou de condições especificas. Meus familiares não gostam muito do jogo, mas hoje em dia respeitam.

No começo foi bem complicado, até porque eu tomei a decisão, abandonei o trabalho formal, e caí de cabeça nessa jornada de uma hora pra outra, muito abruptamente, seguindo sinais que os deuses do poker me deram.

Como você conheceu o poker?

Conheci jogando com amigos o 5 card draw. Tinha 12 anos na época, jogava com feijões e ficava super contente quando ganhava um “frutilly” no game.

E como começou a jogar com dinheiro real? Jogou freerolls?

Nunca grindei freeroll não, nem os shastas e play money. Joguei a partir de SNG, de $1, acredito eu … Não cheguei a ficar muito down, segundo meu gráfico, o máximo que eu fiquei down foi uns US$ 670. Teve o cash também que eu já tinha brincado, mas o meu máximo down deve ter sido por volta de mil dólares.

Gostaria de deixar um recado para a galera do MaisEV?

A mensagem que eu quero deixar é “SEMPRE QUE VEREM O SYDENS NA MESA, NÃO SE ESQUEÇAM DE VOMITAR SUAS FICHAS PARA ELE.”

 

Confira os livros e softwares de poker da Loja MaisEV e prepare-se para ser um campeão!

Historiador por formação, conheceu o MaisEV em sua primeira semana de vida, ainda em 2007. Em pouco tempo, tornou-se editor-chefe do site para fazer o que faz de melhor: escrever.

Veja mais:

Salas de Poker