Jogador Ganhou US$ 62.500 em Aposta de Confinamento em Banheiro Escuro, Conheça os Detalhes

Por: 17/01/2019

Desafiante fez acordo com confinado após perceber bom estado mental do jogador depois de 20 dias encarcerado. Saiba mais sobre a aposta.

rich alati aposta banheiro 450Há quase dois meses revelamos uma aposta incomum, onde um jogador de poker teria que permanecer trinta dias trancado em um banheiro, com alguns acessórios, mas sem luz, e que valia US$ 100 mil. Agora, o resultado e detalhes da side bet foram revelados.

A aposta envolveu os profissionais Rich Alati e Rory Young, e teve origem dia 10 de setembro, quando Rory e Rich jogavam poker e começaram a discutir efeitos de isolamento. Depois de provocar Rich sobre o valor que ele aceitaria para ficar isolado durante 30 dias, fecharam a aposta em US$ 100.000. Caso Rich desistisse, também teria que pagar US$ 100.000 a Young.

O setup foi preparado: um banheiro com banheira, pia, um tapete de yoga, colchão, banda de resistência (acessório para pilates), bola de massagem e óleos essenciais para a banheira, além de outros materiais de higiene como pasta e escova de dentes. Entre as dificuldades, o banheiro receberia isolamento acústico, ficaria sem luz, os espelhos seriam cobertos para evitar reflexos e as refeições seriam entregues por um restaurante local, sem interação humana e em intervalos irregulares para evitar o controle de tempo por Rich. Young e outros acompanhariam a saga através de um streaming específico, e a porta ficaria vedada, mas aberta, permitindo Rich abandonar o desafio a qualquer momento. O pai de Rich também poderia intervir caso reconhecesse algum perigo no estado mental do filho. Dia 21 de novembro, o desafio teve início.

Três ou quatro dias depois, Rich começou a alucinar e enxergar bolhas brancas flutuando pela sala. Sem entrar em desespero, a saída foi mudar o estado mental. “Me imaginei em uma nuvem mágica, aconchegante e relaxada. Abraçar as visões era fundamental. Ou então você pode ficar com um pouco de medo”.

Sua rotina incluía acordar, escovar os dentes, encher a banheira com óleos e sais, tomar banho e depois pentear os cabelos e fazer o resto de sua higience corporal. Vestir-se, comer, fazer Yoga, meditar e exercícios físicos. Tudo isso no completo escuro. “Tenho uma boa memória e memorizei bem o lugar das coisas antes de iniciar o desafio”, afirmou.

Depois de perceber que teria que realizar as mesmas tarefas por trinta dias, Rich começou a focar em como poderia fazer as coisas simples de modo melhor. “Pensei: como posso me limpar melhor? Como posso escovar melhor meus dentes, me manter mais calmo, ser mais paciente?”

Mas apesar de pequenos e rápidos momentos negativos, Rich mostrou-sem bem, a ponto de deixar os espectadores entediados. “Não é como se ele começasse a fazer algo diferente de uma hora pra outra”, resumiu o desafiante Young sobre a rotina de Rich.

Já com 10 dias de isolamento, Rich mostrava-se bem, para surpresa de Young que, sem conhecê-lo por muito tempo, duvidava da sua capacidade de concentração e meditação. “Ele fala muito e muito rápido e sua personalidade não parece a de alguém proficiente em meditação”.

Já no dia 15, Young previu que perderia a aposta e pressionou Rich. Disse, através de um intercomunicador, que ele poderia sair e teria que pagá-lo “apenas” US$ 50.000. Rich riu da oferta e mandou tipo um “fica tranks que eu tô de boas aqui”. Dias depois, Young ofereceu US$ 25.000 para Rich sair. Depois de uma hora, o confinado negou a oferta. Com 20 dias de desafio, surgiu a nova oferta de US$ 40.000, que ganhou o raise de US$ 75.000 de Rich, e eles acabaram fechando um acordo com Young tendo que pagar ao herói confinado US$ 62.500.

VIDA PÓS ISOLAMENTO e LIÇÕES

Assim que o acordo foi fechado, Rich muniu-se de óculos para eclipse, a fim de proteger os olhos da luminosidade, e abriu a porta. Cercado por família e amigos, Rich estranhou tanto barulho e comoção. Ao receber um telefone para falar com a irmã, ficou mirando o aparelho até se dar conta do que era e de como funcionava.

“Sabia como fazer tudo, mas tive um branco de algumas coisas. Tive que compreender que não posso começar a fazer apoios na banheira na frente das pessoas, nem andar por aí sem roupa. Foi um choque cultural no início”.

Sobre o isolamento, explicou que a grande dificuldade são os pensamentos negativos que surgem muito rapidamente e sem avisos.

“Acontece muito rápido. Vai de pensamentos positivos para você começar a se questionar ‘mas e se isso, e se aquilo acontecer?’. Os pensamentos apenas chegam até você e, se você não se certificar de que eles vão em uma boa direção, eles podem ficar fora de controle e levá-lo a um lugar ruim”.

Feliz com o resultado, ele disse que aprendeu a valorizar coisas simples que damos por garantidas como mesas, cadeiras, lâmpadas, ou simplesmente curtir a vida. “Se você olhar o mundo com uma perspectiva diferente e apenas vê-lo, isso é algo. Isso é realmente algo.”.

Rich espera que sua história sirva de positivo para os outros sobre a superação de desafios em um mundo de más notícias, e Young também se mostrou contente com a aposta, mesmo perdendo US$ 62.500. “Eu acho que é uma boa história quando duas pessoas querem testar se podem realizar algo. Elas fazem isso em um ambiente justo e podem trabalhar juntas, e mesmo que um de nós tenha perdido uma boa quantia de dinheiro, nós nos sentimos ótimos sobre isto”.

Aqui o artigo completo do The Guardin sobre a aposta.

 

Curta a página do MaisEV no Facebook e siga-nos no Twitter

 

VEJA OS MELHORES LIVROS DE ESTRATÉGIA DE POKER.

Alex Faccini

Alex Faccini

Conheceu o poker em 2006 através da ESPN, em uma mesa que contava com Sam Farha e Phil Ivey. Se apaixonou pelo jogo e pela malandragem de Farha, o único jogador com sangue HUE BR. Passou pelas faculdades de Direito e Publicidade, sem concluir nem uma, nem outra. Apaixonado por cinema, música, literatura e outras artes mais, aprendeu a jogar sinuca em botecos com tiozinhos tomando cachaça, e tem a certeza que vivemos em uma Matrix. Sempre se esquece de encher as formas de gelo.

Veja mais:

Salas de Poker