Entrevista Com o Jogador de Cash Games Marlon “sphinmx” Wilhelms

Por: 30/06/2014

Apesar de relativamente desconhecido, Marlon “sphinmx” ou “sphinter” como é chamado no Fórum MaisEV, Wilhelms é um dos grandes jogadores brasileiros de cash game, frequentemente se destacando com resultados sólidos mês após mês.

Aqui ele conta como foi trajetória no poker, sua opinião sobre o estado dos jogos e até assuntos polêmicos como cash games versus torneios. Confira abaixo!

 

Onde você mora?

Em Floripa, numa poker house desde ano passado.

Quem são os outros jogadores?

Atualmente o ratito (Rafael Eltz), caju (Carlos Zago) e o Patrick, antes tinha o chev (Guilherme Cheveau) e o liprett.

Como surgiu a ideia da poker house?

Eu sempre tive vontade de vir morar aqui no litoral de SC. Mas vir morar sozinho realmente não era um plano, ai acabava por descartar a ideia. Até que quando tava acabando minha faculdade em Toledo e eu não achava um outro apê nos moldes que eu queria por lá tive a ideia de montar uma pokerhouse, nos moldes que o Roqueiro (Leonardo Soares), Razios, Piv (Felipe Boyanovski), Nuc-leo e o Coldbryan fizeram no ano anterior

Lancei a ideia no MaisEV, e surpreendentemente teve bastante gente interessada, fomos conversando por meses até que deu certo.

Vocês só moram juntos pra dividir os custos ou também jogam e estudam poker juntos?

Um pouco dos dois, mais pra dividir os custos na real. A gente acaba discutindo bastante sobre poker, mãos, estratégia no dia-a-dia, mas o enfoque mesmo está em compartilhar a rotina solitária que é o jogador de poker aproveitando a qualidade de vida que Floripa proporciona.

Você falou de faculdade. O que cursou?

Cursei administração na PUC-Toledo

Como o poker entrou na sua vida?

Quando menor, eu costumava jogar muito Age of Empires 2 na internet, por isso participava de um fórum de RTS games. Lá tinha uma galera que mais tarde começou a migrar para o poker, e comecei a acompanhar.

O Roqueiro e o Norson (Norson “BrazilianEye Saho) eram os dois que mais se destacaram, pelo que me lembro. Quando acompanhei o Norson cravando vários torneios eu fiquei impressionado que dava pra ganhar essas quantias de dinheiro na internet, então fui pesquisar

E como se tornou profissional?

Comecei a jogar em meados de junho 2009, cash NL 2 com aqueles bankrolls “grátis” de 50 dólares, aos poucos, lendo artigos por todos os lados.

No fim de 2009 larguei meu estágio pra me dedicar ao poker, comecei um acordo de coach e a partir daí não parei de grindar e estudar/fazer aulas.

No inicio foi complicado, afinal eu tava dando um tiro no escuro, nem sabia se ia dar certo, nem contei a ninguém que estava fazendo isto, mas sempre tive certeza de que quando eu queria algo ia até o fim. Se os outros conseguiam, o que me impedia?

Como foi sua trajetória até os limites caros de cash game?

Foi uma ascensão dura pelos stakes, grindei mais de 100, 200 mil mãos pelo menos pra passar por cada um. No entanto ao fim 2010 eu estava dando tiros NL200 e NL 400.

Em 2011 eu tive meus melhores meses seguidos dos piores, e passei pela pior “downswing” da minha vida. Perdi muito jogando caro e a seguir continuei jogando na iPoker, com um software que costumo chamar de “rigged”, nunca apanhei tanto da variância como jogando lá.

Fiquei mais de 150 buy-ins abaixo do EV. Depois desta fase terrível, quase no meio de 2012, aconselhado por amigos, voltei ao PokerStars pra testar o zoom, e desde então o jogo fluiu, não me lembro de ter tido meses down quando joguei ao menos 50 mil mãos.

Gráfico cash game sphinter

Gráfico com resultados de maio

Sua família aceitou sem problemas ou você teve dificuldade em convencê-los?

Eu fiquei uns 4 a 5 meses me dedicando sem contar que estava com esse plano em mente. Minha mãe achava que eu estava “vagabundeando” e direto vinha com ideias de eu fazer concursos públicos etc., isso enquanto fazendo a faculdade.

Quando comecei a realmente ter condição de me sustentar (já tinha um bankroll decente) é que falei o que estava fazendo. E aí mostrando que estava realmente ganhando dinheiro com isto não tive maiores dificuldades não. Meus pais sempre foram bem compreensivos em geral.

Que limites você joga atualmente?

Jogo NL200 e NL500 zoom no PokerStars. Aos poucos estou atirando na NL 1000

Também atira em torneios?

Não sou fã. Nunca gostei muito de torneio. A ideia de ficar preso ao jogo por várias horas não me apetece. Mas pretendo jogar mais daqui pra frente

Também não joga eventos ao vivo?

Tenho pouca experiência, já joguei alguns, dei tiro em Punta no ano passado no milionário (2500 buy-in), mas em geral, não.

E por que você prefere os cash games?

Me dá a liberdade de sentar a hora que quero e sair a hora que quero. Especialmente zoom, que permite abrir mesas instantâneas. Poder moldar seus horários de acordo com sua preferência é algo impagável.

Cash também é um jogo com menor variância, se comparado a torneios por exemplo. É raro ter um mês negativo quando você tem um bom edge sobre os outros, enquanto que torneios podem lhe conceder meses de downswing com maior frequência, a despeito do “glamour” da cravada.

Você falou desse “glamour” que praticamente não existe pros jogadores de cash game. Isso te incomoda, a atenção de todos voltada pra jogadores de torneios?

Não tanto. Em certo ponto. Eu acredito que a maioria dos jogadores recreacionais prefiram jogar torneios. É mais emocionante ter a ideia de poder ganhar um monte a partir de pouco, e isto é algo que o cash dificilmente vai lhe proporcionar. Então acho natural os torneios e os jogadores dele serem mais vistos, mais apreciados. Me incomoda apenas quando se vê que quase ninguém conhece os bons jogadores de cash. Mas em parte é culpa (ou escolha) nossa.

Por quê?

Por não fazer nenhum tipo de marketing pessoal, como o pessoal de torneio faz quando crava algum. Mas na verdade o glamour que me referi era mais na questão de ganhar centenas de buy-ins de uma vez só, coisa que nunca vai acontecer no cash. Mas gostei que levantou essa questão do reconhecimento.

Pra muitos jogadores profissionais, reconhecimento significa em um contrato de patrocínio. Isso é algo que você ou seus companheiros aí, todos jogadores de cash game, buscam?

Eu nunca vi um cenário onde isso pudesse acontecer na verdade. Sempre achei o poker algo bem individual. Mas com a popularidade do poker em ascensão, escolas e times, bem como o grande trabalho do Akkari no Brasil e ele comentando em patrocínios, é algo que atualmente está me fazendo pensar daqui pra frente. Mas não vejo isso ocorrendo com facilidade, ainda. Portanto neste momento não é algo que realmente estamos em busca.

Falando ainda em cash x torneios, muitos jogadores de cash migraram pros torneios. Acha que a dificuldade crescente dos jogos causou isso? Como percebe a transformação do field nesses anos que você joga?

Com certeza. Vi muitos grandes jogadores da época “resvalando” com o field endurecendo. Eu realmente não senti grandes diferenças porque já comecei numa época perto da Black Friday, quando os jogos se tornaram difíceis, ou talvez porque sempre me pus a estudar as tendências e ranges do field e não fiquei pra trás. Mesmo assim, lembro o quão pior eu era comparado a hoje para jogar quase os mesmos jogos.

O cash evoluiu muito, e com isso vários jogadores que não acompanharam essa evolução ou não estavam dispostos a colocar o volume necessário pra variância se diluir foram para os torneios.

Pra quem está começando hoje, o que você indicaria jogar?

Eu sou suspeito né, indicaria o cash, pela “qualidade de vida” que proporciona. Mas pela minha experiência, novos jogadores dificilmente conseguem chegar longe no cash, e se dão melhor jogando torneios.

E o Omaha, você também joga?

Jogo se por diversão. Sei as regras, e só. Totalmente perdido com ranges e equitys em omaha.

Quais são seus planos pro futuro?

Pretendo jogar poker pelos próximos 2 ou 3 anos pelo menos. Ainda tem bastante espaço pra conquistar. E ainda tenho aquela vontade de grindar, de procurar brechas pra explorar melhor meus adversários, me tornar um jogador melhor. Depois eu avalio melhor se continuo ou resolvo investir por fora. Tenho meu diploma e confio na minha capacidade de entrar a fundo em qualquer coisa que resolver fazer. Não gosto de pensar muito longe, afinal muitas coisas mudam em médio prazo.

E seus planos no poker?

Quero dar tempo ao tempo, continuar grindando NL 500 e conforme minha confiança e bankroll vão subindo vou atirando em stakes maiores.

Esses dias quase dei tiro na NL 5000 com um jogador recreacional sentado, mas tava com restrição e eu não lembrava. Pretendo jogar 1000/2000 mais tarde. Mas farei isso com muita paciência.

Psicológico é algo crucial para um jogador de poker, e enquanto você se sentir pressionado pelas perdas ou pelos valores ou até mesmo a dúvida de que você é lucrativo no longo prazo atirar de forma imprudente pode ser muito nocivo, afinal já vivi o lado negativo disso antes.

 

A Loja MaisEV tem os melhores livros para você aprender a dominar os cash games online e ao vivo!

Historiador por formação, conheceu o MaisEV em sua primeira semana de vida, ainda em 2007. Em pouco tempo, tornou-se editor-chefe do site para fazer o que faz de melhor: escrever.

Veja mais:

Salas de Poker