Entrevista – Barry Greenstein

Por: 27/11/2010

Danilo Telles: Por que você decidiu doar seus ganhos de torneios para caridade?

Barry Greenstein: Eu tinha condições para isso e parecia ser a coisa certa a fazer.

Danilo Telles: Você acha que serviu como exemplo para outros jogadores fazerem o mesmo?

Barry Greenstein: Eu espero que sim.

Danilo Telles: Você ainda sente prazer em jogar ou joga apenas pelo dinheiro?

Barry Greenstein: Eu jogo pelo dinheiro, mas ainda sinto algum prazer em competir e vencer.

Danilo Telles: Você já foi programador da Symantec (empresa responsável por softwares como Norton Anti-Virus). O que a vida corporativa te ensinou e que foi útil no poker?

Barry Greenstein: Foi nessa época que eu aprendi minha ética de trabalho. Se você quer ter sucesso em qualquer coisa, precisa planejar e trabalhar pesado.

Danilo Telles: Para você, qual é a importância da matemática no poker?

Barry Greenstein: Não muita em termos de quantidade, mas ela sempre estará no plano de fundo explicando o que aconteceu.

Danilo Telles: E como você dividiria as habilidades necessárias para um jogador de poker?

Barry Greenstein: Ter um bom pensamento lógico e ser “durão”, são habilidades importantes.

Danilo Telles: Falando em habilidades, qual você considera ser sua melhor habilidade no poker?

Barry Greenstein: Eu acho que sou mentalmente muito forte.

Danilo Telles: O que você pensa sobre o crescimento  do poker nos últimos anos?

Barry Greenstein: Acho que esse crescimento levou o poker para um novo nível de respeitabilidade.

Danilo Telles: Além do efeito Moneymaker, o que você acha que causou o boom do poker?

Barry Greenstein: O poker online e os programas de poker na televisão com as holecards.

Danilo Telles: Você teve algum “a-ha moment, ” um momento de inspiração que mudou sua atitude no poker ou na vida?

Barry Greenstein: Na verdade não. Eu já jogo poker há muito tempo.

Danilo Telles: E como você estudou estratégia de poker? Como você aprendeu? Foi tudo instintivo?

Barry Greenstein: Eu aprendi observando outros bons jogadores e pensando sobre o jogo.

Danilo Telles: Você acha que o Omaha irá substituir o No-Limit Hold’em assim como este substituiu o Limit Hold’em? Por que?

Barry Greenstein: Não realmente.  LHE e NLH sempre serão populares por causa de sua simplicidade.

Danilo Telles: Qual é sua opinião sobre os jogadores da internet?

Barry Greenstein: Há muito mais jogadores, então há muito mais jogadores bons.

Danilo Telles: Contra quem você considera mais difícil de jogar? Os jogadores antigos ou essa nova geração de jogadores?

Barry Greenstein: Há tantos bons jogadores jovens que é impossível conhecer as tendências de todos eles.

Danilo Telles: E sobre estes jogadores que jogam nos nosebleeds online?

Barry Greenstein: É claro que existe a variância, mas todos que alcançaram os jogos mais altos são jogadores habilidosos.

Danilo Telles: O que você pensa sobre a introdução de antes nos cash games online?

Barry Greenstein: Gosto de antes em cash games, porque sem eles o jogo fica muito tight.

Danilo Telles: Quem você considera como os melhores jogadores de torneios? E cash games?

Barry Greenstein: Em torneios, eu escolheria Sorel Mizzi, Isaac Baron e Amit Makija. Mas em cash games não sei dizer.

Danilo Telles: E quem você acha que é o melhor jogador de todos os tempos?

Barry Greenstein: É difícil comparar épocas diferentes. O poker muda através dos tempos e acho que Phil Ivey é o melhor atualmente.

Danilo Telles: O que pode nos contar sobre sua primeira vez no big game?

Barry Greenstein: Eu venci e foi uma surpresa agradável saber que eu era claramente o favorito.

Danilo Telles: Qual é sua opinião sobre os jogadores brasileiros?

Barry Greenstein: Eu conheço os representantes brasileiros do PokerStars e todos são jogadores competentes.

Danilo Telles: Teve algum momento interessante em sua carreira envolvendo jogadores brasileiros?

Barry Greenstein: Essa você vai ter que perguntar pra Maridu!

Danilo Telles: E você tem planos de vir ao Brasil?

Barry Greenstein: Pretendo visitar o Brasil quando não tiver conflitos com outros compromissos.

Danilo Telles: Em seu livro, você falou sobre ter ensinado poker para Mimi Tran, e falou também que em algum momento da sua carreira, você perdeu tudo e precisou pedir dinheiro emprestado para ela. Como foi a experiência de estar quebrado e depois voltar a ser um milionário?

Barry Greenstein: Isso me ensinou que o gerenciamento de bankroll é uma parte crucial para ser um jogador de sucesso.

Historiador por formação, conheceu o MaisEV em sua primeira semana de vida, ainda em 2007. Em pouco tempo, tornou-se editor-chefe do site para fazer o que faz de melhor: escrever.

Veja mais:

Salas de Poker