Carlos Zago e os High Stakes de Limit Hold’em

Por: 07/09/2012

No começo do ano passado nós fizemos uma primeira entrevista, onde você falou sobre o começo da sua carreira. O que mudou no seu jogo desde então?

Hoje em dia eu estou mais confiante. Sempre mantive a filosofia de jogar em jogos que eu acho que tenho edge. Obviamente, posso me enganar de vez em quando e acabar em partidas onde sou o underdog, mas acontece. Inclusive isso é bastante confundido e interpretado como bumhunting. Table selection e bumhunt são coisas diferentes. Eu não tenho problema algum de jogar contra um regular que eu ache que tenho edge.

Além disso, estou jogando mais caro hoje do que na época, e também tento jogar mais mãos por mês, devido ao isolamento de alguns países, o que diminui a action. O dia que os espanhóis saíram, foi um dia muito triste.

Um fato curioso é que joguei quase 10 mil mãos contra um bot no PartyPoker. Eu era um dos únicos que dava action pra ele lá. Tenho quase certeza que era um bot. Vários jogadores se mobilizaram, e esse jogador não joga há duas semanas, sendo que jogava todos os dias. O estilo dele era muito estranho, mas eu sentia que podia bater ele. Possivelmente um caso onde eu poderia estar enganado. De qualquer maneira, fiquei levemente up contra o possível bot.

Estou mais controlado também, e os swings financeiros me incomodam ainda menos. Claro que ainda incomodam, mas dá pra levar tranquilo.

Você falou sobre o dia que os espanhóis saíram. Como o fechamento dos mercados e a Black Friday afetaram o field de Limit?

Da mesma maneira que afetou os outros fields, mas como o nosso field é reduzido, toda saída é um desastre. Os espanhóis que eu enfrentava eram muito ruins, muito ruins mesmo, mas em geral é isso, perdi “clientes”.

E quais stakes está jogando agora?

10/$20 até 100/200 euros, o que se seria tipo $125/$250.

Recentemente, você estabeleceu uma meta de se fixar no 100/200 e até mesmo ultrapassar, certo?

Sim, penso em ultrapassar. O grande problema é que os sites estão cortando os high stakes. O PartyPoker removeu as mesas high stakes, na Merge não existe mais high stakes também, o PokerStars não tem HU acima de 10/20, e a action é bem escassa, desde o dia que recomecei a jogar 100/200, não joguei mais de 3 mil mãos.

Então tem que pesar bem se vale a pena manter bankroll pra jogar os stakes ainda mais caros, mas no mínimo 100/200 vou manter sim.

Pretende ficar no mínimo no 100/200, ou não é possível pelo field?

Se o field e as empresas ajudarem pretendo ultrapassar esses limites, mas minhas perspectivas não são muito boas. Acredito que as salas queiram preservar os jogadores a todo custo.

Você estabeleceu algum plano, metas para isso?

Simplesmente meu plano segue o mesmo: jogar sempre que estiver disposto, em jogos que tenho edge.

Mas estou cuidando mais da alimentação, fazendo exercícios físicos, bebendo menos. Isso ajuda muito, os pequenos detalhes fazem muita diferença, e muita gente não nota isso.

É difícil estabelecer metas de mãos em heads up, por que eu dependo da action que recebo. Quem joga MTT ou cash games 6max/fr só senta no PC e começa a jogar.

E você está jogando exclusivamente heads up?

Sim, exclusivamente HU, é o formato que mais me atrai. Também tenho jogado outras modalidades, sempre HU, como 2-7 triple draw.

HU me atrai bastante, é mais legal, focar em só uma pessoa e tentar descobrir como ela pensa, e isso acontece mais rápido num HU.

Também pretende se aprofundar nessas outras modalidades?

Ainda estou aprendendo o jogo, os regulares estão me destruindo. Por enquanto pretendo focar em FLHE HU, que é o jogo que tá me dando um ótimo retorno.

Quando eu misturei cash games e MTT, meu rendimento caiu, simplesmente não sou muito bom multi tabling, ainda mais jogos diferentes.

Quantas mesas você joga?

Ao mesmo tempo consigo jogar 3 quando estou 100% descansado etc, mas mesmo assim o rendimento caiu.

Limit Holdem HU é um jogo muito, muito rápido. Pra jogar o A game tem que ser uma mesa mesmo.

E quantas horas você joga? Como é sua rotina?

Minha rotina ideal é acordar, banho café, jogar, academia, almoço, jogar. Às vezes vou correr na academia, e daí acaba.

Tento ficar no mínimo dos mínimos 8 horas por dia “jogando”, mas normalmente é mais tempo.

Como ficou a queda do field, jogando uma mesa só? Acabou sendo forçado a enfrentar mais regulares por isso?

Eu sempre joguei uma mesa só, ou duas ou três, depende da action que eu recebo. Devo manter umas 50 mesas abertas ao mesmo tempo, espalhadas em várias salas esperando action.

Mas esse ano comecei a caçar os regulares que eu considero mais fracos ou do mesmo nível que eu.

Na última entrevista você também disse que nunca ficou um mês com prejuízo. Esse recorde continua?

[Risos] não, infelizmente não. Tive 6 meses down, de fevereiro 2011 até hoje. Na maioria joguei muito pouco, menos de 10 mil mãos.

E você estava preparado psicologicamente para isso?

Acredito que sim, eu tento encarar poker como deve ser encarado, por mais difícil que seja: um investimento de longo prazo.

Vale do mesmo jeito pros meses down do que pros meses up. Não dou muita bola pra um mês que fiquei ridiculamente up, por que sei que é fruto da variância.

Aliás, esse é um ponto que eu acho engraçado. Tem muita gente que fala dos efeitos das downsings mas esquecem das upswings, que também podem gerar efeitos negativos como menos grind e excesso de confiança.

O longo prazo é bem longo, então tem que manter os pés no chão e tentar trabalhar cada vez melhor.

Eu quero fechar 200 mil mãos esse ano, no mínimo, esse é meu objetivo, o que vier, veio.

200 mil mãos de 100/200?

Não, entre 10/20 e 100/200. Se rolar umas 20 mil mãos de 100/200, estou feliz. O que é muito pouco com certeza, mas já é algo.

Se fossem 200 mil mãos de 100/200 não seria nada mal 😀

E como é a action nos highstakes? Há algum jogador conhecido que te dá que te dá muito trabalho?

Os jogadores de limit não são muito conhecidos no geral, mais entre a comunidade mesmo. Esse possível bot me dava muito trabalho.

Os regulares praticamente não se enfrentam em Limit HU, se for comparar com PLO, por exemplo. Limit HU é um jogo bem mais simples que Omaha, logo, as pessoas cometem mais erros.

Nunca joguei PLO a sério, mas acredito que existam mais espaços pra erros.

Em relação a isso, como é a evolução do Limit? É como sit and go’s, em que dizem que já é um jogo “resolvido”?

Não tá resolvido ainda, mas acredito que as estratégias básicas sejam as mesmas. Claro que jogando contra certos jogadores, alguns ajustes são necessários e é nesses ajustes que o dinheiro é feito.

Você já deu tiros acima de 100/200?

Não, sou muito controlado em relação ao bankroll, nunca joguei fora do bankroll. Eu procuro jogar com um bankroll que apenas uma bad run muito forte me forçasse a fazer o move down.

Minha maior downswing foi de aproximadamente 400BBs, e eu jogo com um bankroll bem acima disso, bem seguro.

 

Foto: Carlos Monti/PokerStars

Historiador por formação, conheceu o MaisEV em sua primeira semana de vida, ainda em 2007. Em pouco tempo, tornou-se editor-chefe do site para fazer o que faz de melhor: escrever.

Veja mais:

Salas de Poker