VÍDEO: Com J-7, Matt Berkey Força Fold de A-A em Belo Blefe no Million Dollar Cash Game, Assista

Por: 20/12/2018

Confira a explicação de Matt Berkey sobre a linha adotada em caro blefe.

O Million Dollar Cash Game, organizado pelo Live at The Bike!, foi palco de uma bela aula de metagame na última edição do programa.

Com blinds $100/$200 big blind ante $200, o deep cash game contou com jogadores com stacks próximos de US$ 100.000, e gerou alguns grande potes, em especial a mão jogada por Matt Berkey contra Nick.

No UTG+1, Matt aumenta para US$ 800, com J7, e Nick 3-beta, no botão, com AA, para US$ 2.000. O stack efetivo é o de Matt, que aplica o call e tem US$ 62.200 pra trás, estando coberto por Nick.

No flop 998, Matt aplica um check-raise na aposta de Nick de US$ 1.600 para US$ 6.500. O turn é um 6 e Matt aposta US$ 10.000 no pote de US$ 17.500. O resto da mão você confere no vídeo abaixo, e mais abaixo a transcrição da explicação de Matt sobre a mão, com o vídeo com a linha completa, em inglês.

“Sei que o range de 3-bet dele tende a representar valor e ele não se arrisca muito com mãos fracas. Em uma dinâmica normal eu tenho um fold claro, mas há duas coisas a meu favor nessa situação: a 3-bet dele é pequena e ele joga contra o meu range desconhecido, enquanto o dele, para mim, é mais visível. Nesse aspecto, minhas cartas importam pouco.

O flop faz com que eu tenha que tornar a minha mão um blefe em múltiplas streets. A relação stack/pot é incrivelmente deep e tenho desconfiança de que Nick irá colocar US$ 70 mil no pote com apenas um par. Como meu range é aberto, eu facilmente posso ter o 9. Se a ação no flop é check-check, eu vou perder esse pote, que vai acabar sendo relativamente pequeno. Mas se ele aposta, e é o que ele faz, eu posso polarizar meu range e fazê-lo decidir se eu tenho um 9 ou não.

Ele continua a pagar e o river é um K. Consigo eliminar que ele tenha um A-K, a não ser um AK, e essa carta é boa para quem tem K-K, mas também reduz as combinações de K-K que ele possa vir a ter. Também é uma boa carta para mim quando ele tem Q-Q, J-J e 10-10. Embora pareça uma boa carta para Nick e que eu deva desistir, para ele, quando eu ainda shovo nessa carta, eu devo ter o 9 e não tenho medo do K.

Não acho que ele errou na mão, a não ser a c-bet no flop. Vai ser difícil pra ele extrair três streets de qualquer valor que eu venha a ter. Ainda que eu esteja blefando muito em comparação aos outros, e ele pudesse pagar com o par de ás, é uma decisão muito difícil. São US$ 45 mil, mais de 200 big blinds em apenas uma street e não é comum pagar com apenas um par.

Achei a mão fascinante, um belo spot para eu usar essa linha, ainda que eu não tivesse a melhor mão. Fiquei feliz dele ter desistido”.

 

 

Curta a página do MaisEV no Facebook e siga-nos no Twitter.

 

VEJA AQUI OS MELHORES LIVROS DE ESTRATÉGIA PARA TORNEIOS.

Alex Faccini

Alex Faccini

Conheceu o poker em 2006 através da ESPN, em uma mesa que contava com Sam Farha e Phil Ivey. Se apaixonou pelo jogo e pela malandragem de Farha, o único jogador com sangue HUE BR. Passou pelas faculdades de Direito e Publicidade, sem concluir nem uma, nem outra. Apaixonado por cinema, música, literatura e outras artes mais, aprendeu a jogar sinuca em botecos com tiozinhos tomando cachaça, e tem a certeza que vivemos em uma Matrix. Sempre se esquece de encher as formas de gelo.

Salas de Poker