Clique Aqui "Efeito Probabilidade" - Nem sempre o +Ev é o certo...

Lista de Usuários Marcados

Resultados 1 a 7 de 7
Like Tree18Likes
  • 5 Post By Airton_Neto
  • 5 Post By Andre Castro
  • 6 Post By Stolf
  • 1 Post By oaeoz
  • 1 Post By goldslash

Tópico: "Efeito Probabilidade" - Nem sempre o +Ev é o certo...

  1. #1
    World Class Avatar de Airton_Neto
    Data de Ingresso
    06/04/11
    Posts
    6.140

    "Efeito Probabilidade" - Nem sempre o +Ev é o certo...

    Ápós discutir um deal -ev que fiz em um pote de 400 bbs no live, um amigo meu, que é físico, me enviou esse texto. (nesse deal eu minimizei muito a chance de perder, porém abdiquei, conscientemente, de uns 15% de equidade no ev total)

    Queria compartilhar com vocês:



    Segundo a Teoria Econômica mais tradicional, você – ou qualquer outra pessoa – é alguma coisa bem parecida com o ser humano, num n e g ó c i o b a t i z a d o d e h o m o economicus. Esse bicho é capaz de fazer cálculos matemáticos perfeitos, consegue contemplar o futuro de maneira consistente, acessa, processa e analisa informações sob possibilidades infinitas.


    Em ambientes de incerteza, mais especificamente sobre o apreçamento dos ativos financeiros, consegue atribuir preço adequado e probabilidade a cada cenário possível. Ou seja, o preço de um ativo hoje refletiria, com perfeição, uma média ponderada pela probabilidade de todos os eventos possíveis no futuro, trazidos a valor presente por uma taxa de desconto apropriada.


    Você se acha parecido com isso?


    Não que isso seja bom ou ruim, mas o fato é que a hipótese do homo economicus não encontra aderência com a realidade. Um brinde às nossas limitações! A perfeita racionalidade da Teoria Econômica tradicional pode facilitar bastante as coisas para a realização de cálculos matemáticos e diferenciais, satisfazendo um pouco o anseio da ciência jovem de afastar-se das ciências sociais e, pretensamente, aproximar-se da Física e da Hard Science em real. O economista é um physic envy, um invejoso da Física. Busca a mesma formalidade das ciências naturais para fingir neutralidade do pesquisador e completo rigor do conhecimento. Na prática, porém, as coisas são bastante diferentes. Temos capacidade limitada de acesso, coleta e processamento de informações. Mais do que isso, somos, em várias situações, máquinas programadas para cometer erros, naquilo que Daniel Kahneman batizou de vieses cognitivos.


    Quando falamos da atribuição de probabilidades de ocorrência, então, os erros de cálculo são simplesmente avassaladores. Com os estudos de Kahneman e de seu amigo Amos Tversky formalizados principalmente na Teoria Prospectiva, ficou claro como os seres humanos não levam adequadamente as probabilidades de ocorrência ao preço dos ativos. Em tese, se fôssemos perfeitamente racionais, cada aumento de probabilidade de ocorrência deveria ser levado, proporcionalmente, ao preço dos ativos. Se um evento passa de 0% a 10% de chance de acontecer, isso deveria ter o mesmo efeito de quando passasse de 10% para 20%, certo? Analogamente, se ele passa de 80% para 90% de probabilidade de ocorrência, haveria de ter impacto idêntico à eventual mudança de 90% para 100%. Kahneman e Tversky observaram, porém, que, na prática, não funciona assim. A atribuição de probabilidades, diferentemente do que supõe a Teoria Econômica neoclássica, não ocorre de forma intelectual e proporcional. Ao contrário, há um efeito muito maior nos extremos, ao se passar de 0% a 5%, e de 95% a 100%, naquilo que os estudiosos chamaram, respectivamente, de “efeito possibilidade” e “efeito certeza”.


    Explico um pouco melhor. Para isso, faço uso de situação exposta pelo próprio Daniel Kahneman. Imagine que suas chances de receber US$ 1 milhão melhoraram em 5%. As notícias são igualmente boas em cada um dos casos abaixo?


    A. Ao passar de 0% para 5%.
    B. Ao passar de 5% para 10%.
    C. Ao passar de 60% para 65%.
    D. Ao passar de 95% para 100%.


    De acordo com a Teoria Econômica clássica, você ficaria igualmente feliz em cada um dos casos. Sua utilidade (proxy para felicidade ou bem-estar) aumentaria rigorosamente a mesma coisa em cada incremento de 5% da utilidade de receber um milhão de dólares. Mas, francamente, essa previsão da teoria clássica está de acordo com a real sensação que você teria em cada uma das situações? Parece um tanto natural imaginar que o sentimento de se passar de nenhuma chance (0%) para alguma chance (5%) é mais impressionante do que se passar de 5% para 10%. Analogamente, a concreta certeza (passar de 95% para 100%) também sugere uma sensação mais intensa do que o simples incremento gradual de 5% ao longo do processo.


    No primeiro caso, cria-se uma possibilidade que não havia antes, uma esperança de conquistar o prêmio. Aqui, ocorre não apenas uma mudança quantitativa (de que subimos 5%). Há, também, uma transformação qualitativa, ligada a essa nova possibilidade, anteriormente não contemplada. Conforme diz Kahneman, “a mudança de 5% para 10% dobra a probabilidade de vencer, mas há um consenso geral de que o valor psicológico da perspectiva não dobra. O grande impacto de 0% a 5% ilustra o efeito possibilidade, o que faz com que resultados altamente improváveis sejam pesados desproporcionalmente mais do que merecem. Pessoas que compram bilhetes de loteria aos montes mostram-se dispostas a pagar muito mais do que o valor esperado por chances muito pequenas de conquistar um grande prêmio”.


    De forma parecida, a melhoria de 95% para 100% é outra mudança que transcende o escopo quantitativo estrito. Aqui há uma questão qualitativa em jogo. Passamos de uma mera possibilidade para algo concreto, naquilo que foi chamado de efeito certeza. Resultados que são quase certos recebem menos peso do que a probabilidade deles justifica – assim, ao caminharmos para a total certeza, há um ajuste brutal. Kahneman ilustra o caso como um exemplo anedótico.


    Diz assim: “Imagine que você herdou um milhão de dólares, mas sua cunhada gananciosa contestou o testamento no tribunal. A decisão é esperada para amanhã. Seu advogado lhe assegura que você está bem embasado legalmente e sua chance de vitória é de 95%. Obviamente, ele toma o cuidado de lembrá-lo que decisões judiciais nunca são perfeitamente previsíveis. Então, você é procurado por uma empresa de ajuste de risco, que se oferece para comprar seu caso por 910 mil dólares na hora – é pegar ou largar. A oferta é mais baixa (em 40 mil dólares) do que o valor esperado se você aguardar o julgamento (ou seja, 950 mil dólares), mas você tem certeza absoluta de que iria querer rejeitá-la?” 3 A conclusão dos estudos é contundente: os pesos de decisão que as pessoas atribuem a resultados não são idênticos às probabilidades desses resultados, contrariamente ao princípio da expectativa descrito pela Teoria Econômica tradicional. Resultados improváveis recebem peso excessivo – isso é o efeito possibilidade. Resultados que são quase certos recebem peso insuficiente em relação à certeza existente.
    AVISO: TÓPICO ANTIGO
    Atenção: Este é um tópico criado há mais de 90 dias. Caso não tenha respostas recentes, tenha certeza de que sua resposta é conveniente e útil o suficiente para reativar esta discussão, do contrário você poderá ser advertido/suspenso.
    santiago, TURCI, maier and 2 others like this.
    Registre-se ou faça login para ver assinaturas.

  2. #2
    Expert Avatar de Andre Castro
    Data de Ingresso
    15/06/09
    Posts
    4.600
    O texto é até interessante, exceto pelo último parágrafo que IMHO fala bobagem.
    No caso descrito no último parágrafo, o acordo de 910 mil dólares é bom porque tira o seu risco e te garante um grande ganho, isso não tem nada a ver com o efeito psicológico que o texto descreve, que passar de 0% pra 5% é mais gostoso e incentivador do que passar de 5% pra 10%.

    Pro sujeito, não vale a pena correr o risco de 5% de perder os 910 mil pra ter uma chance de 95% de ganhar 90 mil, porque a perda de utilidade de perder tudo é muito maior proporcionalmente do que o ganho de utilidade de passar de 910 mil pra 1 milhão. Isso está exatamente de acordo com a teoria econômica tradicional mainstream, que é baseada no valor utilidade, a teoria econômica tradicional não propõe que 50% de chance de ganhar 800 milhões e 50% de não ganhar nada tem a mesma utilidade que ter 100% de chance de ganhar 40 milhões.

    Essas críticas a teoria econômica tradicional querer se aproximar das ciências exatas é muito comum e faz sentido em alguma medida, realmente as pessoas não são estritamente racionais e não tem o comportamento tão previsível. Por outro lado, esses cálculos matemáticos são muito bons pra fazer modelagens e prever partes do comportamento humano, e os resultados são muito bons, acho que quando os economistas usam derivadas pra calcular a taxa de substituição do consumidor entre dois produtos, nenhum deve realmente acreditar que o tiozão que vai no supermercado tá fazendo cálculos avançados pra descobrir se vai comprar o pote de margarina ou o molho de tomate, é mais uma modelagem imprecisa pra estudar o comportamento econômico.
    Registre-se ou faça login para ver assinaturas.

  3. #3
    Table Captain
    Data de Ingresso
    10/01/14
    Posts
    861
    ICM da vida real
    Registre-se ou faça login para ver assinaturas.

  4. #4
    World Class Avatar de Stolf
    Data de Ingresso
    29/11/09
    Localização
    Norte de Santa Catarina
    Posts
    9.634
    http://www.maisev.com/forum/off-topi...elicidade.html

    Lembram desse tópico? Era 1kk garantido ou flipar 100kk. E mesmo com essas odds muita gente prefere o 1kk no bolso.
    Registre-se ou faça login para ver assinaturas.

  5. #5
    Chip Leader Avatar de oaeoz
    Data de Ingresso
    09/03/10
    Localização
    Curitiba
    Posts
    1.592
    Citação Postado originalmente por Stolf Ver Post
    http://www.maisev.com/forum/off-topi...elicidade.html

    Lembram desse tópico? Era 1kk garantido ou flipar 100kk. E mesmo com essas odds muita gente prefere o 1kk no bolso.
    1kk é muito pouco, até eu que sou o maior quebrado ia pro gamble. Mas creio q se a decisão fosse 10kk ou flip por 100kk, a imensa maioria ficava com os 10kk sem pensar muito.
    goldslash likes this.
    Registre-se ou faça login para ver assinaturas.

  6. #6
    Expert
    Data de Ingresso
    19/09/13
    Localização
    Rio Grande do Sul
    Posts
    3.675
    E o contrário também é válido, hehehe, se fosse 100k ou 10kk, maioria iria pro flip =]
    Ortega likes this.
    Registre-se ou faça login para ver assinaturas.

  7. #7
    Table Captain
    Data de Ingresso
    13/02/10
    Posts
    758
    E o ideal q tu fez pra ver se é válido. Se tem por exemplo 10k no pote. Eu to na frente e o parceiro fala pra ir direto e salvar 20% do pote eu aceito,mesmo preferindo 3 boards. Se tem 1k, eu falo pra bater 3 turn e river ,rivers ou ir direto. De jeito nenhum tiro 20% do pote. Porque esse 1k na verdade vira 600 e eu perco dinheiro com isso. Já se eu tiver pra trás, adoraria o parceiro propor salvar 20%.

    Enviado de meu XT1022 usando Tapatalk
    Registre-se ou faça login para ver assinaturas.

Permissões de postagem

  • Você não pode iniciar novos tópicos
  • Você não pode enviar respostas
  • Você não pode enviar anexos
  • Você não pode editar suas mensagens
  •  
© 2007-2019 · MaisEV · Todos os direitos reservados