Tom Hall Revela Segredos do Grande Cash Game de Macau

Por: 18/03/2014

Milhões mudam de mãos nas mesas de poker de Macau, e Tom Hall conta um pouco da intimidade das partidas.

É o jogo de poker mais caro da galáxia. E não importa o quanto você tente, só poderá participar ser for convidado. Isso tudo ajuda a tornar os jogos no Poker King Club (foto abaixo) alvo da curiosidade de jogadores ao redor do globo.

Em uma entrevista ao site PokerNews Tom Hall, frequentador dos jogos conhecido por Hong Kong Tom, esmiuçou um pouco o que ocorre na misteriosa sala chinesa de poker e revelou detalhes interessantes dos jogos, que embora ocorram há mais de três anos ainda é cercado de mistérios.

O jogo oficial é o No-Limit Hold’em. Embora haja ocasiões em que surja uma partida de Omaha, o número de jogadores é bem menor, assim como os stakes. No NLH os blinds variam de US$ 4 mil/US$ 8 mil a US$ 12.5 mil/US$ 25 mil. Em uma notícia recente, uma rara foto foi divulgada em que o stack na mesa se aproximava de US$ 20 milhões.

Saiba Mais: Cash Game em Macau Tem Pote de US$ 5 Milhões

Poker King ClubDesde o início do jogo, ele chuta que entre 100 a 150 jogadores já participaram ao menos uma vez das mesas. O time de regulares é composto por 10 a 20 jogadores, e três ou quatro figurões aparecem sempre quando estão em Macau. Entre os locais, promotores VIP’s de outros cassinos de Macau costumam jogar de vez em quando.

A entrada no jogo é difícil. Amadores e jogadores inexperientes tem mais chance quando há algum torneio high roller em algum lugar do planeta que chame a atenção de regulares do jogo. Fora desse período, a lista de espera pode ser demorada e depende de algum contato. Profissionais só são aceitos se apresentados por algum regular ou pelo organizador dos jogos, Winfred Yu. Homens de negócio em passagem por Macau geralmente são facilmente aceitos.

A mesa conta com nove jogadores – raramente dez – devido aos stacks ocuparem boa parte do espaço. Apenas um ou dois profissionais jogam ao mesmo tempo.

A dinâmica do jogo admite particularidades. Uma das mais surpreendentes talvez seja o fato de iniciantes milionários requisitarem ver as mãos dos profissionais quando estes os obrigam a foldar para uma grande aposta no turn ou no river. Só o iniciante vê as cartas do profissional e não exerce nenhum tipo de comentário. Porém, a questão é tratada com bom humor pelos profissionais. Antigamente, afirma Tom, toda mão vencedora deveria ser mostrada. Isso ajudou os iniciantes a aprender mais rápido e a afastar receios com conluio.

Outro diferencial é o fato do jogo contar com um “seguro” em potes muito altos, o que torna o jogo mais lento, mas ajuda a diminuir a variância, além de manter o ambiente amigável caso ocorra um suckout em um pote gigante.

Os jogadores usam o tempo que quiserem para agir. Quase nunca ocorre de alguém “chamar o relógio”. Slowrolling também não é mal Poker King Club2visto, e Tom Hall conta uma história em que um jogador pensou muito tempo ao ser colocado em all-in, levantou-se, foi ao banheiro, e só depois de todo esse tempo pagou a aposta com nuts.

Tom Hall ainda afirmou que os jogos parecem não ter limites. Blinds US$ 12.5 mil/US$ 25 mil acontecem com mais frequência, e uma vez ou outra ocorre um jogo sem blinds, com ante de US$ 12.5 mil.

Não há casos de jogadores que não são bem-vindos, mas Tom Hall diz que jogadores nits, que ficam quietos, dificilmente serão aceitos novamente.

Em relação à duração, as sessões costumam passar de 30 horas de jogo, com breves pausas para comer, dormir, ou assistir um jogo de futebol. O maior vencedor em uma única sessão faturou quase US$ 13 milhões. Quem? Tom não diz.

 

 

 

 

Se os amadores de Macau lessem The Royal Book: Os Segredos dos High Stakes, do moderador do MaisEV Ivan “Royal Salute” Santana, eles se sairiam bem melhor ao enfrentar os profissionais.


Veja mais:

Salas de Poker