Connor Drinan Comenta Bad Beat de US$ 1 Milhão

Por: 12/08/2014

Vítima da maior bad beat da história do poker, Connor Drinan mostrou maturidade ao falar sobre a jogada.

É comum ouvir histórias de jogadores que quebram mouses, teclados e até monitores ao perder uma mão favorita no river. Em torneios ao vivo, Phil Hellmuth e Mike Matusow são dois expoentes de estilos que não convivem bem com derrotas.

Quando o AA de Connor Drinan perdeu para o AA de Cary Katz no The Big One For One Drop, evento da WSOP com buy-in de US$ 1 milhão, seria compreensível se víssemos Connor amaldiçoar o baralho, o oponente, o dealer, a organização, ou o que quer que fosse. Porém, vimos um jogador que, apesar de jovem, demonstrou uma tranquilidade de fazer inveja a monges budistas.

Em entrevista exclusiva ao site americano da revista CardPlayer, Connor comentou sobre a fatídica mão, sua história no poker, e como foi capaz de encarar com tanta calma a jogada. A entrevista concedida a Brian Pempus pode ser conferida aqui, na íntegra, em inglês. Abaixo reproduzimos algumas passagens.

Sobre a atenção da mídia com a bad beatConnor Drinan

“Tem sentido quando as pessoas se referem à mão como a pior bad beat da história do poker, já que se trata de par de ás contra par de ás em um torneio de US$ 1 milhão. Dadas as circunstâncias de como cheguei ao evento, através de um satélite, e como já havia vendido ação sobre e obtido um lucro, não senti como a pior bad beat da história como deveria”.

Qual porcentagem era sua

“Decidi guardar 10% pra mim, mas já havia vendido e trocado muita ação para jogar o satélite de US$ 25 mil”.

Sobre como encarou a bad beat

“Eu já me senti abençoado em participar do evento, de modo que não teria como sentir pena de mim mesmo. Esperava que ficasse mal mais tarde, mas nunca fiquei. Acho que a habilidade de lidar com a variância vem de anos de experiência. Poker, e principalmente torneios de poker, podem te deixar entorpecido de fortes emoções, tanto boas quanto ruins. Porém, chega uma hora que você já levou tanta pancada, seja em torneios de US$ 100 ou de US$ 1 milhão, que você já nem sente e segue em frente. Só fico chateado comigo mesmo quando realizo jogadas erradas e foco em coisas que não estão sobre o meu controle”.

Como iniciou no poker

calvin anderson7“No início do ensino médio já participava de home games. Aí tive que fazer duas cirurgias no joelho e conheci o poker online durante essa folga.  Com 15 anos jogava muitos freerolls e acumulei US$ 50, já que minha mãe não me deixava depositar. Corria atrás de bônus e cheguei a ter um bankroll de US$ 3.000. Passei a jogar sit and go, de US$ 22, e logo já jogava os de US$ 200-500. Um dos regulares me falou dos torneios, que eu deveria arriscar por ser um dos melhores da modalidade, e em uma semana tive três forras acima de US$ 20.000. Até que chegou a Black Friday e decidi me concentrar na faculdade. Depois que me formei decidi voltar ao poker online, e consegui um stake com o Calvin cal42688 Anderson (ao lado), devido a reputação que eu tinha naqueles tempos”.

Sobre a sensação de jogar um torneio tão caro

“Foi bem louco jogar algo em que o buy-in era maior do que qualquer coisa que já ganhei. O maior torneio que eu jogo toda semana paga apenas 1/5 do valor da inscrição”.

Se ter participado de um torneio tão caro pode fazer ele perder o foco de torneios online de US$ 100

“Quando se é um jogador profissional tem que se encarar o jogo como um negócio. Se eu jogasse somente torneios caros eu poderia falir, facilmente. Além do mais, é muito bom freerollar algo grande partindo de baixos investimentos. Uma hora um big hit acontece”.

Sobre as declarações de Daniel Colman, que acabou vencendo o torneio

“Não discordo, mas não concordo também. O que ele disse não soa verdadeiro para amadores que tratam o jogo como entretenimento e que podem perder tais somas, e nem para profissionais que não se tornam degenerados. Mas aposto que muitos amadores e profissionais prefeririam nunca ter conhecido o poker”.

Saiba Mais: Daniel Colman Faz Declaração Polêmica Após Vitória no Big One, Negreanu Responde

 

Connor Drinan tem mais de US$ 1 milhão em ganhos em torneios ao vivo, e online joga com o screen name Blanconegro, onde soma mais de US$ 3.5 milhões em conquistas.

 

Curta o MaisEV no Facebook e siga-nos no Twitter.

 

(Fotos: Neil Stoddart / PokerNews)

 

Os melhores livros de poker estão disponíveis na Loja MaisEV.


Veja mais:

Salas de Poker