Fedor Holz tem sessão precisa e fatura mais de US$ 100 mil no duelo contra Wiktor Malinowski

Por: 11/03/2021

Fedor Holz tem oito buy-ins de vantagem e Wiktor Malinowski precisa de um verdadeiro milagre para vencer o desafio.

Fedor Holz

Há um gif clássico que mostra cachorros latindo um para o outro, cheios de raiva, separados por um portão mas que, quando este abre, os dois esquecem o ódio e ficam quietos e amigáveis, e assim pode ser descrito, de certa forma, o duelo entre Fedor Holz e Wiktor Malinowski.

O que prometia se mostrar um jogo técnico e cheio de falinhas e provocações deu lugar a um ambiente ameno e cordial, talvez pela surra que o polonês – o grande provocador – está tomando.

A terceira sessão do duelo, ocorrida ontem (10), terminou mais uma vez com a vitória do alemão. Mas não foi uma vitória qualquer, o que obriga Wiktor Malinowski a realizar um verdadeiro milagre para vencer o desafio.

Fedor Holz terminou a disputa com um saldo positivo de US$ 108.195, mais de cinco buy-ins na conta, em pouco mais de 400 mãos. Agora, o “CrownUpGuy” soma US$ 160.266 de lucro total no desafio.

A dificílima missão de Wiktor Malinowski o obriga a apresentar um ganho estratosférico de US$ 400 (2 big blinds) por mão. Além de colocar toda a sua técnica à prova, o jovem polonês ainda tem que contar com uma excelente corrida de cartas e um Fedor Holz ousado a jogar grandes potes, já que ele pode, simplesmente, adotar uma postura mais conservadora para garantir a vitória no desafio.

A quarta e última sessão do challenge acontece no sábado, 13, e o duelo final será transmitido pelos canais do GGPoker.

VEJA TAMBÉM: Doug Polk coloca desafio entre Holz e Malinowski em suspeição, entenda os argumentos

Para comprar ou vender créditos de poker, sem burocracia e com segurança. Acesse a ROYALpag.com. Receba em 5 minutos.

Alex Faccini

Alex Faccini

Conheceu o poker em 2006 através da ESPN, em uma mesa que contava com Sam Farha e Phil Ivey. Se apaixonou pelo jogo e pela malandragem de Farha, o único jogador com sangue HUE BR. Passou pelas faculdades de Direito e Publicidade, sem concluir nem uma, nem outra. Apaixonado por cinema, música, literatura e outras artes mais, aprendeu a jogar sinuca em botecos com tiozinhos tomando cachaça, e tem a certeza que vivemos em uma Matrix. Sempre se esquece de encher as formas de gelo.

Salas de Poker