Grupo Bernard Tapie Admite Que Não Comprará o Full Tilt

Por: 24/04/2012

Segue abaixo a tradução completa do comunicado:

“O Groupe Bernard Tapie sente em anunciar que, após sete meses de trabalho intensivo, nossos esforços para obter a aprovação final do Departamento de Justiça dos EUA (DOJ) para adquirir os fundos do Full Tilt chegaram a um fim sem sucesso. O acordo falhou por duas razões principais.

As partes não chegaram a um acordo em um plano pagar os jogadores do resto do mundo.

O GBT propôs um plano que resultaria em uma restauração imediata dos fundos nas contas dos jogadores do resto do mundo, que teriam direito de sacar estes fundos em partes, baseado no tamanho do saldo do jogador e as atividades desse jogador no site após o relançamento. Todos os jogadores teriam permissão para sacar completamente os fundos de suas contas, independente se jogaram ou não no site, até uma certa data, e 94.9% dos jogadores do resto do mundo seriam pagos no primeiro dia. O DOJ insistiu em um pagamento total dentro de 90 dias para todos os jogadores – uma exigência surpreendente feita na última hora, depois de meses de negociações de boa fé com o GBT.

As complicações legais deste acordo – especificamente, questões sobre a legalidade da compra sob leis não-americanas – também não foram resolvidas.

Todos os bens-chave das empresas do FTP estão fora dos EUA. Uma corte de fora dos EUA poderia declarar a compra como uma “transação fraudulenta” e declará-la inválida ou nomear o comprador dos fundos como responsável por todas as obrigações de dívida. Dado o preço de compra de US$ 80 milhões, e a quantidade substancial de dinheiro necessária para relançar o Full Tilt, essas questões se provaram muito difíceis de resolver.

O GBT está muito consciente das esperanças que criou – entre os funcionários do FTP, que acreditavam que manteriam seus empregos, entre os jogadores, que acreditavam que recuperariam seus fundos, e entre toda a comunidade do poker, que acreditou que a melhor plataforma de poker do mundo seria relançada e traria um elemento de competição necessário para um mercado mundial que hoje é dominado por um único operador. O GBT não pode aceitar o fim dessas esperanças.

Por esse motivo, a menos que uma solução viável e concreta seja encontrada nos próximos dias para salvar os empregos e pagar os jogadores do FTP, teremos que continuar com nossos próprios negócios.

Entendemos, através da imprensa, que o DOJ possa ter feito um acordo com o PokerStars para que este possa comprar os bens do FTP. Caso seja verdade, só podemos assumir que o PokerStars aceitou esses riscos financeiros e legais para resolver sua própria situação com o DOJ. Se a aquisição do FTP pelo PokerStars significa que todos os jogadores do FTP serão pagos completamente, estamos muito felizes por esses jogadores, já que o total pagamento sempre foi nossa prioridade.

Só nos arrependemos de que tal acordo significaria a consolidação de um mercado de poker já dominado por um único operador – um resultado que pode levantar questões antitruste e que, no longo prazo, provavelmente não é bom para os jogadores e para a indústria do poker online.”

Historiador por formação, conheceu o MaisEV em sua primeira semana de vida, ainda em 2007. Em pouco tempo, tornou-se editor-chefe do site para fazer o que faz de melhor: escrever.

Veja mais:

Salas de Poker