Escândalo das Supercontas em Rede Nacional Estadunidense

Por: 03/12/2008

60 MinutosO assunto já foi amplamente discutida em nosso fórum há alguns meses. De acordo com a chamada do programa, o 60 Minutes e o jornal The Washington Post trabalharam juntos em uma investigação que durou 4 meses, sobre as alegações de jogadores que diziam ter havido fraude. Veja o preview do programa, de título “The Cheaters”.

Na última metade de 2007, a suspeita foi confirmada após um jogador requisitar o histórico de mãos de um torneio e ter recebido as mãos de todo o torneio. Ao analisar o histórico, foi verificado que um certo indivíduo tomou as decisões corretas para todas as mãos que jogou, o que seria
estatisticamente improvável.

O site Absolute Poker admitiu, sob pressão de um pequeno grupo de jogadores, que o usuário que usava os nicknames ‘Greycat’, ‘Steamroller’ e ‘Supercard’ podia ver as cartas de todos os seus oponentes. Todd Witteles, que foi uma das vítimas do golpe, disse que “ele (Graycat) aumentava com mãos realmente muito ruins contra mãos muito boas. Ele parecia jogar como um louco. Parecia que ele estava doando todo seu dinheiro. O que era mais estranho era que ele não perdia. Ele jogava com um estilo que era certo de perder, mas estava ‘destruindo’ o jogo dia após dia.”

Em janeiro de 2008, o Kahnawake Gaming Commission, órgão regulamentador no território canadense de Kahnawake, que mantém as licenças de inúmeros sites de jogos on-line, entre eles Absolute e UltimateBet Poker, confirmou que um funcionário quebrou a segurança do sistema e jogou de forma indevida durante seis semanas.

Algumas semanas depois foi a vez do site UltimateBet, “irmão” do Absolute Poker. Foi descoberto que, em stakes mais altos que o caso anterior, mais de 20 milhões de dólares foram ganhos através de fraude, durante 4 anos.

No caso do UltimateBet, a Kahnawake Gaming Commission descobriu que o vencedor do Main Event da WSOP de 1994, Russel Hamilton, era o principal responsável pelos incidentes.

Os jogadores estadunidenses temem as conseqüências negativas que o programa pode ter, fazendo com que o público veja com maus olhos o poker online. Para eles, há a possibilidade dos espectadores não enxergarem a diferença entre os jogadores desonestos e os honestos.

Para Alfonse D’Amato, ex-senador americano do estado de Nova York e presidente da Poker Players Alliance (PPA), os escândalos mostram que o poker online precisa de regulamentação por parte dos EUA, ao invés da proibição, para proteger os jogadores. Segundo ele, a regulamentação dá segurança aos usuários. Infelizmente, o AbsolutePoker e o UltimateBet operam em um shopping em Costa Rica e têm seus servidores em uma reserva indígena próxima a Montreal. Mesmo que o jogo online seja proibido nos EUA e no Canadá, as leis de ambos os países não têm jurisdição sobre a reserva.

Na última quinta-feira, os dois sites se juntaram na plataforma Cereus, que já reúne todos os jogadores dos sites. O porta-voz do Absolute Poker informou que a prioridade foi desenvolver uma plataforma com sistema de segurança próximo à perfeição, para que os erros do passado não voltem a acontecer.

Historiador por formação, conheceu o MaisEV em sua primeira semana de vida, ainda em 2007. Em pouco tempo, tornou-se editor-chefe do site para fazer o que faz de melhor: escrever.

Veja mais:

Salas de Poker