Conhecendo os Finalistas da WSOP: Sylvain Loosli

Por: 01/11/2013

Seguimos a série que conta a história dos finalistas do Main Event da WSOP com o sexto colocado em fichas (19,6 milhões), Sylvain Loosli.

Se você olhar os prêmios obtidos por Sylvain Loosli em torneios até a definição dos 9 finalistas do Main Event (meros US$ 3 mil), pode parecer que se trata de um francês que, de repente, tem a oportunidade da vida ao disputar os mais de 8 milhões destinados ao vencedor principal torneio de poker do mundo. Mas não é o caso.

Nascido em Toulon, França, há 26 anos, Loosli é um especialista em high stakes cash games, acostumado a jogar No-Limit Hold’em blinds $25/$50 na sala Winamax francesa, com o screenname “Loosli”.

Ele é apenas o terceiro francês a chegar à mesa final do Main Event ao longo de 42 anos, o que tornou o uma celebridade em seu país: “A maioria dos jogadores franceses me conhece. É engraçado ser alvo dessa fama repentina” explica ele, que foi alvo de olhares de praticamente todos os presentes quando adentrou o Casino Barrière d’Enghien-les-Bains, sede da WSOP Europa, disputada no início de outubro passado. Dias antes, Sylvain Loosli concedeu uma entrevista a um programa de TV do Canal +, popular rede televisiva em língua francesa: “Foi uma boa oportunidade de falar sobre Las Vegas, meus resultados, e divertido poder atingir milhões de pessoas. Recebi inúmeras propostas de várias salas de poker francesas, e me dei conta que meu papel é me tornar um embaixador do poker”.

Sylvain Loosli é patrocinado pela Winamax, que pegou carona em seu sucesso e sylvainloolançou promoções que levam jogadores a Las Vegas para torcer pelo compatriota na mesa final. “Haverá uma torcida bem grande, no mínimo 60 pessoas. É um tipo de orgulho nacional, se você é francês e está perto da mesa final, todos os franceses torcerão por você, é uma sensação ótima. Ano passado torci muito por Gaëlle Baunmann (francesa, bolha da mesa final do Main Event na ocasião). Esse ano, toda vez que eu ganhava um pote, a torcida gritava e fazia festa”, comenta Sylvain Loosli, que sabe que a torcida é importante ao sentir na pele a força do rail brasileiro “No dia 6, havia um brasileiro na mesa (Bruno Kawauti, 15º lugar), e o pessoal ficava torcendo e gritando toda hora. Não me incomoda, mas desafia você a manter seu nível de concentração durante 10 horas”.

A carreira de Sylvain Loosli começou em 2006, assistindo etapas do World Poker Tour (WPT) naTV e jogando online. Logo ele se inscreveu em sites de treinamento em vídeos e aumentou seu bankroll ao ponto de ultrapassar US$ 1 milhão.

Ele enxerga a regulamentação do mercado francês como essencial ao crescimento do poker no país: “O poker estourou na França novamente em julho de 2011, com a regulamentação do mercado. As salas precisam adquirir licenças e investem muito em publicidade na TV. Acho que nesse período, muita gente jovem se tornou profissional”.

Exceto pelo primeiro dia de disputas, sua caminhada foi tranquila no Main Event: “O dia 1 foi difícil; eu até estava em uma mesa boa, mas simplesmente não conseguia ganhar nenhum pote. Cheguei a ficar com 15 mil fichas, metade do stack inicial, mas quando troquei de mesas a sorte virou”, e Loosli passou para o segundo dia com 46 mil fichas, e desde então nunca teve que apostar todas as suas fichas: “Foi ótimo, eu me senti muito confortável, pois jogar deepstack é algo que me agrada, é onde eu tenho uma boa vantagem sobre os outros”.

Quando restavam 27 jogadores ele notou que seria questão de tempo estar entre os nove finalistas “Não senti nenhuma pressão no dia seguinte, minha mente já estava preparada, eu sabia que era só continuar jogando o meu melhor e deixar o tempo passar.

Para Sylvain Loosli, seus grandes adversários pelo bracelete são os americanos JC TRan e Ryan Riees: “Tran é um belo adversário, difícil, experiente. Já Ryan Riess, eu não sei se ele teve uma boa corrida de cartas, mas no final do dia ele mudou bastante o modo de jogar. Colocou bastante pressão e foi bem difícil jogar contra”.

Se sua conterrânea, Gaëlle Baumann, foi bolha da mesa final no ano passado, Sylvain Loosli já garantiu seu lugar entre os finalistas neste ano. Mas ele quer mais, quer proporcionar um novo boom do poker na França: “É uma oportunidade única na vida, seria, de longe, a maior conquista da minha carreira. É o maior torneio do mundo, todos sonham com isso, seria muito bom levar esse título para a França”.

Quem: Sylvain Loosli.

Local de Nascimento: Toulon, França.

Stack: 6º – 19,6 milhões de fichas.

Melhor Resultado: 6º lugar Winamax Poker Open (US$ 80 mil)

Ganhos em Torneios: US$ 83 mil.

Jogo Principal: Cash Games Online (High Stakes)

 

Outras partes da série:

Conhecendo os Finalistas da WSOP: JC Tran

Conhecendo os Finalistas da WSOP: Amir Lehavot

Conhecendo os Finalistas da WSOP: Marc-Etienne McLaughlin

Conhecendo os Finalistas da WSOP: Jay Farber

Conhecendo os Finalistas da WSOP: Ryan Riess

Conhecendo os Finalistas da WSOP: Michiel Brummelhuis

 

Vários livros da Loja MaisEV podem te ajudar a chegar longe em torneios de poker, seja no clube da sua cidade ou na WSOP.


Veja mais:

Salas de Poker