Guilherme Cheveau Fala Sobre Sua Carreira

Por: 07/08/2012

Como você começou a jogar poker?

Eu jogava Age Of Empires e tinha uma galera que estava começando a mandar bem no poker (Norson, roqueiro e vasco, todos do MaisEV), comentaram que ganharam uma grana no jogo… Fiquei interessado e comecei a jogar. Mas meu primeiro contato com o poker foi assistindo o World Poker Tour no SBT.

E quando se profissionalizou?

Eu comecei a estudar e ganhar dinheiro com poker aos 17 anos, pouco depois de começar a faculdade… comecei jogando sngs de $1 e shastas, até que fiquei sabendo do blog do Riccio e assisti os vídeos que ele fazia… aí comecei a ganhar uma grana.

Eu ia pra faculdade só pra vender as fichas que ganhava, e quando tinha 19 anos parei um pouco com poker e comecei a trabalhar na T-Systems como analista de performance & capacity e levei a faculdade um pouco mais a sério, por pedidos da minha mãe. Aguentei cerca de 1 ano e dei gg… acabei voltando pro poker.

Tive a sorte de conhecer o Gabriel Goffi, que foi muito gente fina comigo, me deu coach e me stakeou no cash game live… depois disso comecei a aprender a jogar de verdade.

E como foi esse período no cash live? Por que depois decidiu mudar seu foco para torneios live?

O começo foi um sonho, aí fiz move up e foi tudo por água abaixo. Fiquei bem down, meu deal com o Goffi acabou e meu carro foi roubado… quase desisti.

Meu bankroll se resumia a 2 buy-ins de 200 reais de cash 1/2… tive a sorte de encontrar um dos melhores parceiros de cash live de São Paulo. Na primeira sessão eu fiquei 2 mil pra cima e comecei a ir no clube só nos dias que ele ia também… fiz meu br, comprei um carro e depois disso não parei mais.

Joguei cash por mais 2 anos, até que no ano passado comecei a jogar mais torneios. Consegui ótimos resultados no CPH e no 50k do h2. Comecei a ficar cansado do cash, muito estressado daquelas swings de 3-4 mil todos os dias, aí fiquei só nos torneios mesmo. Comecei nos de 50r e 150 freezout do h2, algum tempo depois já jogava bis de R$800.

O começo no MTT live foi muito fácil… joguei 4 CPH, peguei ITM em 1, 6º em outro e cravei um logo em seguida. Nesse meio tempo fiz uma mesa final de um torneio de 50k do h2 também, aí foi bem fácil. A galera vê seus resultados e já quer te stakear, principalmente a galera do live, que não entende quase nada de variância e te oferecerem uns acordos muito sabor…

E a transição para o online?

Eu fui grinder de sit and go por um bom tempo, antes de começar a jogar cash live. Comecei a me interessar por MTTs online depois que comecei a fazer amizade com alguns jogadores dessa modalidade. Eu senti que meu jogo estava estagnado, eu não melhorava em nada, meu jogo não evoluía.

Nessa época eu já conhecia o Douglas Ferreira e logo depois conheci o Rodrigo Scartezini, que me ajudaram bastante nesse começo. Conheci o João Bauer também, aí comecei a encher o saco pra entrar pro time dele. Antes disso já havia sido barrado do Steal Team, meu jogo online era horrível. O Bauer resolveu me dar uma chance no dia 8 de fevereiro, depois disso foi só alegria.

O jogo online é bem mais difícil do que o live, tem que estudar MUITO mais. Eu peguei mais de 50 hand histories da galera do time e comecei a estudar, sempre fazendo coach com os caras, evolui bastante meu jogo.

Como era sua rotina no cash game live?

Jogar live é muito cansativo e esse é um dos motivos que eu parei de jogar cash live e diminui o numero de torneios.

Eu acordava às 3 da tarde, às 4 saia de casa e ia pro H2. Às 5 começava o jogo e eu ficava até 3-4 da manha do dia seguinte. É muito difícil aguentar esse ritmo

Eu peguei uma época muito boa no cash live, sabia que o jogo ia dar uma secada em algum tempo, então tinha que aproveitar, jogava o máximo possível mesmo.

Foi o que acabou acontecendo, muito moleque sentando com 200-300 reais e enrolando até dobrar e ir embora, isso atrapalha demais a dinâmica do cash live.

E nos torneios?

É bem mais suave, chega no clube às 21:00, sessãozinha de 8hrs-10hrs e já era. O chato do MTT live é que TODA HORA tem alguém querendo bater papo, você não tem 1 minuto de sossego… não pode ir lá fora e fumar um cigarro sem alguém chegar em você e querer contar uma parada. Isso é muito tiltante, ninguém te deixa em paz, fica bem difícil de concentrar.

No online é diferente, se alguém esta te enchendo o saco, você fecha a janela do chat e já era, hahaha.

Como é sua rotina no online? É verdade que você está jogando 150 torneios por dia?

Eu jogo em media 120 MTTs/dia, faço sessões de 15 a 20 horas. Eu não sou um cara muito bom no jogo, meu ponto forte é que eu sou grinder mesmo. Sou bem nerd e consigo fazer sessões de 15 horas na boa. Então acho que eu compenso um pouco a falta de habilidade com o volume que coloco.

Essas 15-20 horas de jogo, incluem o estudo?

Eu faço minha sessão até o horário que aguentar, depois disso a adrenalina está a mil, aí eu abro um hand history, seja de um amigo de time ou de algum aluno meu e começo a estudar.

Segunda e terça eu grindo. Quarta dou coach e a noite vou pro live. Quinta eu jogo, e sexta dou coach e vou pro live de noite. No sábado eu dou só 1 aula e tento descansar. Se não tiver nenhum live pra jogar, eu fico na boa e tento sair a noite. Domingo jogo o dia 2 de algum torneio live ou grindo online mesmo.

No online é diferente porque eu converso com os amigos mesmo, grinders como eu. Isso torna a sessão muito mais agradável e você tá sempre aprendendo

A rotina do online é um sabor, pra quem é meio nerd como eu. Acordo às 7 ou as 8:30, faço um café e começo a jogar. Pego os torneios em late, 20 minutos depois já estou jogando cerca de 15 mesas.

Minha mãe me ajuda muito, sabe o horário certo dos breaks, ai o almoço está sempre pronto na hora certa. Fora que ela me força a comer. Por causa da redução de estomago, eu não tenho fome nenhuma, então fico o dia todo sem comer se quiser.

Falando nisso, como foi a aceitação da sua família com o poker?

O começo foi difícil, eu não tenho irmãos então cresci com meus primos. Eles são bem sucedidos nos seus trabalhos, levaram a faculdade muito a sério, diferente de mim.

Aí você fala: larguei o trabalho e a faculdade pra viver de poker… isso não é nem um pouco normal. Eles demoraram a aceitar, mas a maioria acha ok agora.

Sinceramente, eu já passei dessa fase de me importar com a opinião dos outros. Eu faço o que gosto e falo o que penso, se você não gosta disso, pra mim pouco importa.

Eu passei por uma infância bem difícil, já superei bastante coisa na minha vida. Agora a fase está boa e sou muito feliz, então eu quero curtir a vida mesmo.

Sinceramente, eu não consigo ser feliz tendo um trabalho “normal”. Eu comecei a trabalhar com 11 anos de idade, aquilo era uma tortura.

Qual o torneio ou sessão que mais te marcou, por algum motivo, seja uma grande vitória ou uma situação interessante?

Sessão de cash foi uma com o Norson (BrazilianEye), o Gauss e o Slodera do fórum. Estávamos jogando 5/5 live e o jogo estava quase quebrando até que chegou um cara com umas 4 mulheres, tirou uns 5 mil do bolso e mandou elas esperarem em uma mesa do lado. Ele sentou na nossa mesa e a única coisa que ele fazia era falar “pote… pote… pote”.

Ele fazia escuro de 50 em todas posições e então fazia pote. Qualquer flop era no mínimo 300 reais pra ver. A galera foi quebrando e o cara chegou a ficar com uns 20 mil de frente, aí começamos a jogar short handed. Eu estava 5-6 mil down, mas continuei.

Aí perdi um pote sick pro cara. 4 outs no river, pote de 12 mil reais acho. Jogando 5/5 isso é bem sick. O cara começou a quebrar e fazer rebuy de 3 mil reais. No fim da sessão eu fiquei even e ele perdeu mais de 35 mil em 5 horas de jogo.

No online as minhas sessões bem standard. As 2 mais legais foram quando fiz 9 finais e um domingo que eu ganhei o $162 6-max. Quando ganhei o The Big $11 também foi bem legal, foi meu primeiro resultado de mais de 10 mil.

E o jogador mais difícil que enfrentou?

No live, sinceramente nenhum. Nunca fiquei evitando nenhum jogador. No cash live eu não gostava de jogar com o Norson e ele estava anos luz a minha frente naquela época.

No online eu só achei difícil jogar a mesa final do $162 6-max com “djk123” (Dan Kelly) e com o “fabstinho”.

Eu curto muito o jogo do “pitaoufmg”, “lirola” e “dowgh-santos”. Aprendi a jogar online com eles. Fora o João Bauer, que me ensinou pra caramba. Se não fossem eles eu não seria vencedor nem em torneios de $10.

Fora esses caras do meu time, eu acho o “binhoeiji” bom pra caramba, jogo sólido demais… acho que nunca fui pro showdown na frente contra ele.

Falando no Steal Team, que o efeito o time teve no seu jogo?

Cara, fazer parte do Steal é bom demais, você aprende muito, tem coach toda semana com ótimos jogadores e fica o dia todo discutindo mãos com os outros caras. É impossível não se tornar um bom jogador quando você faz isso.

E grindar online pode ser meio solitário. Quando você tem jogadores que estão com o mesmo foco que você, tentando aprender, um leva o outro. É claro que você tem que se dedicar, procurar estudar sempre, assistir mãos e aprender.

Quais são suas metas no poker?

Minha meta no poker e na vida é jogar os stakes mais altos e só pra mim, ganhar dinheiro e continuar sendo feliz.

Para encerrar, quer deixar alguma mensagem?

Quero mandar um abração pro pitaoufmg, Fefo, Dowgh, Lirola, Joao Bauer, João fera e Ragazzo, que me ajudaram tanto nessa nova fase do online. E é claro a toda galera do MaisEV, se não fossem eles jamais teria chegado onde cheguei.

Historiador por formação, conheceu o MaisEV em sua primeira semana de vida, ainda em 2007. Em pouco tempo, tornou-se editor-chefe do site para fazer o que faz de melhor: escrever.

Veja mais:

Salas de Poker