Entrevista – Marcus

Por: 24/09/2008

Danilo Telles: Nunca ouvi falar de plastimodelismo, o que é isso?

Marcus: Plastimodelismo é o hobby de montar réplicas de plástico dos mais variados objetos, de forma a ficar o mais próximo possível do original. No meu caso eu praticamente só monto réplicas de aviões de combate e vou fazer uma exceção por conta da decoração do quarto do meu filho (dominado pela mulher ftw)

Isso já foi bastante popular antigamente quando era fácil achar os kits da Revell, a galera mais antiga se lembra na hora, mas acho que a garotada nunca ouviu falar… 🙂

Danilo Telles: Há quanto tempo você joga poker? Seu início foi difícil? Como você construiu o seu bankroll?

Marcus: Descobri o poker online há bastante tempo, vendo o Raymer ganhar o WSOP na ESPN. Comecei com todo donkey, jogando play money até um dia criar coragem pra colocar alguma grana num site de poker.

Apesar de poder colocar bem mais, eu comecei com $50 (e quebrei algumas vezes) até finalmente começar a aprender a jogar e ir subindo de nível. Na época eu jogava principalmente torneios, a galera que ganhava muito jogava SnG e eu cheguei a tentar jogar uns 10 SnG, mas desisti.

Então comecei a jogar cash no menor limit do Party Poker pra liberar um bônus, mas vi que eu estava ganhando mais do que o bônus, além de ser mais divertido. Desde então jogo cash.

Danilo Telles: Você se considera um jogador tight ou loose? Quão agressivo?

Marcus: Me considero tight tendendo pra loose. Eu era muito agressivo até aprender que ser agressivo demais é –EV. Agora eu tento me controlar.

Danilo Telles: Quais são as suas maiores qualidades no game?

Marcus: Hmm… Não sei… Talvez seja a paciência de ir subindo de nível de acordo com a habilidade e não o br…

Danilo Telles: Qual foi o seu melhor resultado jogando poker?

Marcus: Sem dúvida foi o satélite pro WSOP deste ano em que eu ganhei a entrada + ajuda de custos (US$12.000).

Danilo Telles: Como foi sua experiência no WSOP 2008?

Marcus: Foi uma experiência muito legal, é bom porque estabelece um parâmetro de comparação com qualquer outro torneio. Como foi a primeira vez, eu estava em clima de festa, curtindo ver a lendas andando por ali, o oba-oba com o merchandising, a feira paralela que tava rolando, etc.

Neste tópico eu conto com mais detalhe como foi a minha participação. Mas o mais legal da viagem nem foi o WSOP e sim ter verificado que eu consigo bater a NL500 do Bellagio. 🙂

Danilo Telles: Você já teve um mês “down” no poker? Como foi essa experiência?

Marcus: Várias vezes. Antigamente isso me estressava muito porque eu não controlava direito os resultados pra saber se era porque eu estava jogando mal ou se era bad run…

Danilo Telles: Como é a sua rotina atualmente?

Marcus: Trabalho durante o dia e quando chego em casa começo a jogar até 8:30. Depois vou pra esteira, janto, analiso a Bolsa e atualmente fico montando os modelos até tarde. Eles vão fazer parte da decoração do quarto do pimpolho.

Danilo Telles: Qual(is) jogador(es) estrangeiros você admira e por quê? E brasileiros?

Marcus: Não sou de ter ídolos e nem acompanhar a carreira de ninguém. Na verdade eu apenas simpatizo com um jogador ou outro. O Farha, por exemplo, eu acho uma figura e me divirto muito vendo ele no High Stakes Poker.

Já brasileiros eu não conheço ninguém. Tenho que jogar uns torneios lives pra me inteirar. O pessoal do forum eu conheço apenas no ciberespaço, e é muito diferente você ver a pessoa ao vivo.

Danilo Telles: Você já leu livros sobre poker? Quais lhe trouxeram mais benefícios?

Marcus: O que mais me ajudou foi o Harrington on Holdem. Li também o Super System e o NLHTP. São bons, mas ainda fico com o HoH. Tenho curiosidade de ler o Harrington on Cash para ver se é tão bom quanto, mas falta tempo…

Danilo Telles: Você usa algum software de poker? Se sim, qual?

Marcus: Holdem Manager é essencial. O Pokerstove também, mas uso bem menos, como era de se esperar.

O Spade Eye também é um must have, mas ele não funciona em qualquer site. O SE eu até tolero se um bom site não é compatível, mas sem o HM não dá…

Danilo Telles: Se você tivesse que dar um único conselho para um iniciante, qual seria?

Marcus: Contra donkey você não blefa, você toma todo o dinheiro dele quando tem uma boa mão.

Danilo Telles: Se você tivesse que começar hoje do zero a sua carreira, com um bankroll de $150 dólares, como o faria? O que jogaria e em o que investiria? E se o bankroll fosse de $1000 dólares?

Marcus: Bom, por pior que eu me saia no poker minhas outras atividades garantem que eu tenha pelo menos $500 pra depositar online, então eu acredito que a pergunta seja mais o que eu acho que alguém que tenha esses br devem fazer.

Quem tem $150 está meio curto de dinheiro, então eu acho que deve começar pela NL5 e subir de nível apenas quando estiver batendo o nível com folga, ou seja, já não está jogando muito mal.

Com $1000 já dá pra começar na NL10 e se for bem ir rapidamente pra NL25. Com esse bankroll e tendo passado por esses dois níveis dá pra dar uns tiros na NL50 e ver se tem jogo pra ficar por lá ou se é melhor voltar e aprender num nível mais baixo e mais barato.

Danilo Telles: Qual é o jeito que você considera mais rápido de aprender a jogar poker?

Marcus: Acho que o mais rápido é aquele que você mais gosta. Tem gente que gosta de ler, tem gente que gosta de forum, etc. Eu já vi muita gente dizendo que coaching é a melhor maneira, mas eu já experimentei e não achei tão bom. Quero testar com outro coach antes de ter uma opinião definitiva.

Danilo Telles: Você já fez alguma loucura com o dinheiro ganho jogando poker? Faria-a novamente? Como você gasta e administra as suas finanças atualmente?

Marcus: Acho que a maior loucura foi ter ido pra Las Vegas jogar o WSOP ao invés de guardar a grana. Eu provavelmente faria novamente, mas só acontecendo de novo pra saber…

Minhas finanças vão bem, mas poker pra mim é hobby, então não é nenhuma vantagem… 😉

Danilo Telles: O que você pretende fazer daqui pra frente na sua carreira de jogador de poker? Onde você se vê daqui a 3 anos?

Marcus: Jogo por hobby e pretendo continuar assim. Só ganhando alguns milhões num torneio desses que eu pensaria em trocar de profissão…

Danilo Telles: Como você conheceu o MaisEV? E que parte(s) do MaisEV você mais gosta/freqüenta e porquê?

Marcus: Foi num post que alguém colocou no CDP. Aliás reclamei bastante por não ter sabido antes, mas depois concordei que não tinha muito mais o que a galera pudesse fazer…

Varia muito que parte do forum eu frequento, depende da época. Mas acho que a Poker em Geral, Off Topic e as de Cash são as que eu mais visito.

Danilo Telles: Mande uma mensagem aos usuários do MaisEV.

Marcus: Um Abraço!


Veja mais:

Salas de Poker