Entrevista – Leonardo Soares

Por: 10/02/2011

Roqueiro: Tenho 21 Anos, moro Mogi das Cruzes, tenho como atividade só academia e toco na Igreja. No poker eu atualmente jogo NL1000 e NL2000

Danilo Telles: Há quanto tempo você joga poker? Seu início foi difícil? Como você construiu o seu bankroll?

Roqueiro: Eu jogo por volta de 2 anos e meio, não tenho certeza. No inicio foi difícil demais, eu perdi os dois bônus da PokerStrategy e fiquei um mês sem jogar, só lendo o fórum de lá e o MaisEV. Depois de ler o fórum por um mês e ver que a coisa era séria mesmo, resolvi depositar $50 e prometi pra mim mesmo que se não conseguisse dessa vez iria abandonar. Enfim deu certo.

Para construção do Bankroll eu fiquei muito tempo breakeven na NL25 e NL50. Foi então que surgiu a oportunidade do acordo de coach com Kzoide, e foi aí que eu deslanchei de vez. É claro que não foi só ele que me fez chegar aonde cheguei hoje, mas ele teve uma grande importância nesse período ate hoje.

Eu não sacava nada do BR até NL100 pelo menos. Chegando lá, eu comprei acessórios para melhorar meu jogo (pc e monitor) e assim foi, todos meus lucros do jogo foram pra construir o BR e sempre sacava só o necessário, e quando você vê que ta na NL400 e que 3BI já suprem toda suas despesas aí é só juntar mesmo, hahaha.

Danilo Telles: Você se considera um jogador tight ou loose? Quão agressivo?

Roqueiro: Muito agressivo, eu tenho até dó de quem me ver jogando. Vai reparar coisas muito loucas que eu faço, mas eu uso essa imagem a meu favor, além disso é muito sick jogar contra agressivo, porque ele não é previsível, então quando você tiver em uma mão, o cara sempre vai ficar com aquela duvida do que realmente você tem.

Danilo Telles: Quais são as suas maiores qualidades no game?

Roqueiro: Digamos que tiltar os regulares. Jogar contra agressivo é horrível demais, porque dá 3bet pf e raise cbet e até mesmo c/r demais, e você fica totalmente perdido com isso e acaba errando em algumas situações. Acho que sou especialista em fazer o cara errar quando tenho mão.

Danilo Telles: Qual foi o seu melhor resultado jogando poker?

Roqueiro: Torneios eu jogo só por fanfarra, com certeza meus melhores resultados vieram do cash. Acho que se joguei 3 torneios ao vivo foi muito e online jogo muito menos. O melhor resultado foi no BSOP Florianópolis. Cheguei a ser chip leader no dia 1 e no domingo. Quando só restavam 25 jogadores, perdi pra 2 outs ou 1 out, nem lembro, mas faz parte.

Danilo Telles: Você já teve um mês “down” no poker? Como foi essa experiência?

Roqueiro: Mês down mesmo, que nem o rakeback conseguiu suprir foi um só, novembro do ano passado. Eu perdi muito e isso me abalou demais. Eu fazia sessões que jogava o dia inteiro e nada de resultado, e é aquilo né, você deita no travesseiro e pensa: “perdi um carro 0km BOM”. Mas isso é variância, tem que ter cabeça pra quando o baralho não ajudar, você perder o menos possível. Acho que isso faz diferença e sempre tento melhorar nesse quesito. Mas esse mês também tô no ferro, rs.

Danilo Telles: Como é a sua rotina atualmente?

Roqueiro: Acordo às 8h, vou pra academia, depois vou pro escritório, porque jogo da empresa do meu pai, pois em casa não tenho banda larga. Geralmente começo grindar às 11:00 e faço uma sessão até às 14:00. Depois do almoço eu volto pro grind e se tiver no ferro, só Deus sabe quando eu paro, rs.

Danilo Telles: Qual(is) jogador(es) estrangeiros você admira e por quê? E brasileiros?

Roqueiro: Estrangeiros eu não posso avaliar muito, somente por coisas que vejo no fórum, mas eu admiro o Isildur1 pela coragem que ele tem de enfrentar os melhores do mundo no cash game. O cara tem “balls” e pra mim isso é espetacular.

Já entre os brasileiros uma pessoa que admiro bastante é o Kzoide, é um cara que sempre pude contar pra várias coisas, tanto poker quanto fora. Ele me dá bastante conselho, tanto no mundo dos negócios quanto na vida pessoal.

Danilo Telles: Você já leu livros sobre poker? Quais lhe trouxeram mais benefícios?

Roqueiro: Nunca li. Comprei o livro do Ivan Santana recentemente, mas ainda não acabei de ler. O livro é bom demais, assim como o coach dele.

Danilo Telles: Você usa algum software de poker? Se sim, qual?

Roqueiro: Sim, uso Holdem Manager.

Danilo Telles: Se você tivesse que dar um único conselho para um iniciante, qual seria?

Roqueiro: 1º: Esqueça ganhar dinheiro com poker agora, TODO MUNDO que começa com intuito de ganhar dinheiro nunca vai pra frente.

2º: Dedicação. Poker é algo que só depende de você, então se realmente você quer isto, tem que se dedicar ao máximo.

Danilo Telles: Se você tivesse que começar hoje do zero a sua carreira, com um bankroll de $150 dólares, como o faria? O que jogaria e em o que investiria? E se o bankroll fosse de $1000 dólares?

Roqueiro: Com $150 jogaria NL10 6-max, e com $1k, jogaria NL50 6-max. Minha especialidade é o short handed, então não tem por que eu tentar construir de outra maneira.

Danilo Telles: Pra você, qual é o jeito mais rápido de aprender a jogar poker?

Roqueiro: Essa pergunta é complicada. Eu acredito que seja grindando e revendo suas mãos. Eu aprendi bastante no grind. O kzoide me passava alternativas de como jogar tais mãos e o que representar e eu colocava isso em prática no grind, e testa o que era bom e o que não era. Com isso você descobre vários jeitos de se jogar uma mão.

Danilo Telles: Você já fez alguma loucura com o dinheiro ganho jogando poker? Faria novamente? Como você gasta e administra as suas finanças atualmente?

Roqueiro: Loucura não, mas depois que comecei a ganhar dinheiro com poker eu não deixo de fazer nada que gosto. Eu viajo, tento levar minha namorada para lugares bacanas e etc.

Eu praticamente não tenho despesa fixa, só celular, combustível e etc. Então eu estou aplicando todo meu dinheiro. Se surgir alguma boa oportunidade de negócio, o dinheiro ta lá, mas se não tiver, tá rendendo os juros.

Danilo Telles: O que você gosta de fazer fora do poker? Quais são seus hobbies?

Roqueiro: Eu achava que não ia gostar de academia, mas estou gostando pra caramba. Fora isso eu gosto muito de tocar no ministério de música da igreja. Muitos jogadores procuram a paz na yoga, no budismo e etc… eu busco essa paz na musica. Também curto jogar futebol e ir ao cinema.

Danilo Telles: O que você pretende fazer daqui pra frente na sua carreira de jogador de poker? Onde você se vê daqui a 3 anos?

Roqueiro: Pra ser sincero, não sei. O que sei é que eu tenho que aproveitar o poker enquanto é lucrativo, então eu procuro me empenhar nisso e forrar agora, porque tá cada vez mais ta difícil então ninguém sabe realmente como vai ser o poker daqui 2 ou 3 anos.

Assim como acredito que a maioria dos jogadores profissionais não querem isso para a vida toda, até por que poker é bom mas tem horas que estressa muito, e você joga por que sabe que tem que jogar e não por prazer. Eu também não quero isso.

Futuramente eu me vejo administrando a empresa do meu pai junto com meu irmão, mas por enquanto o foco é só poker. Pelo menos por uns 2 anos.

Danilo Telles: Como você conheceu o MaisEV? E que parte(s) do MaisEV você mais gosta/freqüenta e porquê?

Roqueiro: Acho que foi o Vasco que me falou do fórum, não tenho certeza. A parte que mais frequento é o BBV, fico choramingando e postando os brags de vez em quando. O off- topic também é legal.

Danilo Telles: Leonardo, obrigado por nos dar essa entrevista. Pra terminar, mande uma mensagem aos usuários do MaisEV.

Roqueiro: Quero mandar abraços para todos amigos que fiz no poker, não vou citar nomes por que posso esquecer de alguém, mas foram bastantes. E lembrem-se ESSE É O JOGUINHO.

Historiador por formação, conheceu o MaisEV em sua primeira semana de vida, ainda em 2007. Em pouco tempo, tornou-se editor-chefe do site para fazer o que faz de melhor: escrever.

Veja mais:

Salas de Poker