Entrevista – Frederico “Fredão” Nogueira

Por: 14/10/2009

Danilo Telles: Há quanto tempo você joga poker? Seu início foi difícil? Como você construiu o seu bankroll?

Fredão: Jogo poker desde 2003. Comecei brincando na sala de aula com amigos do colégio. Jogava somente SnG live. Fui me destacando, tomando gosto pela coisa e comecei a jogar alguns torneios freeroll. Consegui alguns trocados, mas acabei perdendo-os por jogar fora do bankroll. Foi quando decidi depositar $50 iniciais. Me dediquei a torneios SnG 6max e 10handed ($5+0,50). Como os jogos eram mais fáceis naquela época, apenas com um bank de $50, consegui elevar meu bankroll sem quebrar. A partir dai nunca mais precisei fazer depósitos.

Danilo Telles: Você se considera um jogador tight ou loose? Quão agressivo?

Fredão: Depende da mesa que eu estou sentado. Sei jogar das duas maneiras, sendo assim, vou me adaptar de acordo com as tendências dos adversários. Mas eu por natureza gosto de ser agressivo no jogo pós-flop, com muitos moves no arsenal, tentando dificultar as leituras dos oponentes.

Danilo Telles: Quais são as suas maiores qualidades no game?

Fredão: Na parte técnica, acredito que seja a parte matemática do jogo. Na parte psicológica, sou muito calmo e tilto muito raramente (às vezes acabo tiltando, também sou filho de Deus.. rs)

Danilo Telles: Qual foi o seu melhor resultado jogando poker?

Fredão: Quando jogava mtt e sng, acabei acertando um 1st em um mtt de $55 no Best Poker, o que me rendeu $3k. Para os limites que eu jogava, foi um grande resultado. No cash game, tenho um defeito de não grindar muito no dia que estou muito up, meu melhor resultado foi um dia que fiquei 10BI up.

Danilo Telles: Você já teve um mês “down” no poker? Como foi essa experiência?

Fredão: Sim. Qualquer profissional que responda não a essa pergunta, ou esta mentindo, ou ainda não e profissional. Com a variância e as dificuldades dos jogos de hoje, é um pouco standard acabar um ou outro mês even ou ate mesmo down.

A experiência é amarga, já que você rala o mes inteiro, e no final das contas, você esta “pagando para trabalhar”. Ossos do ofício.

Danilo Telles: Como é a sua rotina atualmente?

Fredão: Atualmente dedico a parte da manhã para a faculdade e a parte da tarde e da noite eu dedico ao poker, conciliando com algumas atividades físicas, principalmente, corrida e futebol.

Danilo Telles: Qual(is) jogador(es) estrangeiros você admira e por quê? E brasileiros?

Fredão: Estrangeiros: High Stakes – durrr / Medium Stakes – Nanonoko. Citar jogador brasileiro é complicado porque a gente acaba esquecendo de um ou outro, mas o Ivan “RoyalSalute” Santana e o Leonardo Bueno, são os caras que desde a época que eu comecei, já se destacavam no cash game, e acima de tudo são grandes pessoas. São inclusive meus amigos.

Danilo Telles: Você já leu livros sobre poker? Quais lhe trouxeram mais benefícios?

Fredão: Já li sim, mas não acrescentaram tanto, tem outras formas de aprendizado que são mais eficazes e mais rápidas. Na minha opinião, Coach >>> Video > Fórum >>> Livros/Artigos.

Danilo Telles: Você usa algum software de poker? Se sim, qual?

Fredão: Uso Holdem Manager e Table Ninja pra jogar multitabling.

Danilo Telles: Se você tivesse que dar um único conselho para um iniciante, qual seria?

Fredão: Tenha certeza se é isso mesmo que você quer, e saiba analisar friamente se você tem vocação para isso. Não são todas as pessoas que tem capacidade de se tornarem vencedoras. Se sua vocação não for o Poker, jogue só como Hobby e dedique o seu tempo e talento para algo que você tenha vocação.

Se decidir jogar, estude muito, não tilte, e tenha controle de bankroll. Ser jogador de poker, definitivamente, não e fácil.

Danilo Telles: Se você tivesse que começar hoje do zero a sua carreira, com um bankroll de $150 dólares, como o faria? O que jogaria e em o que investiria? E se o bankroll fosse de $1000 dólares?

Fredão: Eu provavelmente pegaria stack com algum amigo. Mas retirando essa possibilidade, jogaria com um br managament bem agressivo, pelo menos, até nl100. Menos mesas no início e table selection, jogando um pouco de nl10 até $250 pra nl25, até $500 iria para nl50. Com um bank de $1k começaria na nl50, porem, jogando + mesas.

Danilo Telles: Qual é o jeito mais rápido de aprender a jogar poker?

Fredão: Coach, sem duvidas. Já que e uma forma de aprendizado personalizada de acordo com as necessidades do aluno. Porem é mais cara que as outras. Apesar do custo-benefício ser infinitamente maior.

Danilo Telles: Você já fez alguma loucura com o dinheiro ganho jogando poker? Faria novamente? Como você gasta e administra as suas finanças atualmente?

Fredão: Eu sou uma pessoa que sempre teve os pés no chão. Não gosto de gastar muito. O que eu costumo fazer é traçar metas de grind com recompensas para poder me motivar. Como por exemplo, uma viagem no fim do mês, ou algo do tipo.

Danilo Telles: O que você gosta de fazer fora do poker? Quais são seus hobbies?

Fredão: Gosto de praticar esportes (corrida, futebol e tênis), e também assistir futebol, cruzeiro FTW! Também gosto de sair/viajar com a namorada.

Danilo Telles: O que você pretende fazer daqui pra frente na sua carreira de jogador de poker? Onde você se vê daqui a 3 anos?

Fredão: Eu pretendo estar sempre melhorando meu nível de jogo, e ter sempre um plano B na manga caso as coisas não dêem certo mais.

Daqui a 3 anos me vejo com uma situação financeira bem melhor, seja por meio do poker ou não.

Danilo Telles: Como você conheceu o MaisEV? E que parte(s) do MaisEV você mais gosta/freqüenta e porquê?

Fredão: Acompanhava o fórum do CDP, depois cheguei a ser sócio do extinto 93off, e depois me cadastrei no MaisEV. Acompanho sempre as áreas de discurso de mãos de cash games, em quaisquer limites. Poker em geral/BBV/Comunidade MaisEV. E às vezes passo pela parte de esportes, mas não tenho paciência pra ficar discutindo demais e perdendo o meu tempo.

Danilo Telles: Mande uma mensagem aos usuários do MaisEV.

Fredão: Sou muito grato ao MaisEV, além de fazer grandes amizades aqui, foi uma ferramenta fundamental para a melhoria do meu game.

Tento retribuir o máximo que posso, sempre ajudando no que está ao meu alcance. Lembro também, para aqueles que estão começando, contribuam para o fórum, da maneira que puderem, que vocês serão retribuídos em dobro, tenho certeza disso. SHIPAAA!

Entrevista – Frederico “Fredão” Nogueira

Historiador por formação, conheceu o MaisEV em sua primeira semana de vida, ainda em 2007. Em pouco tempo, tornou-se editor-chefe do site para fazer o que faz de melhor: escrever.

Veja mais: