Entrevista Com Paulo “kako” Figueiredo

Por: 26/04/2013

Paulo “kako” Figueiredo é um dos mais conhecidos grinders do Fórum MaisEV. Jogador de cash games, ele já alcançou os high stakes do poker, e agora conta como foi sua jornada até os limites mais altos.

Como você começou a jogar?

Comecei a jogar no começo de 2008, achei o poker meio sem querer pela internet e me interessei, pesquisei na internet e achei comunidades de poker no Orkut e comecei jogando no Full Tilt.

Peguei um bônus de $50 e quebrei, continuei pesquisando sobre o jogo e achei o blog da Maridu. Comecei a acompanha-la e a jogar SNG e Freeroll, e um dia a Maridu postou algo sobre o MaisEV no blog e acabei conhecendo o fórum.

Depois disso ganhei um freeroll que me deu uns $50 de novo, aí já comecei a ler o MaisEV e iniciei minha vida no cash game.

Você teve uma ascensão rápida no jogo, alcançando limites altos em relativamente pouco tempo. Como foi isso?

Eu não acho que eu tenha tido uma ascensão muito rápida, acho que eu passei por NL100 e NL200 rápido, mas tirando isso eu sempre coloquei um volume muito grande pra só então subir.

Quando comecei a jogar cash games foi pela NL2 no PokerStars, joguei bastante até que subi pra NL5 e depois NL10. Lá eu comecei a fazer um ou outro cashout, o que me atrapalhava bastante, mas eu grindava insanamente pra época, lembro que cheguei a fazer quase US $1.000 de lucro na NL10 em 1 mês jogando pouco mais de 100 mil mãos, mas os cashouts me atrapalhavam a fazer moveup, e resolvi então pedir um stake.

Tive várias propostas, aceitei uma e então fui pra NL25 do Full Tilt. Grindei um pouco e consegui chegar na NL50, que foi um momento importante pra mim porque um certo dia, entediado de jogar NL50 6max, resolvi jogar NL50 Heads-Up, e foi então que resolvi virar grindar HU, o que eu acho que foi muito importante pra mim porque aprendi muito nessa época. Joguei bastante HU, tive swings insanas, até que resolvi voltar pra 6max quando já estava na NL100. Fechei um acordo com o Satori e fui jogar no PartyPoker.

Até então, o que eu usei pra evoluir foi o fórum, postava dezenas de mãos por semana, lia toda a seção de cash games, chegava a ser chamado a atenção por moderadores da época pelo tanto de mãos que às vezes eu postava.

O que você aprendeu jogando heads-up?

Acho que o principal foi variância, eu estou entra os top 10 vencedores de todos os tempos na NL50HU do FTP, bati a 5ptbb/100 em quase 200 mil mãos, e apesar dessa winrate eu sofri muito com a variância na NL50.

Tive minha maior downswing até hoje, 48 buy-ins em 12 dias,sendo que no ultimo dia eu perdi 18BI jogando praticamente só com donkey, isso me fez aprender muito sobre o como a variância no poker é bizarra, e o como é importante você trabalhar pra que ela não te afete, porque você não tem nenhum controle sobre ela.

Sobre a parte técnica do jogo, eu aprendi a prestar atenção em detalhes, o que faz muita diferença numa mesa de poker. HU é um jogo em que quando os adversários tem nível parecido, aquele que estiver mais atento vai se sair melhor. Foi aí que comecei a perceber o quanto isso faz diferença numa mesa de poker.

Isso te deu vantagem quando retornou pro 6-max?

Sim, bastante. Quando eu voltei pra 6-max, no começo de 2010, eu fui jogar no PartyPoker e só então comecei a ter o meu primeiro coach, que foi o Satori, e ele mesmo percebeu que eu já tinha uma percepção do jogo muito boa e muita facilidade de aprendizado, eu já entendia sobre varias coisas, como ranges, tamanhos de apostas, um pouco de metagame, mas não sabia praticamente nada sobre interpretar estatísticas e principalmente sobre a parte matemática, odds, implied odds, e equidade. Ele foi minha base pra isso, e como os jogos eram mais fáceis há 3 anos, e eu tinha um bom potencial, num prazo 1 ano eu fui de Nl50 a NL200, já fazendo cashouts regularmente.

Já no fim de 2011 eu terminei o acordo com o Satori e fui jogar por conta própria, mas dali pra frente os jogos ficaram cada vez mais difíceis, e eu fui de novo em busca de evolução.

Já jogando NL200 eu comecei a estudar muito sozinho, então tive varias experiências que foram excelentes, eu tinha um problema que eu não gostava das minhas linhas de showdown, achava que eu perdia muito foldando, então fiz vários ajustes no meu jogo até chegar no ponto de inverter minhas linhas de showdown. Testei vários tipos de jogos enquanto colocava um volume legal, além de continuar estudando e postando no fórum, só que agora numa frequência menor.

Depois de já ter testado muito isso, já no começo do ano passado, que eu fui descobrir que eu tinha várias falhas que estavam fora dessa parte do jogo.

Você falou sobre os jogos ficando mais difíceis. Você concorda quando dizem que “o field está secando” e coisas do tipo?

Eu acho que no poker, como em qualquer outro mercado, o field se equilibra sozinho. Depois do boom do poker, acho normal o que aconteceu, a informação se espalhou e então o numero de bons jogadores aumentou e os regulares ficaram com a impressão de que o field secou.

O que atrapalhou muito foi a saída de vários mercados grandes do field, que aí sim não tem como não afetar a economia.

Eu acho que o futuro é muito incerto, os jogos vão sempre existir, mas se continuar essa segregação de field, pode ser que em algum momento os jogos de mid stakes fiquem abandonados, como praticamente aconteceu com os jogos de high stakes, mas se acontecer de os EUA voltarem pode ser que os jogos fiquem aquecidos como há alguns anos.

Agora sobre a dificuldades, os jogos nunca vão voltar a ser fáceis como antigamente, mas não por falta de fishes, os fishes continuam aí e ainda são muito fracos, mas pela evolução dos regulares.

Hoje em dia não da pra bater uma NL200 se você não tem o jogo bem desenvolvido em todas as partes. Alguns regs que desistiram ou reclamaram do field, não foi devido a falta de fishes, mas sim porque muitas vezes eles é que estavam sendo batidos por outros novos regs que vieram com um jogo melhor. É assim que acontece com tudo, se você não se empenha pra continuar evoluindo, mesmo quando esta no topo, logo vem algum cara novo e te passa.

E como você faz pra continuar evoluindo?

Atualmente eu faço coach com o Dexx, além disso eu tenho livro do Royal, que é uma obra prima dos cash games, já devo ter lido ele umas 10 vezes.

Outra coisa que me faz evoluir é dar coach, muitas vezes o que eu ensino pros meus alunos é o que eu mais preciso aprender, levar o poker como profissão é algo muito difícil, porque depende 100% só de você, então você precisa estar sempre bem pra poder jogar bem. Tanto a mente, quanto o corpo precisam estar bem pra que você possa jogar no seu melhor jogo, e às vezes é difícil assimilar isso, porque todos nós quando jogamos poker pela primeira vez é por diversão, e às vezes jogamos assim por muito tempo e criamos algumas manias que vem desde quando começamos a jogar, e isso atrapalha bastante.

De certa forma é ridículo um jogador profissional de poker tiltar ou oscilar o seu jogo ou humor por uma bad beat ou bad run. O profissional sabe que não tem nenhum controle sobre isso, mas mesmo assim ele ainda sofre. Eu sofro com isso.

Outra coisa ridícula é o cara que sente raiva de um outro jogador por uma jogada errada que ele fez, ou um bad beat, ou até mesmo de um outro reg que foi melhor que ele. Pelo lado profissional isso não faz sentido nenhum. Mas como a nossa base como jogadores foi toda errada, a gente comente esses erros bobos.

O interessante é que não existe uma formação pra um profissional de poker, cada um se forma do seu jeito, então por isso que o jogo é fantástico, totalmente democrático e ao mesmo tempo te da infinitas possibilidades. Eu acho que os profissionais de poker ainda tem muito a evoluir.

Falando ainda da dificuldade no jogo, muitos migraram para o Omaha dizendo que o field está mais fácil. Já pensou em fazer o mesmo?

Acho que aqueles que migraram pro Omaha 1 ano atrás fizeram uma boa escolha. Hoje eu acho que o Omaha já está começando a ficar difícil também, e pra mim não vale a pena, porque eu nunca joguei Omaha, então teria que sair do zero e até chegar num nível decente demora muito.

Mas em breve o Omaha vai chegar no nível que chegou o holdem. É só tomar o MaisEV como exemplo, há 1 ou 2 anos atrás praticamente não se debatia Omaha no fórum e hoje se debate Omaha num excelente nível, e as discussões sobre o holdem cash game praticamente morreram.

Eu acho que o cash game de holdem passa por um período bem difícil, porque o primeiro jogo de poker em que o pessoal estudou e foi a fundo foi o cash game, então é normal que de certa forma o field de cash seja o primeiro a ficar mais difícil. Mas de 1 ano pra cá, também se debate MTT e Omaha em um nível excelente, e isso vai ter reflexo no futuro. Daqui a 2 anos vamos ter um field de muita qualidade num torneio de BI baixo, o que vai reduzir o ROI dos jogadores, e vamos ter vários bons regs jogando PLO100, o que também vai reduzir a winrate.

E torneios, você também joga?

Não, devo ter jogado no máximo 10 torneios nos últimos 2 anos, mas eu gosto de jogar os torneios das grandes séries tipo WCOOP e SCOOP, eles começam bem deep e tem uma estrutura que favorece os jogadores de cash, mas não jogo torneios normais.

Já conseguiu algum resultado?

Quando jogava HU ainda, consegui um 2º e um 4º lugar num torneio regular do PokerStars, que era o $55 6-max, mas depois disso mais nada.

Você joga bastante no PartyPoker, como acha que o fechamento deles para vários mercados, como o brasileiro, vai te afetar?

Eu jogo no PartyPoker há mais de 3 anos, e nesse período muita coisa mudou. Acho que esse fechamento não vai alterar muita coisa, visto que as contas antigas continuam, mas o field do PartyPoker tem piorado muito nos últimos meses, e mesmo depois da fusão com a bwin, onde o field melhorou um pouco, logo eles já fizeram a segregação de mesas e o field voltou a piorar.

Eu gosto do PartyPoker e não queria que os jogos lá ficassem inviáveis a ponto de eu ter que trocar de sala, mas agora é esperar pra ver.

O que espera do futuro do online?

Acho complicado fazer qualquer previsão, tudo vai depender de como vão funcionar os mercados regulamentados, acho que daqui a alguns anos boa parte do mundo já vai ter algum tipo de regulamentação. Desde que esses mercados não se fechem, o futuro do poker é promissor em termos de quantidade de jogadores.

Agora sobre a dificuldade dos jogos, mesmo que entrassem vários novos donkeys, ainda sim o jogo vai continuar difícil, o que é normal. O jogo se expandiu e só aqueles que realmente se dedicarem é que vão conseguir se manter no poker.

Historiador por formação, conheceu o MaisEV em sua primeira semana de vida, ainda em 2007. Em pouco tempo, tornou-se editor-chefe do site para fazer o que faz de melhor: escrever.

Veja mais:

Salas de Poker