Dan Cates: “Ele Age Como Se Fosse Muito Bom, Mas Na Verdade Parece Ser Muito Ruim”

Por: 25/11/2013

Daniel Cates é um dos jovens fenômenos do poker. Com 23 anos, ele é um dos maiores vencedores do poker online, ao lado de figuras como Phil Galfond (confira nossa entrevista com ele clicando aqui) e Phil Ivey, somando US$ 8 milhões em ganhos, onde é conhecido por seus screen names “jungleman12” no Full Tilt, e “w00ki3z” no PokerStars.

Com perguntas feitas por nossos usuários através de um tópico específico no fórum MaisEV, Daniel Cates revela nesta segunda parte o quanto odiou trabalhar no McDonald´s, como a Black Friday o impactou, e também fala sobre assuntos polêmicos, como o caso envolvendo o português José “girah” Macedo, o interminável desafio com Tom “durrr” Dwan e suas impressões sobre Ben Grundy e múltiplas contas.

Esta é a segunda parte da nossa entrevista com Dan Cates, confira aqui a primeira:  Dan “jungleman12″ Cates: “Isildur1″ Sabe o Que Você Está Pensando”

 

Há algum tempo você conheceu um cara no Texas que trabalha com um tipo de life coaching, com quem você aprendeu sobreequilibrar sua vida e coisas do tipo. Pode falar mais sobre isso?

Sim, foi isso mesmo. Foi algo mais para aprender a não ter no poker meu objetivo de vida, mas buscar algo que realmente me faça feliz. Ele me ensinou muito sobre habilidades sociais, é difícil explicar. Aprendi mais como perceber o que acontece ao meu redor, conhecer outras pessoas sem ser estranho (risos).

É verdade que você trabalhou no McDonalds no começo de sua carreira como jogador, pois estava devendo dinheiro para alguém, e para levantar seu bankroll?

Na época eu não tinha dinheiro nenhum e queria muito um emprego então pensei “vou trabalhar no McDonalds um pouco”. Trabalhei lá por um mês e foi terrível, eu odiei muito (risos). Era muito pior que eu imaginava. Eu me lembro de ficar entediado na escola, mas isso foi três vezes pior.

Nesse período você pensou em desistir?

Daniel jungleman12 CatesSim, eu pensei. Muitas vezes. Não parecia que eu estava melhorando, parecia que eu perdia o tempo todo. Mas depois descobri que na verdade eu perdi uma boa grana sendo trapaceado quando comecei a jogar.

Falando em trapaças, como terminou o caso de José “girah” Macedo para você? Você disse na época que não queria mais ir morar com ele e que queria até receber seu dinheiro de volta já que jogou contra um dos alunos dele que na verdade era o próprio.

Bem, eu não falo mais com ele, rompi meus contatos com ele. Haseeb ainda fala com ele (Hasseb Qureshi era o jogador conhecido como INTERNET POKERS e foi envolvido nos esquemas de Macedo). Haseeb agora é um escritor, não quer mais saber de poker. Ele escreveu alguns livros interessantes. Mas sobre Girah, eu não sei o que ele está fazendo. Haseeb me disse que ele foi ostracizado da comunidade por causa do que fez.

Mas você acha que as ações dele de alguma maneira prejudicaram a sua reputação?

Acredito que não, porque muitas pessoas reclamaram e ficaram nervosas por ele ter feito multi accounting daquela vez, mas agora ninguém mais se importa com aquela situação. Houve um pouco de raiva naquele momento que me prejudicou um pouco, mas as pessoas que fazem negócios comigo não tiveram problemas com isso, ninguém nunca teve problemas em fazer negócios comigo. Ninguém nunca pensou que eu tenha feito algo obscuro ou que eu seja trapaceiro de alguma forma.

Recentemente foi anunciado que o Full Tilt vai pagar os jogadores americanos. Como se sente sabendo que em breve vai receber de volta seus milhões?

Eu não esperava por isso, então é ótimo. Mas há uma grande diferença entre dizerem que eu vou receber e eu realmente receber. Tenho certeza de que vão pagar, mas quem sabe quando? Pode demorar anos, ou não. Pelo menos parece que vai acontecer mais rápido do que pensávamos.

Pelo que soube os pedidos de pagamento começarão a ser feitos ainda em setembro. (Nota: à época da entrevista a expectativa era essa. Hoje, é previsto que o início dos pagamentos ocorra a partir de março de 2014).

Espero que sim, porque algo muito louco vai acontecer quando eu receber (risos).

Como esse dinheiro preso no Full Tilt afetou sua vida?

Na verdade isso não afetou em nada meu estilo de vida porque eu não gasto tanto dinheiro assim, apenas para viajar, e eu já tinha sacado uma quantia razoável. Foi muito ruim ter tanto dinheiro assim preso, mas não me afetou em nada. No poker eu tive que fazer um move down, teria que pegar um stake se quisesse continuar nos mesmos jogos, não podia mais jogar $200/$400 ou $500/$1000 como fazia antes da Black Friday. Não foi muito divertido ter que lidar com outras pessoas para isso, mas acabou indo tudo bem, foi uma experiência interessante.

E o que aconteceu com seu desafio contra Tom “durrrr” Dwan?

Bem, nós planejamos continuar, devemos jogar umas 4 mil mãos em breve. Vamos estabelecer algumas penalidades para não atrasar mais.

Há alguns meses você o provocou no Twitter dizendo que você queria terminar o desafio mas ele prefere jogar contra qualquer pessoa menos com você. Acha que ele está enrolando para não terminar o desafio?

Mais ou menos. Ele disse no fórum (2+2) que ele não acha que é obrigação dele terminar desafio porque eu estava sendo um pouco rude e o irritei. E é verdade, eu estava puto porque ele não queria jogar, então é meio que um ciclo vicioso. Ele estava com raiva de mim porque eu estava com raiva dele, mas meu motivo é que ele não estava jogando, e ele não queria jogar porque eu estava puto com ele.

Eu não diria exatamente que ele está enrolando, ele quer terminar o desafio, mas provavelmente nos termos dele.

Depois que terminar o desafio, você aceitaria outro desafio nesses moldes, ou nunca mais?Daniel jungleman12 Cates

Sim, aceitaria. Não sei se seriam tão bons quanto esse, mas se a proposta for boa, com certeza aceitaria. Mas não sei se é algo que aconteceria tão cedo.

Há alguns meses você também se envolveu em discussões com Ben Grundy. O que houve exatamente?

Na verdade eu interpretei errado o que ele disse a princípio. Pensei que ele havia dito que “Sauce1234” e todos os outros não estavam dando ação para ele, o que seria totalmente sem sentido.

Ele age como se realmente fosse muito bom, mas na verdade ele parece ser muito ruim (risos). Ninguém sabe o que ele está fazendo, muito do que ele faz não faz sentido e ele enlouquece se perder dois ou três buy-ins. Então eu basicamente disse que ele é ridículo.

Muito dessa discussão aconteceu em um tópico no TwoPlusTwo sobre múltiplas contas, e você disse lá que nem sempre múltiplas contas são ruins, às vezes é uma questão de tecnicalidades. Pode explicar o que quis dizer?

É uma questão de tecnicalidade no sentido de que é tecnicamente antiético, só isso. Não é algo inerentemente ruim, só é ruim porque é contra as regras. Se não fosse proibido, não seria algo ruim. Não há uma razão específica para jogadores só poderem jogar em uma conta. Se todo mundo jogasse em contas aleatórias, sem identificação, resolveria muitos problemas. E haveria mais ação, porque as pessoas teriam que jogar contra qualquer um, pelo menos por um tempo até descobrir se o oponente realmente é bom.

Então mais salas como o Bodog, que aboliram screen names, resolveriam o problema de múltiplas contas?

Reduziria o problema, mas não resolveria. Ter múltiplas contas só é um problema porque é proibido, tipo a lei seca nos anos 30. Só causava problemas porque era proibido, quando acabou a proibição, também acabaram os problemas. É só isso que tenho a dizer.

Considerando essa resposta, eu preciso perguntar, mas já imagino o que você vai dizer. Você já usou de múltiplas contas?

Não, nunca.

Por dois anos você fez um concurso em que deu uma entrada do Main Event do WSOP para os vencedores. Por que fez isso?

Honestamente, parte do motivo é óbvio, foi uma forma de me promover. Mas também foi algo legal de se fazer por alguém, mostrar que coisas legais acontecem. Foi divertido.

Daniel jungleman12 CatesVocê planeja fazer isso novamente?

Sim, mas eu faria algo mais original. Eu tenho uma outra ideia – que na verdade não é uma ideia minha, mas de outra pessoa – que  os competidores teriam que gravar um vídeo com rap sobre poker e o melhor vídeo ganharia o buy-in.

Qual foi seu objetivo de se promover com isso, estava pensando em conseguir um patrocínio? E falando nisso, alguma sala de poker já te ofereceu um contrato de patrocínio?

Já me ofereceram algumas vezes, e eu não aceitei por diversas razões. Basicamente é porque o acordo não era bom o suficiente. Mas eu gostaria, sim, de um contrato de patrocínio. Não sei é algo que realmente vai acontecer, hoje em dia é muito mais difícil, e já era antes da Black Friday. Se fosse em 2005, seria mais fácil.

 

 

 

 

O livro The Royal Book – O Segredo dos High Stakes, é ideal para você compreender a linha de pensamento de jogadores como Daniel “jungleman12” Cates!


Veja mais:

Salas de Poker