Podcast sobre o início do poker no Brasil

Por: 02/11/2013

E aí MaisEV, beleza?

Pra voltar a falar um pouco sobre o nosso joguinho, hoje eu trago algo do fundo do baú.

Em 2008 logo no início da carreira, quando eu tinha saído de casa aconteceu aquele episódio da Red Nines que fechou as portas com o dinheiro dos jogadores dentro, inclusive tem um tópico no fórum sobre isso. Foi com certeza a época mais tensa da minha carreira, eu não tinha um ano como profissional e me deparei com o bankroll perdido e morando sozinho.

Recebi algumas propostas de staking de vários users do fórum e uma de live, essa escolha definiu minha carreira, já que esse período jogando backed live eu me interessei muito por essa modalidade, cheguei em jogos mais caros muito mais rápido do que chegaria no online e esse jogo se tornou meu main game na carreira. Meu primeiro backer veio a se tornar um dos meus melhores amigos, é o Marcelo MGP Ferreira e pra contar a história dele eu preciso contar um pouco do nosso Mister Doyle.

Marcelo MGP Ferreira, José Irineu e Renata

Em 2005 saiu uma reportagem na VIP sobre poker, eu nem considerava a hipótese de ser profissional. Ainda sob influência católica, eu acreditava que o jogo a dinheiro era uma atitude pecaminosa, até ler nessa revista que um brasileiro ganhava 6 mil dólares por mês, foi quando meu conceito de religião começou a ser questionado, hahaha!!

Esse brasileiro era o Christian Kruel e essa revista era citada por todo mundo que alcançou algum destaque naquela época, arrisco a dizer que essa matéria influenciou 100% dos brasileiros que fizeram dinheiro no poker nesse período jurássico do poker profissional brasileiro. Nessa época a comunidade era MUITO resumida e basicamente qualquer um que fizesse uma mesa final tinha um rail gigante.

Claro que os pouquíssimos jogadores que faziam a reta “cara” eram os torneios de $55 e o C.K e o Raul que eram high stakes jogavam torneio de $109 eram acompanhados mais de perto pela comunidade poker mania. Nesse tempo prêmios acima de $5k eram comemorados como títulos mundiais e não apenas pagavam o ferro do dia, era do tempo em que se amarrava cachorro com linguiça como diria Felipão.

Nesse período entre os nomes conhecidos, Brasa, Akkari, Federal, Du Tosquiador (tirei do fundo do baú essa) Vitão, Vini, surgiu meu futuro backer MGP Ferreira cravando tudo que era torneio em uma semana e insta virando ídolo da comunidade, conheci ele através de outra figura old school do poker e também meu amigo, Salsicha, que junto com o Ricardo “Dadomb” foi o grupo com quem eu mais conversei de poker nesse início.

Cerca de um ano e meio depois e um bankroll a menos o MGP foi meu backer no jogo ao vivo e a sala onde eu mais joguei foi o Único. Joguei ali durante uns 6 meses e quando eu estava mudando de jogo começava um menino novo lá na 5/5 chamado Gabriel Goffi. Aparentemente esse garoto fez alguma grana no poker, mas essa história é pra outro dia.

Basicamente contei um pedaço do meu começo e recomeço no poker que envolveu duas figuras, CK e MGP. Durante o tempo que fui backed pelo MGP, a gente ficou bem amigo e pensamos em começar um podcast de poker, junto com o andremcosta do fórum a gente chegou a gravar um piloto de podcast conversando sobre poker, em um formato mais bem humorado, o assunto não poderia ser outro, o começo do poker brasileiro, CK e Raul.

Agora na madruga vi um post de outro usuário do fórum, o Renzo, só que no Facebook, mostrando uma cravada de $20k do CK, comentei no post e na sequência o MGP deu like. Conversando no Face lembramos dessa passagem e dessa pequena homenagem que a gente fez ao CK, então essa “pequena” introdução foi pra postar o link desse podcast piloto e filho único, já que nunca chegamos a gravar outro hahaha.

 

 

E quem curtiu o podcast, aguardem novidades!

 


Veja mais:

Salas de Poker