Bye bye e obrigado por tudo, poker!

Por: 18/01/2013

Não foi fácil tomar essa decisão, mas não decidir estava acabando comigo. O fato é que eu não tenho mais tesão no grind e em tempos onde o edge tem diminuído, colocar volume se faz cada vez mais importante. Estava sendo uma luta diária desde que começou o ano sentar no pc dia após dia e me forçar a abrir telas pra jogar e o sentimento de não estar fazendo o que eu deveria estava me deixando muito mal, a ponto de interferir na minha vida pessoal. Acho que a atitude mais honesta comigo e com as pessoas próximas a mim e um monte de gente que sempre torce por mim é tirar esse rótulo de profissional.

E por fim o que acabou contando como definitivo. Eu e a Re não queríamos ter filhos, tudo corria tranquilo até que ela começou a mudar de ideia e acabou me convencendo, estamos planejando pra breve e eu quero poder acompanhar isso de perto, ter horários mais normais, poder ter domingos livres em família.

O que eu aprendi nesses 5 anos não tem preço, o tanto de pessoas que eu conheci, que de fato fizeram a diferença na minha vida, eu dificilmente teria conhecido em tão pouco tempo e teria me relacionado com tanta intensidade, o poker realmente foi uma luz na minha vida, me ajudou a transformar meu potencial em realidade e por tudo isso, eu sou muito grato.

Sou grato às muitas pessoas que eu conheci no poker e as amizades que eu fiz, eu vejo muitas pessoas dizendo que amigo se conta nos dedos de uma mão, isso pra mim não é verdadeiro, acho que posso contar nos dedos de meia mão as pessoas que houve algum desentendimento nesse período, os amigos com certeza são muitos.

Mas em especial um agradecimento a Rezinha, que ajudou a tornar tudo isso possível, pessoa mais que especial, que eu tenho a sorte de estar junto comigo.

Aos amigos que de alguma maneira me ajudaram nesse caminho, MGP, Salsicha, Ricardo, Federal, Goffi, Vini e Victor Marques, Kovalski, Rafael Crispim, Felipe Phill, Gabriel Otranto, Brasa, Juju, Nakama, Sérgio Prado, Sequela, Mamute e Márcio, Will, Brites, Sketch, Preacher e ao MaisEV.

Em especial a dois amigos que fiz, Eduardo Kalil pelas horas infinitas de debate sobre os mais diversos assuntos e a Camila Kons pelas horas infinitas de conversa, risada, grind, debate de mãos.

Obviamente não vou abandonar o poker de uma hora pra outra, ainda devo continuar jogando os jogos em que eu sou lucrativo, principalmente jogo ao vivo, mas agora sem a obrigação de resultado, de horário, volume, enfim sem a pressão de ter o poker como principal fonte de renda. Acho que ainda devo esse ano jogar algumas etapas do CPH e do BSOP, mas bem mais light e apenas for fun mesmo.

Um abraço!


Veja mais:

Salas de Poker