Estratégia Avançada Pré-Flop Para Heads-Up Hyper Turbo

Por: 09/01/2015

Os jogos de Heads-Up Hyper Turbo têm crescido em popularidade nos últimos tempos. Ainda assim, há muito pouco material disponível em português sobre a modalidade, mas vamos tentar corrigir um pouco isso.

Sou jogador regular de hu hyper turbo há três anos, jogo com o nickname lucaslucas7 no PokerStars e fui o jogador brasileiro mais lucrativo em Sit and Go em 2014, segundo o ranking do SharkScope. Já joguei dezenas de milhares heads-up hyper turbo e nesse artigo vou compartilhar um pouco do meu conhecimento e experiência, tratando de um assunto no qual muitos têm dúvidas e dificuldades, que é o jogo pré-flop em hu hyper turbo.

Uma das áreas mais ricas e interessantes dos HU hyper turbo é o jogo pré-flop. Enquanto em outros formatos a estratégia é bastante mecânica, limitada por regras do tipo “se for o primeiro a entrar na mão, sempre dê raise”, nos hu hyper turbo temos muito mais opções. Dispor de uma forte estratégia pré-flop é um dos principais fatores que diferenciam um bom jogador do mediano nestes torneios hyper turbo. Os bons jogadores usam e abusam de todas as suas opções, variando suas ações entre limp, mini-raise, all-ins e por aí vai. Os jogadores fracos apenas tentam reproduzir estratégias de outros formatos, perdendo oportunidades de explorar os adversários.

Nesse artigo daremos diversos conselhos sobre as melhores maneiras de jogar uma mão pré-flop em HU hyper turbo, os quais o ajudarão a pensar como um profissional antes de tomar cada decisão. Também apresentaremos tabelas indicando a estratégia adequada para hyper turbo quando não tiver muitas informações sobre o oponente, que são muito úteis como partida para você mesmo criar a sua estratégia a partir dos conselhos que vamos lhe dar. Tenho certeza que o conhecimento exposto aqui aumentará consideravelmente os lucros de todos os jogadores de hyper turbo que o estudarem e o aplicarem com disciplina e dedicação.

Esta estratégia para pré-flop em heads-up hyper turbo será demonstrada em duas partes: o jogo em posição, a partir do SB, e o jogo fora de posição, a partir do BB. Vamos lá!

Jogo do SB

Alguns conselhos gerais sobre como jogar HU hyper turbo a partir do SB:

– Um dado muito importante que devemos ter mente ao jogar HU Hyper Turbo do SB é que se nosso oponente está foldando mais de 50% das vezes para nosso mini-raise, nós podemos dar raise lucrativamente com quaisquer duas cartas. Se começarmos a dar raise em toda mão que jogarmos do SB, foldando absolutamente nunca, é provável que o oponente comece a se adaptar e a estratégia deixe de ser lucrativa. Por isso, enquanto você não tem uma amostragem confiável de mãos que mostre que o oponente está foldando mais de 50% do BB, é recomendável você foldar uma vez ou outra. Porém, o que quero dizer é que se há indicações de que o vilão está foldando aproximadamente 50% das mãos ou mais do SB, você deve evitar o limp e o fold e dar raise agressivamente.

– Conforme os stacks efetivos diminuem, aumenta a frequência de 3-bet all-in do oponente. Você quer evitar que o oponente explore sua estratégia de dar raise agressivamente do SB. Ao diminuir os stacks, você deve aumentar seu range de limps. Seu range de limp deve ser composto por mãos com boa jogabilidade pós-flop, mas que na maioria das vezes não são suficientemente fortes para pagar um push, como JTo ou Q7s, que são mãos médias. Seu range de raise deve ser polarizado entre mãos fortes, que podem pagar um push e mãos fracas, que são um fold claro contra um all-in.

– A medida que você aumenta seu range de limp, muitos oponentes se adaptam dando raise agressivamente. Uma boa maneira de contra-atacar essa estratégia seria dar limp com pocket pairs e Ax baixos. Ao tomar um raise, você poderia dar um all-in. Muitas vezes os oponentes vão foldar. Quando você tomar call, essas mãos tem uma boa equidade contra o range do vilão.

– Evite ir all-in pré-flop em situações marginais contra oponentes fracos que estão dando 3-bet all-in agressivamente. Digamos que você está enfrentando um jogador recreativo, aparentemente bêbado ou tiltado, que vem dando 3-bet all-in com grande frequência. Tem K9s no SB, 20bbs de stacks efetivos. Mesmo que você possa pagar o 3-bet all-in do vilão lucrativamente, dado o seu range amplo, não vale a pena dar o mini-raise nessa situação. Seria mais lucrativo dar o limp e tentar jogar a mão pós-flop. Essa mão joga muito bem pós-flop e fará muito dinheiro contra um oponente que tende a cometer muitos erros. Sempre analise a maneira mais lucrativa de jogar a mão de acordo com as características do oponente. Mesmo que a mão seja forte o suficiente para pagar um push, isso não significa que o mini-raise seja a melhor maneira de jogá-la.

Estratégia para stacks efetivos entre 16 e 25 BBs

Essa é a fase do hyper turbo em que aparecem as melhores oportunidades de jogar pós-flop e explorar adversários mais fracos. Saber jogar corretamente a partir do botão nesse estágio do jogo é essencial para aproveitar essas oportunidades. Nosso range de raise pré-flop aqui foi construído de maneira polarizada, contendo as melhores e piores mãos e deixando as mãos médias para dar limp, conforme a tabela abaixo. Adotamos essa estratégia porque não queremos tiltar o oponente dando raise com grande frequência e fazê-lo ir de 3-bet all-in muito agressivamente, nos obrigando a foldar mãos médias com ótima jogabilidade pós-flop. Assim, optamos pelo limp com esse tipo de mão, a fim de termos mais chances de jogar o flop em posição e neutralizar um possível contra-ataque do vilão com re-steals agressivos.

tabela1 hyper turbo

Estratégia para stacks efetivos entre 10 e 16 BBs

Como os stacks estão menores, os jogadores de hyper turbo tendem a ir de 3-bet all-in muito agressivamente nesse estágio. Isso exige adaptações. Diminuiremos um pouco o nosso range de raise e aumentaremos nosso range de limp. O objetivo é impedir que os re-steals do vilão com mãos marginais sejam lucrativos. Muitos vilões tendem a dar all-ins sobre os nossos limps quando temos stacks desse tamanho. Por isso incluí as mãos premium em nosso range de limp como um armadilha para pegar seus all-ins agressivos contra nossa tentativa de jogar a mão dando limp.

tabela2 hyper turbo

 

Estratégia para stacks efetivos menores que 10 BBs

Muitos recomendam que devemos apenas ir de all-in ou fold nesse estágio do HU hyper turbo. É uma maneira muito limitada de jogar, pois deveríamos ir all-in com apenas 55% das mãos do SB quando temos, por exemplo, 10 bbs. Teríamos que descartar ótimas mãos para jogar do botão como T3s e 65o, o que certamente não é correto. A estratégia que recomendo é não ir all-in com algumas das mãos mais fortes desse range de 55% das mãos. Iremos de limp ou mini-raise com as nossas mãos mais fortes e balancearemos o range também dando limp com mãos que não são boas o suficiente para ir all-in. Com isso, o percentual de mãos jogadas do SB será maior que apenas 55%.

Você deve ir all-in de acordo com as recomendações da tabela abaixo, que foram calculadas de acordo com a Teoria do Equilíbrio de Nash. Com um stack entre 10 BBs e 7 BBs, há algumas situações em que você não deve seguir a tabela e optar pelo limp ou raise. O range para fazer isso é indicado abaixo da tabela. Com menos de 7 BBs, suas ações devem se limitar a push ou fold e você deve seguir inteiramente as recomendações da tabela.

tabela3 nash hyper turbo

 

Como a tabela funciona: a tabela indica o número de big blinds de stacks efetivos a partir do qual passa a ser lucrativo ir all-in com uma determinada mão. Por exemplo, segundo a tabela, nós devemos ir all-in com J7o quando os stacks efetivos são 8.5 BBs ou menos. Há diversas mãos com as quais podemos ir all-in até mesmo quando temos mais de 10 BBs, porém acredito que limitar nossas ações a all-in ou fold quando temos mais de 10 BBsnão é a maneira mais lucrativa de jogar, portanto só usem a tabela em situações em que os stacks são menores que 10 BBs.

Situações nas quais você não deve seguir a tabela (stacks efetivos entre 7 e 10 BBs)

– Raise 50% das vezes: AA-TT, AK-AT, KQ-KT, QJ;

– Limp 50% das vezes: AA-TT, AK-AT, KQ-KT, QJ;

– Raise: todas as cartas suiteds e que, de acordo com a tabela, não são fortes o suficiente para ir all-in;

– Limp: Q6o-Q4o, J7o-J6o, T7o-T6o, 96o, 86o, 75o, 65o, 54o.

 

 Jogo do BB

Alguns aspectos devem ser levados em conta para tomar a melhor decisão ao jogar do BB em heads-up hyper turbo:

– Ao dar um mini-raise do botão, o oponente realiza um lucro imediato se você está foldando mais de 50% das vezes do big blind. Se você folda demais, é lucrativo para o oponente dar raise com quaisquer duas cartas. Não importa que você tenha lido que “é importante jogar tight fora de posição”. Jogar menos da metade das mãos versus um mini-raise do small blind é uma falha grave nessa posição em hyper turbo. Você não pode permitir que seu oponente o explore tão facilmente, portanto prepare-se para jogar muitas mãos fora de posição.

– Quanto menores os stacks efetivos, maior é a recompensa por roubar o pote pré-flop. Afirmo isso baseado em matemática simples: enquanto que com 25 BBs seu ganho percentual por roubar os 3 BBs (1 BB seu do BB + 2 BBs do mini-raise do vilão) existentes no pote pré-flop seria de 12%, com 15 BBs o acréscimo seria de 20%. Os incentivos para roubar o pote com um 3-bet all-in com mãos marginais como 75s aumentam. Por isso, você deve aumentar sua frequência de 3-bets conforme os stacks vão diminuindo.

– Cartas suited e conectadas baixas funcionam melhor como steal, broadways jogam melhor pós-flop. Apesar de uma mão como QJo ser mais forte que uma mão como 86s, sua equidade contra o range de call em um 3-bet all-in da maioria dos vilões, composto por muitas cartas altas que a dominam, é menor. Ao mesmo tempo, se você apenas dá call com QJo, mantém no pote uma infinidade de mãos piores. Quando você e o vilão acertam um top pair no flop, quase sempre o seu será mais forte e você provavelmente tomará todo o stack dele. Por outro lado, 86s raramente acerta top pair e, a não ser que forme uma mão muito forte como dois pares ou maior, dificilmente domina o range do oponente quando ambos vão all-in no flop. Dando preferência ao call com broadways e 3-bet all-in com suited connectors, você explora melhor as potencialidades de cada mão.

– Uma arma bastante poderosa que temos a nosso dispor ao jogar do SB é a 3-bet sem ir all-in. Quando o oponente dá um mini-raise, nós fazemos um reaumento para um valor entre 2.25 e 2.5 BBs. Podemos usar esse recurso tanto para blefar, se acreditamos que o oponente irá foldar com frequência, quanto por valor, para induzir o oponente a entrar no pote com mãos mais fracas, que não pagariam um push. Seguir algumas regras maximiza o potencial de lucro dessa jogada:

* Não faça o 3-bet sem ir all-in por blefe com mãos que seriam lucrativas de jogar dando call ou 3-bet all-in. Exemplo: você está jogando contra um oponente que abre raise com 70% das mãos do button. Acreditando que ele irá foldar com grande frequência, você dá um 3-bet sem ir all-in com 96s, então ele dá 4-bet all-in e você folda. Não teria sido melhor simplesmente dar all-in e obrigá-lo a foldar uma mão como A2o? Em razão disso, a escolha mais adequada para dar a 3-bet seria uma mão do tipo 83s. O 3-bet all-in com essa mão não seria lucrativo ou no máximo marginalmente lucrativo. Tampouco o call para jogar pós-flop seria uma jogada com grande potencial. A melhor escolha certamente seria o 3-bet sem ir all-in. Se o oponente volta all-in, você pode foldar com a consciência tranquila de que não havia maneira melhor de jogar essa mão.

* Se você faz um raise para 2.25 BBs sobre o mini-raise do vilão e ele folda mais de 53% das vezes, você obtém um lucro imediato pré-flop mesmo que desista do pote nas vezes em que ele é jogado pós-flop. Em caso de raise para 2.5 BB, o vilão deve foldar 57% das vezes. Teoricamente, você poderia dar 3-bet lucrativamente com quaisquer duas cartas se o oponente folda com essa frequência. Na prática, ele provavelmente irá se adaptar se você abusar dessa jogada. De qualquer forma, são dados que você deve analisar quando está considerando fazer uma 3-bet light. Se a frequência de fold do oponente é maior do que a indicada, dê 3-bet light agressivamente.

 

Estratégia para stacks efetivos entre 16 e 25 BBs

Sendo essa a fase mais deepstack do hyper turbo, e levando em conta o conselho de que quanto menores os stacks maior a recompensa pelo steal, devemos priorizar o jogo pós-flop, que é onde há as melhores oportunidades para explorar jogadores piores. Quando se trata de 3-bet por blefe, as 3-bet sem ir all-in devem predominar.

Não há como estabelecer uma estratégia pré-flop que explore ao máximo qualquer jogador que você enfrentar. Cada jogador tem suas próprias tendências e por isso é muito importante percebê-las rapidamente e se adaptar de acordo. Pela minha experiência, os jogadores abrem raise do botão em média algo como 50-60% das vezes. Na estratégia que eu recomendo abaixo, eu considero também que estamos com stacks efetivos de 20 BB e o BB pagará o nosso push com um range de AA-55, AKo-A6o, AKs-A4s, KQs-KTs e QJs. Use a estratégia enquanto não tiver muitos reads do oponente, porém seja ágil em analisar suas tendências e se adaptar.

tabela4 hyper turbo

 Observações importantes

– Evite steals com mãos marginais quando os stacks efetivos forem maiores que 20 BBs, a não ser que tenha reads que indiquem uma mudança de estratégia.

– Se o vilão está dando raise mais de 70% das vezes do SB, comece a puni-lo com steals mais agressivamente, sempre tomando o cuidado de escolher as mãos adequadas para fazer isso.

Estratégia para stacks efetivos entre 10 e 16 BBs

Nessa fase do hyper turbo devemos 3-bet all-in mais agressivamente, seguindo o raciocínio de que quanto menores os stacks maior a recompensa pelo steal pré-flop. Cartas suited e conectadas baixas, até mesmo com um ou dois gaps (96s, 64s, 85s, 74s etc), são excelentes para isso. Sempre vá all-in com seus pares baixos e todos os Ax. O 3-bet sem ir all-in por blefe deve ser evitado, já que os stacks estão pequenos demais para dar margem a um raise sem ficar comprometido com o pote. Devemos também diminuir um pouco o range de call no mini-raise do vilão.

 

Estratégia para stacks efetivos menores que 10 BBs

A tabela abaixo representa a estratégia padrão recomendada pela Teoria do Equilíbrio de Nash. É importante observar que essa estratégia assume que oponente está indo all-in até mesmo com mãos premium como AA-QQ. Isso não é verdade na maioria do casos e muitos oponentes vão ir de mini-raise ou limp até mesmo com Ax e mãos como KQ e QJ. Ao observar isso, você deve se adaptar, dando call com um range mais amplo que o recomendado na tabela.

 

tabela5 nash hyper turbo

Conclusão

Apresentamos algumas tabelas com a estratégia básica para jogar nas situações mais frequentes em um jogo de HU hyper turbo. Também damos diversas dicas que vão lhe ajudar a analisar e pensar por si próprio antes de tomar uma decisão. Assim, você se torna capaz de adaptar a estratégia de acordo com o oponente, o que é fundamental para obter um bom ROI (return of investment) em heads-up hyper turbo.

Algumas situações pré-flop acabaram não sendo abordadas aqui, para que o artigo não ficasse muito extenso e poderão ser tratadas futuramente, porém tudo que é essencial sobre o jogo pré-flop em heads-up hyper turbo não ficou de fora e se você estudar e aplicar tudo que foi ensinado aqui com dedicação certamente se tornará um jogador muito melhor de hyper turbo.

 

Artigo escrito pelo usuário do Fórum MaisEV Lucas “WinnerFish” Verran

 

Curta a página do MaisEV no Facebook siga-nos no Twitter.

Leia o Sit & Win e aprenda a dominar todas as formas de sit and go!


Veja mais:

Salas de Poker