Poker Live e Comportamento

Por: 23/09/2010

Jogando online podemos (poder não significa que devemos) fazer quase qualquer coisa que quisermos, bater na mesa, quebrar mouse, comemorar de forma extensiva uma jogada genial ou 2 outs no river. Podemos xingar no chat, dar a famosa falinha, podemos até mesmo humilhar o outro jogador por um simples motivo, não estamos olhando no rosto das outras pessoas e provavelmente nunca iremos olhar. Isso torna o jogo de poker extremamente solitário e individual, onde praticamente o que importa é ganhar e destruir quem estiver no seu caminho. Eu arriscaria dizer, que em casos mais extremos não vemos nossos advesários como outras pessoas, e sim como vilões de video game que merecem morrer da forma mais violenta possível, com o combo mais longo ou com o fatality mais sangrento.

A maioria dos jogadores online quando vai pro jogo live acaba levando esse comportamento e tornando por vezes o jogo chato e desconfortável pra todo mundo.

Esse pequeno detalhe, de estarmos olhando nos olhos de nossos adversários torna tudo diferente, um donkey que entrega seu stack de maneira boba com top pair sem kicker, pode ser um senhor extremamente gente boa, e aquela sensação de overkill do online torna-se piedade com um cara que apenas não sabe o que está fazendo. Não quero dizer com isso que não devemos ganhar dinheiro, mas a sensação pra mim e pra outros profissionais de live é diferente.

Vou listar alguns comportamentos que eu acho dispensável no jogo ao vivo e que podem, como eu disse, melhorar a sua experiência de jogo.

Dar falinha ou fiscela.

Falinha ou fiscela é o ato de falar algo com a intenção de induzir o outro jogador a pagar a mão. Isso soa extremamente desonesto e é considerado uma falta grave na maioria dos jogos. Em jogos mais caros ou jogos mais fechados, onde o field é sempre o mesmo, pode ocorrer, em casos extremos, de ser retirado o pot do vencedor se ele induziu o call apenas com a fiscela. A melhor atitude possível quando se faz uma aposta em que o outro jogador tem que pensar é ficar quieto, mesmo com a outra pessoa fazendo a clássica pergunta “Está muito grande?”.

Comemorar ou criticar de maneira ostensiva.

Comemorar, pra mim pelo menos, é totalmente desnecessário. É como se você estivesse jogando na cara da pessoa o quanto foi superior naquele momento. Em poucos momentos na vida precisamos demonstrar que fomos superiores, os fatos sozinhos já dão conta disso. A sensação de perder uma mão grande já é ruim o suficiente, pra ter de se aturar alguém gritando do outro lado. Se é ruim passar por isso, por que não poupar o outro dessa sensação?

Por outro lado, ao perder a mão não fique procurando um culpado. Ficar criticando alguém por um call ruim, é das atitudes mais hipócritas que existem no poker. Quantos menos outs o outro jogador tiver, mais queremos que ele pague, então criticá-lo quando ele acerta seus poucos outs, não me parece muito correto, nem muito inteligente, já que esse call é sempre o que buscamos no poker.

De maneira curta e grossa, a pior coisa a se fazer é comemorar quando não somos favoritos, acertou 3 outs no river? Legal, guarde pra você. Nada pior do que tomar uma bad beat monstruosa e ter um sem noção a sua frente comemorando como se tivesse feito a melhor jogada do mundo.

Pedir Showdown.

Jogando online sempre que existe um showdown com muck eu confiro o que estava na mão do vilão por informação, é uma coisa bem básica a se fazer, é simples e não constrange ninguém. Já ao vivo, é sempre constrangedor quando alguém demonstra claramente que perdeu a mão, esconde as cartas, e alguém na mesa pede o showdown, principalmente quando esse alguém é quem ganhou a mão, aí não há nada mais antiético. Ao contrário do que imagina a maioria das pessoas, a regra de showdown existe para se evitar a prática de collusion, e não para que se obtenha informação sobre o range. Se você não sabe calcular o range de uma mão que chegou ao river com um vencedor dando showdown e outro dando muck, provavelmente tem algum leak no seu jogo.

Não socializar.

Ao contrário do jogo online o jogo ao vivo é um jogo social. Grande parte de quem joga ao vivo, o faz para socializar com outros jogadores. Sim, vivemos em um país onde poker é considerado gambling (gambling é diferente de jogo de azar, me refiro aqui a atitude gambler que não é bem vista pela nossa cultura), e um jogador só consegue se sentir aceito em um ambiente de jogo. Por isso, a socialização é parte fundamental do jogo, só ali se encontram uma maioria de pessoas que possuem uma concepção sobre o gambling parecida com a sua. Então não faz muito sentido ir jogar de iphone e cara feia, socialize-se e torne o jogo melhor para você e para todo mundo.

Particularmente eu cheguei a conclusão que ganhar é fundamental no poker ao vivo, mas é conseqüência e não finalidade. Isso quer dizer que existem coisas mais importantes do que ganhar quando se joga regularmente com um grupo de pessoas.

Colaborar para um bom ambiente, ser bem vindo a mesa, ser agradável com todos, desde os dealers até o dono da casa, tudo isso é fundamental para que, como consequência, se ganhe mais dinheiro.

Até o próximo artigo, um abraço

José Irineu


Veja mais:

Salas de Poker