Não Se Envolva Emocionalmente

Por: 22/07/2011

Pra não deixar uma lacuna tão grande, fiquei pensando no que eu poderia trazer de útil pra vocês aqui e lembrei de uma leitura que mudou muito minha maneira de pensar no poker.

Havia certa vez um rei muito bondoso que já se encontrava no fim de sua vida.

Certo dia pressentindo a chegada da morte chamou seu único filho, tirou do dedo um anel e disse:

– Meu filho, quando for rei leva sempre contigo este anel. Nele há uma inscrição. Quando estiveres vivendo situações extremas, de glória ou de dor, tira e lê o que há nele”.

O rei morreu e o seu filho passou a reinar em seu lugar sempre usando o anel que o pai deixara. Passado algum tempo surgiram conflitos com um reino vizinho que acabaram culminando numa terrível guerra.

O jovem rei, a frente de seu exército, partiu para enfrentar o inimigo.
No auge da batalha seus companheiros lutavam bravamente, mortos, feridos, tristeza, dor.

O rei lembra-se do anel, tira-o e lê a inscrição: “Isso vai passar!”
E ele continuou a luta, perdeu algumas batalhas, vence outras, mas ao final saiu vitorioso.

Retorna então ao seu reino e coberto de glória entra em triunfo na cidade. O povo o aclama.

Fazem dele um grande herói.

Neste momento ele se lembra de seu velho e sábio pai, tira o anel e lê: “Isso va passar!”

Eu não sou muito de contos inspiradores, mas este realmente tem muito a ver com o poker e como nós lidamos com nossas emoções. Esses dias conversando com o Sketch, ele apontou pro fato de como o David Baker (namorado da querida Maridu) possui um jogo estável e está sempre em reta final.

Nós latinos somos muito mais passionais, vide a festa maravilhosa que a galera fez no WSOP #43 onde o Akkari fez história. Acabamos nos envolvendo emocionalmente com o jogo e isso é fatal e uma grande fonte de erros. Eu particularmente acho que um jogador ideal tem que ter um equilíbrio entre intuição e pensamento, mas tem que ter 0 de sentimento na mesa.

Toda vez que você comemora um pote ou xinga porque perdeu um pote, bate na mesa, grita ou tem qualquer reação violenta você se envolveu emocionalmente no jogo e suas decisões vão ser afetadas por um terceiro componente que é o sentimento. Emoção é fundamental a qualquer ser humano, alias é em grande parte o que nos torna humanos, mas saber suprimir isso em uma mesa é um dos fatores que diferencia jogadores de nível internacional de amadores.

Vamos pegar por exemplo a mesa final do Akkari. Foi um heads up muito duro de mais de 5 horas. A torcida foi um show a parte, gritando até quando acontecia walk. Pra um novato seria muito fácil se envolver emocionalmente ali por diversos fatores

  • – Ganhar um bracelete e como isso muda a vida de um jogador;
  • – A emoção de ter seu nome gritado pelo salão;
  • – Milhares de mensagens de torcida via twitter;
  • – Carregar o nome do Brasil nas costas;

Se esses fatores colocarem seu sentimento no que compõe o processo de tomar uma decisão, fatalmente você vai errar porque vai foldar uma mão com medo de errar ou vai dar call pra mostrar pra torcida e esses não podem nem de longe motivo pra tomar nenhuma decisão na mesa.

Manter o sentimento fora da partida não é fácil e como tudo, requer treinamento. Uns podem ter mais facilidade, outros mais dificuldade, mas a atenção e principalmente a vontade de melhorar farão você melhorar nisso.

Lembre-se que qualquer período bom ou ruim vai passar, isso pra mim foi fundamental pra aprender a não se apegar ao momento. Pense duas vezes antes de reclamar ou comemorar excessivamente alguma coisa, já é um excelente começo pra não se deixar envolver emocionalmente nos panos.

Pra comentários de 140 caracteres desprovidos de sentimento, siga-me www.twitter.com/joseirineu

Um abraço e até o próximo artigo.


Veja mais:

Salas de Poker