Motivos Para Apostar no Poker: Parte 3 – Apostas Por Proteção

Por: 29/01/2016

Continuamos aqui série de artigos sobre os diversos motivos para apostar no poker: Blefe, Valor, Proteção, Equidade, e apostas com múltiplos objetivos

Nesta terceira parte, vamos nos debruçar sobre um dos tipos de apostas mais incorretamente utilizados: as apostas por proteção

Mas antes de continuar a leitura, confira os artigos já publicados desta série:

QUAIS SÃO OS MOTIVOS PARA APOSTAR NO POKER? PARTE 1: O BLEFE

MOTIVOS PARA APOSTAR NO POKER: PARTE 2 – APOSTAS POR VALOR

poker_bets

 

Eu defino uma aposta por proteção como qualquer aposta que gera EV ao fazer um oponente foldar uma mão corretamente. Então este EV é gerado ao fazer o oponente foldar, e é gerado pela reação correta do oponente.

Isso é uma grande contradição aos dois primeiros motivos, onde em qualquer caso, o EV vem do erro dos oponentes. Apostar por proteção gera EV de um oponente NÃO cometer um erro. Como isso é possível?

1. Virtualmente todas as vezes, uma aposta por proteção será feita antes do river contra uma mão que tem equidade diferente de zero. Então o EV é gerado pelo fato de que um draw vivo não verá outra carta. Vejamos um exemplo:

Estamos heads-up e estimamos que o vilão nos vence 28% das vezes e nunca vai foldar uma mão que esteja na frente. Já que o vilão nunca folda a melhor mão, um blefe claramente vai falhar. Então a pergunta é, uma aposta funcionaria como aposta por valor? Para que a resposta seja sim, o vilão precisa pagar com mais de 56% de seu range médio – então as  28% de vezes que ele está forte serão superadas pelas vezes em que ele é vencido. Se ele pagar com mãos que nos vencem 28% das vezes, mas pagar com mãos que nós vencemos 30% das vezes, então nossa aposta é bem-sucedida como aposta por valor. Mas se as únicas vezes em que ele paga são as 28% das vezes em que estamos perdendo, então claramente não podemos apostar por valor e devemos dar check.

Se o pote for $100, o EV do check é (.72) (100) = $72.

Agora, aqui é que está o estigma ligado a apostas por proteção. Vamos retomar o exemplo. Estamos no turn. O pote é $100. Digamos que há dois componentes no range do vilão: 10% do range é de mãos que nos deixam drawing dead, e ou outros 90% são de draws que tem 20% de equidade contra nós. (Os números foram escolhidos para que, se dermos check behind no turn, estejamos pra trás 28% das vezes no river – as 10% que já estamos perdendo e 18% que vem do vilão acertar um draw de 20% 90% das vezes). E digamos que nós conheçamos suficientemente bem o vilão para saber que se cobrarmos 4:1 de seus draws no turn, ele vai foldar corretamente, o que quer dizer que cada uma das vezes que temos ação, estamos perdendo.

Muitas pessoas vão dizer “bem, já que sabemos que nunca seremos pagos por uma mão pior, e nunca vamos foldar nossa mão melhor, uma aposta não funciona como valor ou blefe, então temos que dar check behind.”

A lógica é válida no river, mas não quando há mais cartas para surgirem. Digamos que se dermos check back no turn, o vilão sempre dará check no river se estiver nos vencendo ou mesmo se tiver um draw que não bateu. Isso significa que nosso EV para toda a linha é $72.

Mas se apostarmos $60 no turn, o vilão pagar ou aumentar 10% das vezes e sempre estiver à frente quando o fizer, e foldar as outras 90% das vezes, desistindo de 20% da equidade do pote, o EV da jogada é (.1)(-60) + (.9)(100) = 90-6 = 84.

Nós ganhamos $12 em EV ao atirar contra as mãos com draw no turn, mesmo que a aposta tenha falhado como blefe ou como valor!

Então $18 de EV foram gerados por arrancar $18 da equidade do pote do nosso oponente, contrabalanceando a perda de $6 por encontrar mãos melhores às vezes. Isso nos leva ao próximo ponto…

2. Apostas por valor e blefes tanto podem “ter sucesso” quanto “falhar”, no sentido de que nós induzir um erro (sucesso) ou não (falha). Entretanto, apostas por proteção são diferentes. Você pode pensar que uma aposta por proteção “bem-sucedida” é quando nosso oponente folda corretamente um live draw, mas eu não considero isso uma aposta por proteção bem-sucedida – considero uma aposta por valor fracassada! Olhando por esse lado, apostas por proteção não podem ser “bem-sucedidas” mas podem “falhar.”

pokerbetNa minha opinião, há duas maneiras pelas quais uma aposta por proteção pode falhar. A mais óbvia é quando nós danos ao nosso oponente um call +EV com um live draw. Um exemplo óbvio seria se o pote tem $100, nós temos um overpair menor que Ases, nosso oponente tem o nut flush draw, e nós apostamos $40. Ele está recebendo 7:20 mas sua mão vai melhorar no turn 12 (ou mais) vezes em 45. Se ele pagar, esse call claramente será lucrativo e nossa aposta falhou como uma aposta por proteção (e também falhou como uma aposta por valor já que ao pagar ele não está cometendo um erro).

Outro exemplo menos óbvio de dar ao nosso oponente um call +EV é quando nós negamos ao nosso oponente odds imediatas, mas nossa mão é forte o suficiente que quando combinada com nosso call após ele acertar a mão, seus implied odds lhe dão um call +EV. O exemplo anterior de pagar uma aposta de ¼ do pote com um gutshot para quebrar top set porque as pot odds e stack odds combinadas são 23:1 é um bom exemplo disso.

Talvez o exemplo ainda menos óbvio seja quando nosso oponente tem um call +EV especificamente porque ele pode nos blefar para fora do pote mais tarde. Se nós temos 88 em um board 962 e há um possível flush draw, e nós apostamos metade do pote fora de posição, nosso oponente provavelmente tem um call +EV (ou até mesmo um raise), com muitas, muitas mãos que vencemos. Por exemplo, se nosso oponente tem 87 sem o flush draw, às vezes ele vence ao completar o straight; outras vezes ele pode blefar em uma carta de flush ou um overcard ou qualquer outra. Às vezes, quando nós sabemos que ações futuras tenderão a ser –EV para nós, pode ser OK apostar apenas com a intenção de encerrar a mão agora. Isso seria considerado um blefe se não tivéssemos a melhor mão, mas eu considero uma aposta por proteção quando temos. (Eu penso nisso como proteger a mim mesmo, ao invés de proteger minha mão).

3. Há uma outra maneira pela qual uma aposta por proteção pode ser ruim, além de dar um call +EV a um draw. Estou me referindo ao tamanho das apostas por proteção ser muito alto. Vejamos o exemplo acima no turn onde estamos drawing dead 10% das vezes e nosso oponente tem um draw de 4:1 90% das vezes. Nós calculamos que o EV de dar check seria $72 e o EV de apostar $60 era $84.  Nós geramos $18 ao fazer draws foldarem e perdemos $6 ao encontrar com uma mão melhor. Mas e se apostarmos $70? O EV por draw foldarem ainda será $18, mas agora, as 10% das vezes em que recebermos ação nos custarão $7 em EV ao invés de $6. Então nós perdemos EV por fazer uma aposta muito alta. Se nós sabemos que estamos apostando por proteção – que, com certeza, é extremamente raro em limites menores porque podemos extrair valor com frequência – então a aposta por proteção deveria ser a menor quantia que faça o call de draws ser –EV. Isso minimiza o risco de encararmos uma mão melhor.

Este é um exemplo muito comum que os donkeys cometem. Não só eles intencionalmente apostam por valor com muita frequência, mas eles acham que apostas por proteção devem ser altas para deixar óbvio que draws “tem que” foldar. Eles não só não pensam sobre valor vs. Proteção, mas também não pensam sobre o quanto perdem quando não estão vencendo.

Vejamos um exemplo de uma mão que aconteceu de verdade:

Os stacks efetivos são $410.

Pré-flop: Chega em fold até o Herói em MP com XXHerói aumenta para $25, Vilão 1 paga do HJ, Vilão 2 paga do button, Vilão 3 paga do SB. BB folds.

Flop ($105): A98rb.

V3 check, Herói check, V1 check, V2 aposta $385, V3 fold, Herói ?

Vamos ver esta mão pela perspectiva do vilão. Ele está no BTN com ATo e $410 de stack efetivo, e ele pagou meu raise de $25 depois de outra pessoa já ter pago. O flop vem A98 rainbow, então ele tem top pair com um kicker medíocre.  Todos dão check até ele, então ele acredita que tem a melhor mão. Mas aqui ele comete dois erros:

1) Ele se convenceu de que sua mão é fraca o bastante para que ele não queira que ninguém pague, apesar de acreditar que tem uma boa mão.

2) Ele se convenceu de que, já que não quer ser pago, deve apostar alto o suficiente para garantir que vai levar o pote imediatamente.

Então o vilão apostou 385 em um pote de 105. O que essa aposta faz é garantir que o vilão não será pago por uma mão pior. Entretanto, ele ainda pode ser pago por uma mão melhor. E, de fato, foi exatamente o que aconteceu – ele acabou sendo pago e perdeu a mão (para mim).

A mentalidade do vilão de que a mão é muito fraca para ele querer ação é muito ruim. Mas ele também cometeu o erro de apostar alto demais. Se ele queria fazer uma aposta para forçar todos a desistirem, poderia ter apostado $150 ou $175 e obter os mesmos resultados! O péssimo cálculo no tamanho das apostas o levou a perder mais de $200 em uma mão que ele não precisava perder.

Se os princípios por trás do tamanho das apostas por proteção parecem similares aos do tamanho das apostas por blefe, eu não acho que isso é um acidente. Em ambos os casos, o EV é gerado por um fold, então nosso oponente não coloca dinheiro no pote a menos que nós (provavelmente) percamos a mão. Isso quer dizer que demos calcular o tamanho das apostas para perder o mínimo possível quando o oponente não foldar.

Um último comentário sobre apostar por proteção: Compreender a mentalidade por trás de mãos como ATo pode ser algo muito valioso contra vilões que usam essa mentalidade defeituosa. Isso pode nos ajudar a coloca-los num range apropriado quando fizeram apostas altas que não fazem sentido como apostas por valor ou blefes.

 

Este texto é uma tradução livre do artigo Concept of The Month: Reasons for Betting.

 

Curta a página do MaisEV no Facebook siga-nos no Twitter

 

APRENDA MAIS SOBRE ESTRATÉGIA DE POKER COM OS LIVROS DA LOJA MAISEV

Historiador por formação, conheceu o MaisEV em sua primeira semana de vida, ainda em 2007. Em pouco tempo, tornou-se editor-chefe do site para fazer o que faz de melhor: escrever.

Veja mais:

Salas de Poker