Jogando Fora de Posição em Cash Game Full Ring

Por: 16/03/2010

Eu decidi me concentrar principalmente no jogo no Flop, mas vão haver menções sobre jogo pré-flop e alguma informação sobre jogo no Turn. Eu estou tentando escrever isto de uma perspectiva teórica (o quanto eu conseguir), então por favor estejam cientes enquanto lêem isto, que contra muitos vilões é melhor jogar de forma “incorreta”. Por exemplo, não há necessidade de balancear o seu range (e eu até diria que é de fato ruim, em muitos spots) contra um cara que não está prestando atenção no jogo e que você não o vê nas mesas com muita freqüência.

Jogando OOP:

Antes de eu começar a falar sobre as linhas de jogo específicas e coisas do tipo, eu quero fazer algumas considerações gerais sobre jogar fora de posição:

– Posição é importante. Sim eu sei, vocês todos já escutaram e leram isso antes. E eu também tenho certeza de que muitos de vocês aí vão pensar “é…claro…eu sei que posição é importante, agora vamos pra parte interessante da coisa”. Mas aqueles dentre vocês que estão no mesmo nível que eu estava quando comecei a grindar micro limits FR provavelmente não entendem REALMENTE o quão importante é. E mesmo sabendo que eu melhorei bastante desde meus dias de micro FR, eu também tenho 100% de certeza de que ainda existem coisas relacionadas a posição que eu ainda não aprendi. Então meu ponto aqui é: Todos que já leram um livro sobre poker, ou vem participando do MaisEV por um curto período já sabe que posição é importante.

Contudo, existe uma enorme diferença entre SABER e ENTENDER, e esta última requer muito trabalho. E é só quando você entende algo, que é capaz de torná-lo parte do seu jogo de uma forma não robótica. Espero que isso não soe ofensivo ou, ainda pior, desencorajador, porque não essa a intenção. É mais um aviso de que leva muito tempo e esforço pra ter uma melhor compreensão de como posição deveria influenciar a sua tomada de decisões.

– Sempre que você entra em um pote de uma posição que muito provavelmente vai fazer você jogar OOP depois do flop, você está conscientemente aceitando ter uma grande desvantagem. Quando você da call em um raise nos blinds, você sabe que vai jogar o pote OOP. Quando você da raise in EP também é bem provável e mesmo que você abra do cutoff, você não tem garantias de jogar em posição depois do flop. Esta é uma razão de porque você deve estreitar o seu range de mãos a medida que você se afasta do button.

No poker existem 3 vantagens que você pode ter sobre seu oponente (agradecimentos aos vídeos do Baluga Whale, de onde eu tirei esses conceitos). Essas vantagens são: habilidade, cartas e posição. Então sempre que entrar em um pote em uma posição que você certamente, ou muito provavelmente, vai acabar jogando OOP depois do flop, seu oponente tem a vantagem da posição. Para balancear, é melhor que você tenha uma boa vantagem nas cartas ou na habilidade (Essa podem ser várias coisas, como ser um melhor jogador em geral, ou ter uma boa leitura do vilão e suas tendências, que lhe permitam tomar boas decisões contra ele no pós-flop, etc.).

Eu vou separar 2 diferentes cenários. Um é quando você da raise PF e é pago por um jogador que tem posição sobre você, o outro é quando você da call em um raise estando OOP, o que é mais comum nos casos que você está nos blinds. Então no primeiro cenário você está tendo a iniciativa da aposta enquanto no segundo você pagou a aposta PF. Eu vou focar em potes heads-up, mas vou fazer comentários sobre como se adaptar a potes multiway (vários jogadores). Os exemplos citados são de jogos 6-max pois é isso que tenho jogado atualmente, embora eu não acredite que isso importe. Todas as linhas de pensamento também funcionam perfeitamente em uma mesa Full Ring desde que você se ajuste à dinâmica da mesa e aos vilões na mão.

Jogando OOP sendo o pré-flop raiser (primeiro jogador a ter a iniciativa de dar raise PF)

Ajustes pré-flop

Sempre que você abre o pote com um raise, tendo jogadores com a mesma habilidade que a sua, é preferível ter sua aposta paga por um dos blinds e jogar a mão em posição do que ser pago um por jogador em LP. Infelizmente isso nem sempre acontece e quando mais inicial for a sua posição, maiores as chances de você terminar OOP no pós-flop. Existem duas coisas que você pode fazer para justificar dar um raise em uma posição inicial, ou no SB, o risco de ficar OOP pós-flop é maior: Você deve dar raise com um range forte, o que basicamente significa dar raise com mãos que você acredita serem lucrativas no longo prazo, mesmo que algumas vezes você as tenha que jogar OOP ou em um pote multiway e também levando em consideração as vezes que alguém depois de você vai ter um monstro. (Além disso, pelo menos de um ponto de vista teórico, você deveria incluir algumas mãos para enganar/balancear, e que podem não ser +EV por si só mas ajudam você a lucrar mais com as mãos fortes).

A segunda coisa que você pode fazer é aumentar o valor de seu raise a medida que sua posição pré-flop piora. Isso é aberto a debate, mas na minha opinião faz mais sentido dar raises maiores em EP ou no SB do que em LP. Por exemplo (é assim que eu faço) você pode fazer 4x em EP, 3.5x em MP e 3x em HJ/CO (Hijack e Cutoff), 2.5x no button e 4x no SB. Isso possui várias vantagens: Em EP e no SB você reduz a vontade dos oponentes em dar call no seu raise, e se algum oponente der call, você cria um pote maior quando seu range é forte e você reduz o SPR (Stack to Pot Ratio – Relação do Pote com o seu Stack de fichas), o que é bom quando você tem que jogar sua mão fora de posição porque quando os stacks ficam menores, sua desvantagem de posição diminui também. Por outro lado, quando você está no button, você perde menos quando recebe uma 3bet e os jogadores nos blinds ficam mais propensos a dar call no seu raise, o que é bom, pois você normalmente deve ser capaz de superá-los estando em posição.

Dito isto, vamos dar uma olhada no seu arsenal quando você acaba jogando um pote heads-up OOP.

A C-Bet (Continuation Bet)

Eu só quero ressaltar alguns pontos importantes:

– A textura do flop tem grande importância: C-bet padrão é algo bem simples de aprender, especialmente para os jogadores de micro limits lendo este texto, ter uma idéia decente sobre quais os flops que são bons para C-bet e quais não são devem ajudá-lo bastante.

– Mude o tamanho/valor: Por favor não seja relaxado com suas C-bets. Contra jogadores que não restam muita atenção (que não são somente os fishes, mas também os regs que jogam MUITAS mesas ao mesmo tempo), excluindo algumas circunstâncias bem específicas, não há razão que me venha a cabeça para C-betar mais de 1/2 pote em um flop como A83 random com “air”. Ou se você tem TT em um flop T87 “bicolor” (possibilidade de flush) eu não tenho idéia de por que você apostaria menos de 2/3 do pote (eu prefiro mais) contra alguém que está pensando somente nas próprias cartas e não se ajusta aos tamanhos de apostas (a menos que você comece a dar muitas overbets ou minibets).

Se você está com medo de demonstrar tendências para o seu oponente, eu recomendo ter um valor fixo baseado na textura da mesa, embora isso não seja necessário contra a maioria dos oponentes que você vai encontrar nos micro limits (e nos small limites também).

Check-Fold

Novamente, você deve ter uma boa noção de textura de mesa e ranges. Quando dar C-F é extremamente dependente do vilão e também depende da sua posição. Mas em geral você deve C-F em spots em que você pense que uma C-bet vai ser paga ou aumentada com freqüência suficiente para não mostrar lucro imediato. Se por exemplo, você apostar $2 em um pote de $3, você precisa ganhar 40% as vezes para ficar breakeven. Então, se você espera que o vilão dê call mais de 60% das vezes e você não acredita que possa continuar quando receber o call, você deve simplesmente desistir. Vamos ver um exemplo:

Você abre em UTG+1 com AJ e um cara TAG da call do CO. O range dele lá é qualquer PP (pocket pair – Par feito), alguns conectores naipados, talvez alguns gappers naipados (gappers são conectores com uma “falha” entre eles…tipo 9Js, 57s, JKs), Talvez alguns Ax naipados e algumas mãos premium. O flop vem 874 dois tons. Quando você da C-Bet, provavelmente qualquer PP vai dar call, muitos conectores também, então existe uma parte do range dele que vai estar em FD (Flush Draw) e se ele for malandro ele pode ainda dar um float com Air. Este é um spot onde você deve simplesmente jogar C-F, especialmente se você pensar que ele só vai dar flat call no flop com 2 pares+ e você não se sente confortável para disparar múltiplas barreiras.

Outro exemplo pode ser quando você da raise com 55 do HJ e o jogador no button, que é um grande “calling station” (jogador que só paga, e paga QUALQUER aposta), da call no seu raise. O flop vem QJ8 com Flush Draw e você pensa que o button está dando call com um Gutshot ou melhor. Nesta situação, eu realmente duvido que ele vá dar fold tão freqüente quanto deveria a ponto de fazer sua C-Bet ser lucrativa, e blefar em múltiplas streets contra um calling station é realmente uma má idéia.

Check-Call

Esta é uma linha que você deve usar menos e também é uma que eu não gosto muito. Muitos jogadores simplesmente não tem essa jogada em seu arsenal quando eles são o PFR (Pre Flop Raiser). e a razão para isso é que se eles dão C-Bet em muitos dos seus “Air” eles também tem que dar C-Bet em suas mãos monstro. Então, sempre que eles dão check você pode ter certeza de que eles simplesmente vão desistir. É por isso que contra jogadores que você pensa que vão explorar essa fraqueza e tentar levar o pote sempre que você der check, você deve ter um range para dar C-Call ou C-Raise. Contudo, esta linha deve ser usada bem menos freqüente do que as outras duas. Alguns pontos para se pensar:

– Para ser capaz de dar C-Bets com tanta freqüência quanto deveria, você não pode jogar suas mãos monstro nesta linha com muita freqüência. Isso enfraqueceria muito seu range de C-Bet.

– Esta linha funciona bem contra vilões agressivos, que você espera que disparem múltiplas barreiras uma vez que você dê check. Se é este o caso, esta linha pode ser mostrar mais lucrativa do que a C-Bet padrão.

– Algumas vezes pode fazer sentido dar Check-Call para manter sua equidade no pote. Vamos dizer que você abra em MP com JTs e um vilão bom e agressivo da call em LP. O flop vem J87r. Este é um flop em que um vilão agressivo vai dar raise em sua C-Bet muito frequentemente e contra alguns oponentes muito agressivos a linha bet/3bet pode ser melhor. Porém se você não se sente confortável para dar 3-bet aqui eu preferiria dar C-C no flop ao invés de dar C-bet e dar fold para um raise ou call no raise e levar um bluff no turn. Eu penso que estes pares + draws fracos são as mãos que eu normalmente uso para afinar meu range de Check-Call.

– De vez em quando faz sentido dar C-C no flop, C-Raise (se possível C-S) no turn com um monstro ou um bom draw contra um jogador agressivo na sua esquerda, só para mandar uma mensagem pra ele e evitar que ele aposte toda vez que você der check no flop.

– Você pode também dar Check-Raise no flop ao invés de C-C, mas isso não é algo que eu faça muito quando eu fui o pre flop raiser.

A linha C-Bet no flop e C-Raise no turn

Esta é uma linha que eu realmente gosto e que você deveria usar como um semi-bluff e também por valor. Eu gosto de fazer isso contra jogadores que gostam de dar float, pois assim eu extraio valor de seus bluffs e isso também evita que eles disparem barreiras toda vez que eu dou check no turn. A freqüência com que você deve fazer isso depende da freqüência que o vilão costuma dar float, mas contra alguns vilões, fazer isso com qualquer Flush Draw ou OESD (Open ended straight draw) deve funcionar. Contra outros, eu preciso de algo como um combo draw.

Isso tudo depende do quão freqüente você acha que eles estão dando float em você e de como eles vão reagir ao C-R. Portanto, para que esta jogada funcione você tem que ter certeza de que o vilão está dando muitos floats e vai apostar a maioria dos floats no turn.

Exemplo 1:

PokerStars No-Limit Hold’em, $2.00 BB (6 handed) – Poker-Stars Converter Tool from FlopTurnRiver.com

Button ($282)
SB ($236.75)
Hero (BB) ($200)
UTG ($200)
MP ($200)
CO ($391.85)

Preflop: Hero is BB with Kd, Ad
2 folds, CO bets $6, 2 folds, Hero raises to $22, CO calls $16

Flop: ($45) 5s, 10d, 6d (2 players)
Hero bets $27, CO calls $27

Turn: ($99) 4h (2 players)
Hero checks, CO bets $45, Hero raises to $151 (All-In), 1 fold

Total pot: $189 | Rake: $3

Este foi um pote 3-Bet, então os stacks estavam perfeitos para isso. A menos que o vilão seja muito NIT (NT: QUEBRA O NIT!), eu esperaria ele dar um float com Ás (Ace High) ou algum par médio com bastante freqüência (se essas cartas estão no range PF dele).

Então, se eu imaginar que ele vai apostar no turn com muita freqüência, eu prefiro C-R ao invés da B-C por duas razões: Eu sou o último a apostar, então eu tenho um pouco de equidade no fold junto com a equidade do pote, que é grande, e eu também maximizo o valor contra os bluffs dele deixando ele colocar uma aposta no pote antes de fazê-lo foldar.

 

A linha C-Bet no flop, C-F no turn:

Tenho certeza de que todos vocês conhecem essa linha. Tudo que eu queria dizer aqui é que algumas vezes é melhor desistir quando sua C-Bet é paga. Você deve ter um range para dar C-Bet no flop e então Check-Fold no turn e disparar múltiplas barreiras o tempo todo vai ser uma receita de desastre para a maioria dos jogadores, especialmente nos micro stakes. É importante reconhecer bons spots para double barrel ou Check-Raise no turn, mas em uma boa parte do tempo, simplesmente desistir vai ser a melhor jogada.

Ajustes em um pote multiway

Eu não quero entrar em detalhes aqui, mas em geral você deve dar mais créditos para os vilões quando eles mostram agressividade e você também deve blefar menos, porque as vezes é bem provável que você vai ser pago. E você também precisa de uma mão forte do que você precisaria em Heads-Up para jogar pelos stacks. Isto também se aplica para quando você é o pre flop caller. (quando você é o que paga as apostas pre flop).

Jogando OOP como o Preflop Caller

Bem, agora vamos assumir que você está dando call em um raise estando nos blinds. Duas coisas básicas a se considerar: Seu range, em geral, deve ser bem tight já que você vai ter a desvantagem da posição. O quão tight deve ser depende do vilão e da posição/range do vilão.

A “Donk Bet”

Uma donk bet é uma aposta feita por um jogador que está agindo antes de o PFR ter a chance de agir. Isso também é aberto à discussão, mas na minha opinião normalmente não é uma boa jogada especialmente em um pote heads-up. A razão para isso é que você tendo um monstro, uma mão marginal ou um completo Air você lucra mais do vilão com ele colocando dinheiro no pote com um range mais fraco. É quase sempre o caso quando você da call em um raise em LP (e algumas vezes em MP também). Quando você faz uma donk bet, você afasta do vilão PFR a possibilidade da C-Bet, e o range dele para colocar mais dinheiro no pote (dando call ou raise na sua donk bet) vai ser mais forte do que o range de C-Bet dele seria. E isso não é algo que você queira quando está blefando ou tem uma mão marginal. E só fazer donk bets com monstros é muito visível. Existem alguns spots contudo em que eu acho que uma donk bet seja uma boa idéia:

– É um pote multiway e você acredita que o flop vai rodar em check. Então com um bom draw ou um monstro, pode ser uma boa fazer uma donk bet.

– Você acredita que fazer uma donk bet vai maximizar sua equidade de fold se você estiver blefando ou de valor se você tiver um monstro. Eu dificilmente faço isso, mas eu posso imaginar que você vai conseguir evitar alguns bluff raises ou calls menores se você tiver uma boa imagem. Contudo, um Check-Raise normalmente vai fazer o mesmo trabalho.

– Se você está em heads-up e você tem certeza que o vilão vai dar check no flop, você pode querer tomar a iniciativa da aposta para tirá-lo do pote com suas 2 overcards (cartas mais altas que as que viraram no flop, porém não pareadas). Por exemplo se você da call em um raise do CO e o flop vem 653, pode ser um spot decente para tomar a iniciativa da aposta e fazer uma donk bet com todo o seu range para evitar que o CO veja uma carta grátis com as suas duas overcards não pareadas.

Eu penso que todos esses spots sejam apenas vantagens marginais e normalmente não são suficientes para fazer uma donk bet ser melhor do que Check-Call ou Check-Raise.

Exemplo 2:

PokerStars No-Limit Hold’em, $2.00 BB (6 handed) – Poker-Stars Converter Tool from FlopTurnRiver.com

Button ($434.45)
Hero (SB) ($200)
BB ($29.30)
UTG ($40)
MP ($285.15)
CO ($200)

Preflop: Hero is SB with 7c, 7d
3 folds, Button bets $6, Hero calls $5, BB calls $4

Flop: ($18) 3d, 6s, 4c (3 players)
Hero bets $12, BB calls $12, 1 fold

Turn: ($42) 5h (2 players)
Hero checks, BB bets $11.30 (All-In), Hero calls $11.30

River: ($64.60) 4s (2 players, 1 all-in)

Total pot: $64.60 | Rake: $3

Nesta mão eu estava contra um jogador muito ruim, short stack (poucas fichas) no BB e um NIT/passivo (mais de 200 mãos) no BTN.

Minha equidade contra o fish é excelente e ele é ruim a ponto de dar call com qualquer coisa. Ao mesmo tempo é quase certo que o fish no BTN ia dar check também e eu não queria dar uma carta grátis a 2 jogadores. Então eu tomo a iniciativa e faço uma donk bet esperando call do BB e o fold do BTN na grande maioria das vezes.

O Check-Fold

Novamente tudo depende dos ranges e textura da mesa, mas especialmente jogando OOP você terá que desistir de algumas mesas. Mas você tem que perceber porém que se você está Check-Folding a grande maioria das vezes é porque você está dando muitos calls desnecessários pré-flop. Check-Fold será uma boa jogada em várias situações, contudo você tem que ter certeza que uma parte decente do seu range vai ser ou Check-Call ou Check-Raise. Caso contrário, você estará apenas queimando dinheiro dando calls OOP e desistindo para uma C-Bet o tempo todo.

O Check-Call

É realmente difícil dar explicações gerais sobre quando você deveria estar usando Check-Call. Em geral você usará esta linha com mãos feitas que tenham valor de showdown como TPMK, Par médio, Par baixo ou Ás como carta alta. É extremamente importante contudo, que você tenha leitura do vilão e um plano para o resto da mão. Check-Calling no flop com qualquer coisa apenas para foldar no turn normalmente não é uma boa idéia. Isso não significa que você não deva ter algumas mãos que você decida por dar call uma vez e depois desistir. Mas se você está fazendo isso na grande maioria das vezes você vai perder muito dinheiro. Aqui vai uma mão que eu joguei contra um vilão ligeiramente passivo:

Exemplo 3:

PokerStars No-Limit Hold’em, $2.00 BB (6 handed) – Poker-Stars Converter Tool from FlopTurnRiver.com

CO ($418.50)
Button ($220)
SB ($200)
Hero (BB) ($211)
UTG ($334.85)
MP ($249)

Preflop: Hero is BB with 9s, 8s
3 folds, Button bets $6, 1 fold, Hero calls $4

Flop: ($13) 2s, 9d, 4d (2 players)
Hero checks, Button bets $8, Hero calls $8

Turn: ($29) 10h (2 players)
Hero checks, Button bets $22, Hero folds

Total pot: $29 | Rake: $1.40

A menos que você tenha uma dinâmica muito agressiva em andamento, esta mão é provavelmente muita fraca para Check-Raise por valor no flop então eu escolhi Check-Call. No turn, a decisão depende inteiramente de o que você pensa do vilão nesta mão. Contra muitos jogadores seria melhor ir de Check-Call novamente (se você tiver um plano para o river), mas eu não esperava tivesse um range de bluff muito grande aqui, mesmo que a carta do turn seja uma boa carta para se blefar. Contra alguns vilões você deve incluir alguns monstros/Bons draws no seu range de Check-Call, caso contrário você sempre terá mãos marginais ao dar Check-Call.

Algo que eu realmente não recomendo é dar float OOP com Air para roubar o pote mais tarde. Contra alguns jogadores você pode dar call em um flop Axx com qualquer coisa, e se eles derem check no turn você pode estar quase certo que pode roubar o pote no river. Mas tem tanta coisa que pode dar errado e você precisa de uma leitura bem sólida do vilão para tentar isso na minha opinião.

O Check-Raise

Sempre que você acreditar que sua mão é boa demais para apenas dar Check-Fold (e uma donk bet não é uma opção válida para você na maioria dos spots), então você fará uma opção entre Check-Call e Check-Raise. Em linhas gerais, eu recomendaria dar Check-Call com a maioria das mãos com 1 par, enquanto você pode dar Check-Raise com bons pares, monstros e vários draws. O que eu acho importante neste contexto é que você está pensando em todo o seu range. Vamos dizer que você decidiu por uma razão qualquer que você quer dar Check-Raise em x% de todas as suas mãos. Quais mãos você deveria escolher para isso? Geralmente você terá um range que você aumenta por valor e um range que você usa para blefar (bons draws encontram-se em algum lugar entre esses dois, eu imagino).

Check-Raise por valor é uma opção viável, sempre que você pensar que será pago por muitas mãos piores. O fato de você poder dar Check-Raise com KQ em um flop QT4 bicolor por valor depende do seu oponente e da sua imagem. Algumas vezes, dar somente o call é a linha +ev aqui. O mesmo é válido para os monstros, algumas vezes você pode decidir que dar call é +ev que Check-Raise. A maioria dos jogadores que tem alguma idéia do que estão fazendo tem um entendimento decente sobre quais mãos pertencem ao seu range de valor, mesmo que eles possam supervalorizar algumas mãos e jogar outras de forma muito passiva.

Agora, a outra parte de seu range de Check-Raise vai ser bluffs e semibluffs. E quando eu olho nos posts do fórum de micro stakes é bem óbvio que alguns jogadores não tem uma boa idéia de com quais mãos eles deveriam estar dando Check-Raise. Novamente, sempre existem exceções, mas em geral você deve blefar com mãos que tem a melhor equidade contra o range de call do vilão. Isso é muito importante, pois sempre tem um post de alguém perguntando se o bluff dando Check-Raise com 55 em um flop KT4r ou algo parecido foi um bom C-R. Bem, se você pensa que é +ev blefar um C-R com grande parte do seu range, então vá em frente. Mas se você está jogando contra alguém que não vai se deixar levar com bluffs e você quer/precisa ter uma freqüência “normal” de C-R, então simplesmente não há razão pra incluir 55 neste range.

Vamos assumir que você esteja jogando contra um jogador bem tight e o range de call dele (para simplificar vamos assumir que ele não está 3-betando) em KT4r será JJ-QQ, qualquer Kx, QJ, trincas, AA. Então com o que você blefaria um Check-Raise nele?

Novamente, escolha mãos que tenham a melhor equidade contra o range de call dele, isso significa que você vai querer ter mãos que tenham um gutshot (AQ, AJ, J9, Q9), uma overcard (todos Ax), ou mãos que possam se tornar boas mãos de bluff. Estas seriam mãos com um backdoor flush ou um draw para uma seqüência. Você não quer ter 55 aí, pois 55 tem apenas 2 outs contra uma grande parte do range de call dele.

Eu quero dizer isso mais uma vez, porque se você conseguir aproveitar apenas isso desse artigo eu estou feliz: A menos que você pense que possa lucrativamente dar Check-Raise com quase qualquer coisa contra um certo oponente, escolha as mãos que tem a melhor equidade contra o range de call do vilão e as mãos que possam se tornar um backdoor draw que vão lhe permitir continuar blefando no turn.

Exemplo 4:

PokerStars No-Limit Hold’em, $2.00 BB (6 handed) – Poker-Stars Converter Tool from FlopTurnRiver.com

Hero (BB) ($256.60)
UTG ($239.45)
MP ($428.85)
CO ($272.75)
Button ($236)
SB ($103.65)

Preflop: Hero is BB with Jd, 10d
3 folds, Button bets $5, 1 fold, Hero calls $3

Flop: ($11) 8d, 9s, 8s (2 players)
Hero checks, Button bets $8, Hero raises to $28, 1 fold

Total pot: $27 | Rake: $1.30

Se ele está dando call com um 9 eu tenho cerca de 14 outs, se ele der call com um par alto ou um 8 eu tenho cerca de 8 outs. E também, qualquer carta de ouro no turn me daria um flush draw e isso aumentaria minha equidade quando estiver blefando.

Exemplo 5:

PokerStars No-Limit Hold’em, $2.00 BB (4 handed) – Poker-Stars Converter Tool from FlopTurnRiver.com

Hero (BB) ($313.85)
UTG ($50)
Button ($76)
SB ($200)

Preflop: Hero is BB with Ah, 9h
1 fold, Button bets $4, 1 fold, Hero calls $2

Flop: ($9) 8h, 2s, Js (2 players)
Hero checks, Button bets $5, Hero raises to $20, 1 fold

Total pot: $19 | Rake: $0.90

Eu provavelmente estou blefando com a melhor mão na maioria das vezes aqui e Check-Raise seria uma boa opção contra alguns vilões também. O ponto importante aqui é notar que eu dei Check-Raise com A9hh pois qualquer copas, 10, talvez até um 7 ou uma Q vai aumentar minha equidade e me ajudar se eu quiser continuar blefando. Eu normalmente não daria Check-Raise com A9cc ou A9dd ali.

Pensamentos Aleatórios

Se você está jogando contra um vilão muito agressivo que dispara várias barreiras frequentemente e você flopa um monstro, um bom draw (8 outs ou mais) ou mesmo um par médio que você não queira dar simplesmente call, talvez seja melhor você dar o Check-Raise no turn ao invés de fazê-lo no flop, pois desta maneira o vilão vai colocar mais dinheiro no pote com um range mais fraco antes de você bater o martelo. Mas preste atenção se você está dando muitos Check-Raises no flop pois o vilão pode desconfiar caso você de repente dê um simples call no flop e Check-Raise no turn.

 

Este artigo foi publicado originalmente no fórum norte-americano Two Plus Two e traduzido pelo usuário do MaisEV “kpixaba.”

 

Historiador por formação, conheceu o MaisEV em sua primeira semana de vida, ainda em 2007. Em pouco tempo, tornou-se editor-chefe do site para fazer o que faz de melhor: escrever.

Veja mais:

Salas de Poker