Estudando Sit and Go’s

Por: 02/02/2010

Saiba como estudar sit and go’s utilizando ferramentas como Holdem Manager e Sit and Go Wizard

As principais ferramentas utilizadas foram: HM e SNG Wizard. Tenho certeza que o Poker Tracker 3 tem a maioria – se não todos – os recursos que eu estarei usando a seguir (exceto onde uso minhas ferramentas personalizadas ).

Junto com estes 2 programas principais, eu desenvolvi alguns scripts AHK. Qualquer menção de um script pode ser encontrada na seção de ferramentas do meu blog. Eu não estou aqui para fazer propaganda – Eu os escrevi especificamente para o meu próprio uso conforme as necessidades surgiram, e desde então estão disponíveis publicamente. Todos os scripts são gratuitos (com exceção da versão ‘profissional’ de WizHUD, mas isso é um extra opcional).

Estou dividindo este artigo em duas seções distintas:

  • A revisão diária
  • Aprendizagem sistemática de ICM a partir de mãos reais

Isto pode parecer muito trabalhoso. Mas na prática é muito mais simples do que parece. Normalmente eu iria estudar uma ou duas horas antes de jogar a cada manhã, depois jogar por 5-6 horas. No fim de semana, eu fazia a “revisão sistemática semanal” por algumas horas. Acho que dedicar pelo menos 20% do seu tempo estudando é o mínimo que você deve fazer se quiser melhorar seu jogo. Colocando em prática o seu estudo rigoroso e, usando algumas das técnicas que apresento a seguir, você realizará suas revisões de uma maneira muito mais rápida, e irá fazer melhor uso de seu tempo.

Eu já não jogo mais muitos SNGs. E também não era um ótimo jogador. Acho que no final eu estava jogando os jogos mid-stakes 6-max no PokerStars com resultados satisfatórios, mas eu estava longe de ser o melhor nas mesas. Muitos dos meus problemas vinham de questões de concentração ao jogar várias mesas. Eu nunca fui ótimo em SNGs. Mas o que eu era muito bom, era em ICM. Me dê uma situação, o tamanho dos stacks e “calling ranges” razoáveis, que eu saberia o range correto para ir all-in. Eu poderia dar uma aproximação muito perto de Nash para “shove”, SB e BB na maioria das situações padrão 2-4, e esta informação foi assimilada através de muitas horas de estudo. Eu tenho certeza que muitos frequentadores do fórum podem fazer o mesmo, mas para o jogador novo, a tarefa parece assustadora. Eu li muitos posts dos jogadores, dizendo: “Como exatamente eu deveria lembrar-me disso?”. Espero que este artigo possa lhe ajudar com isso.

A revisão diária

Marcando mãos e torneios

markhand

Para estar preparado para a revisão diária, eu fazia uso extensivo da ferramenta ‘mark hand’ do HM. Eu não marco apenas as mãos que eu sinto que poderia ter jogado de forma incorreta, mas também situações hipotéticas como “Bom, este é um shove fácil com A4o, mas e se minha mão fosse um J4o?”. Eu tenho um bloco de notas perto do laptop para fazer estas notas adicionais. Usando uma hotkey (que é uma das muitas que tenho em meus scripts AHK “HEM Shortcuts”), eu posso marcar a mão que estou jogando no HM.

Algumas vezes eu também “marco” torneios inteiro. Mais uma vez, eu fiz um pequeno script para isso (que não está publicamente disponível no momento -, mas você pode apenas anotar os IDs dos três últimos torneios no seu bloco de notas por agora). Eu faço isso quando há uma seqüência de mãos interessantes, uma grande luta numa situação de bubble com tamanhos de stacks interessantes, ou uma longa série de situações BvB contra um reg.

A revisão da sessão

Eu fazia a revisão no período da manhã, revisando as mãos do dia anterior. Agindo dessa maneira, coloco meu cérebro para trabalhar antes de minha sessão diária de SNGs. Você pode trabalhar melhor a revisão no final do dia, enquanto as mãos ainda estão frescas em sua mente. Mas é importante manter a disciplina no seu método de estudos.

Vou mencionar algo agora que ainda veremos muito: Eu nunca uso o ‘game view’ do SNG Wiz em nenhum momento das minhas revisões. Acho que muitos jogadores fazem suas revisões apenas colocando algumas HHs no wiz, procurando rapidamente pelos “X” vermelhos, e checando algumas mãos. Acho isso um método muito ineficaz, e uma forma potencialmente destrutiva para aprender. Vou falar disso um pouco mais tarde, na parte 2.

A revisão das mãos marcadas

Então, no HM, ajuste o filtro para a data “yesterday”, vá para a aba tourney ‘hands’, apague os filtros e marque a opção ‘only show marked hands’. Clique duas vezes sobre a coluna ‘date’ para classificar em ordem cronológica (mais antigo primeiro). Em seguida, clique com o botão direito e escolha ‘Review all hands in replayer’.

Não tem segredo para o próximo passo: verifique as mãos jogadas e identifique os pontos problemáticos. Este artigo não trata somente sobre “como” melhorar, mas mostrar os métodos que eu uso para fazer minhas revisões, então não vou dizer exatamente o que você deve fazer, – mas vou dar algumas sugestões: se você quer ajuda externa numa determinada mão, faça isso agora enquanto a mão está no replayer e você tem todas as estatísticas. Poste ela no Fórum MaisEV (não use o formato do 2p2 que o HM fornece, pois é pouco legível. Copie o formato “txt” e cole no conversor do MaisEV). Compartilhe essa mão com amigos. Cole essa mão num “IM” para um amigo. Use a “mini-hand history” do HM que fornece sua equidade contra cartas conhecidas em cada street.

Se você tiver uma decisão sobre ICM, mande a mão para o SNG Wiz. Localize essa mão no HM. Se você tiver o WisHUD, clique com o botão do meio do mouse e a mão será mandada para o Wiz. Caso contrário, clique com o direito > copy hand to clipboard e aí no SNG Wiz clique no botão “paste” na barra de ferramentas.

Uma vez que eu acabe de analisar as mãos marcadas, faço o mesmo processo para os torneios selecionados. Se eu não tenho nenhum torneio marcado, posso escolher apenas alguns ao acaso, ou talvez os últimos que joguei. Encontre as mãos em Tourney > Results > Data View, localize o torneio com base no ID# que você escreveu, em seguida, ordene as mãos em ordem cronológica, e com o botão direito reproduza todas as mãos.

Usando todos os meus atalhos no “HEM Shortcuts” para o replayer, posso rever um torneio muito rápido. Eu poderia passar por uma revisão, postar mãos importantes, verificar situações de ICM no Wiz, em 5 minutos.

Filtros diários de mãos

A segunda parte do meu ritual diário é executar filtros específicos nas mãos do dia. Seriam 4 ou 5 filtros salvos no HM para verificar “spots” problemáticos. Frequentemente, eles são checados para que eu tenha certeza que não estou clicando errado ou tendo uma leitura errada do “board” devido ao fato de estar jogando muitas mesas. Por exemplo, uma vez, durante a revisão de um torneio qualquer, eu errei um cbet fácil no flop. Provavelmente, isso aconteceu devido ao meu foco em outra mesa, não prestando atenção na ação. Então eu criei um filtro chamado “missed flop cbet”, e o verifico diariamente. Naturalmente, algumas vezes eu queria realmente dar o check no flop, então tenho alguns erros ou “falsos positivos” no filtro, mas ter esse filtro, e saber que irei checá-lo diariamente, me deu confiança para ignorar esses problemas durante o jogo, porque eu sabia eles apareceriam numa análise posterior.

 Da mesma forma, em vários momentos eu fiz algumas alterações nas minhas decisões padrões de preflop (por exemplo, foldar pequenos PPs UTG em 6max). Devido ao fato de que muitas de minhas jogadas preflop são feitas de maneira automática, num nível sub-consciente, eu estava preocupado que eu não conseguiria aplicar essas alterações. Então, eu criei um filtro chamado “vpipped 22-55 UTG/HJ with >20BB eff stack 4 players+”. O sistema de filtros do HEM é muito poderoso uma vez que você pegue o jeito. Muitos cenários podem ser modelados e guardados como filtros para serem executados diariamente.

filterexample

Aprendendo ICM de forma sistemática através de mãos reais

O problema de usar o SNG Wizard para revisões

Como eu mencionei anteriormente, eu nunca uso ‘game view’ do wiz ao rever meus jogos ou mesmo quando estou estudando ICM. Acho que há dois problemas inerentes com os processos “examine o game view e procure as marcações, ou examine as mãos’.

Primeiro, que as marcações não são precisas o suficiente para que você as use como um guia de que mão revisar. Há muitos “X’s” que estão obviamente corretos e, muito pior, muitos indicativos de shoves que estão claramente errados. Existem algumas situações específicas (como quando há um shorty all in) onde os ranges são tão vastos que as indicações ficam sem sentido. Esta não é nenhuma crítica ao SNG Wizard, é apenas a natureza do jogo.

Mas, mais importante, este método é muito ineficaz na memorização das informações a fim de aprender ICM e fazer a jogada certa na mesa. Clicando mão após mão, olhando constante a mudança na dinâmica, tamanho dos stacks e n º de jogadores, não adianta tentar aprender um determinado spot. Primeiro, você vê uma mão onde você empurrou muito loose no cut-off. O Wiz dizia que você deveria fazer isso somente com as top 40%. Então você vê uma mão onde você foldou mas você deveria ter pago o big blind. Qualquer Ás, Broadway ou par, diz o wiz. Como você vai conseguir se lembrar disso uma próxima vez?

Não é realmente relevante se você jogou a mão corretamente ou não. Tapinhas nas nossas costas pelo fato de termos conseguido um monte de indicações verdes, ou castigar-nos por obter muitos “X ” vermelhos pouco importa para promover nossa compreensão real do jogo. O importante é que nós podemos aprender alguma coisa com essa mão que aprimore nosso conhecimento sobre o jogo, para que possamos tomar uma decisão melhor, na próxima vez que a situação ocorrer.

Uma abordagem sistemática com os filtros do HM

Usando o poder de filtragem do HM, e alguns extras que construí no wizhud, podemos transformar o nosso processo de revisão de olhar para as mãos unidimensionalmente, de maneira linear (percorrendo as mãos de um torneio), para um processo dinâmico e metódico, usando nossas mãos reais.

Cada semana, eu pegaria uma situação ICM e criaria um filtro específico através do HM. Por exemplo, eu sinto que estou cometendo alguns erros no botão com 8-12 big blinds restando 4 a 5 jogadores.

icmfilter

Muitos filtros complexos podem ser criados. Você pode olhar situações de 3bet com deep stacks, formadas por limpers, etc. Usando o stack efetivo, você também pode, em algumas situações controlar o tamanho do stack do adversário dentro de certos limites (isto funciona apenas em situações blind vs blind). Eu, então, defini o filtro de data (todas as mãos da semana ou, se é um filtro muito específico, eu posso olhar todas as mãos do mês ou até mais) e buscamos a nossa lista de mãos semelhantes.

icmfilterresults

Usando o recurso “ctrl + clique no botão do meio” no wizhud, posso então enviar todas essas HHs em um lote direto para o SNG Wizard. O resultado é que agora temos um “pseudo torneio” no ‘game view’ do Wiz, apenas mostrando todas as mãos em um contexto específico.

Os benefícios desta prática são óbvios. Agora podemos facilmente ver como estamos jogando nesta situação, se há erros comuns (talvez o excesso de valorização mãos tipo Ax, geralmente shovando com um range muito aberto, superestimando nossa fold equity, etc.) Ao ver uma situação específica, estamos reduzindo o número de variáveis (a nossa posição, o nosso stack, o nível de blinds, etc) e limitando-nos a algumas variáveis incontroláveis (as mãos dos oponentes, os stacks dos oponentes, etc.)

resultssngw

A falta de contexto

Um problema com este método é que ele não tem o contexto da situação. Ao estudar as mãos de forma linear, você vê como o SNG progride, constrói reads sobre os jogadores, etc.

Este foi um dos motivos que criei WizHUD – ele permite que você obtenha algum tipo de leitura ao rever as mãos com estatísticas diversas. Na versão Pro, você também pode adicionar roubo de blinds, seus notes do HM e adicionar ícones.

 Mas ao fazer esta abordagem contextual, o objetivo principal não é para ver o quão bem você jogou contra um adversário específico, num dado momento; nós usamos essa abordagem para termos um conjunto de mãos, em contextos similares, e ver como as mudanças de variáveis afetam nossos ranges de push/fold/call. Uma dessas variáveis é a leitura sobre o adversário. Não tão útil para chegar a conclusões do tipo: “Bem, isto foi shove ruim porque esse cara da call muito loose.” Muito mais útil é a notar exatamente como nosso range de shove muda contra um jogador desse tipo, para que uma próxima vez, possamos tomar a decisão certa contra todos os tipos de jogadores.

wizhud

Notas

  • Tenha um processo regular diário para rever suas mãos. Marque mãos e torneios conforme você for jogando, e reveja-os primeiro, usando o replayer do HEM, apenas usando o SNGW quando necessário. Em seguida, aplique filtros específicos diários para rever certas áreas problemáticas em seu jogo.
  • Ao tentar aprender ICM, use filtros no HM para criar cenários específicos, em seguida, envie este lote de mãos para o SNGW. Com as mãos divididas em grupos, é mais fácil para tentar assimilar as situações específicas de ICM. Você pode fazer este exercício como parte de uma revisão regular, aplicando um conjunto de 2 a 4 filtros por semana para analisar e aprender, ou também, quando você tiver tempo para estudar.

O quê está por vir

Há duas áreas principais que eu ainda não mencionei, mas irei abordá-las no futuro. Uma delas é sobre como utilizar as várias funcionalidades do SNG Wizard para interrogar os cenários e auxiliar no aprendizado da estratégia correta de push-fold, incluindo o uso de gráficos, jogando com ranges, e o Nash equililbirum.

Também quero mostrar um método que criei para a construção de ranges reais usando uma base de dados empíricos (suas próprias mãos) no HM.

Portanto, fique atento.

Este artigo foi escrito por Nicholas Jones, do blog www.sickread.com e traduzido pelo usuário do MaisEV “Turon”.

Historiador por formação, conheceu o MaisEV em sua primeira semana de vida, ainda em 2007. Em pouco tempo, tornou-se editor-chefe do site para fazer o que faz de melhor: escrever.

Veja mais:

*Sorry, no posts matched your criteria.*

Salas de Poker