Como Fazer Table Selection de Maneira Eficiente

Por: 09/12/2008

Antes de mais nada é preciso entender a diferença entre esses 2 conceitos. Ser eficaz significa atingir o objetivo, no nosso caso, selecionar boas mesas para jogarmos, ao passo que ser eficiente significa alcançar este mesmo objetivo, porém da melhor forma, com os melhores resultados e no menor tempo possível.

Quando eu falo em fazer uma table selection eficiente, não estou me referindo a escolher as melhores condições para sentar a mesa, como posição sobre os donkeys e stacks efetivos, uma vez que já existem bons artigos sobre isso, e acredito que vocês já dominem esta estratégia, do contrário vale a pena dar uma lida no artigo Table Selection, Datamining e Como Identificar os Donkeys do Diógenes Malaquias:

O que eu quero enfatizar nesse artigo é a parte de como localizar as mesas com mais donkeys, da forma mais rápida e eficiente possível, utilizando o software SpadeEye.

Alguns jogadores, fazem um “scan” na mesas e em seguida, olham mesa por mesa, procurando as mesas onde estão os donkeys. Essa técnica sem dúvida não é a mais eficiente. Além de despender muito tempo para fazer essa análise mesa a mesa, é bem provável que o jogador de join nas primeiras mesas que ele “acredita” serem as melhores e deixe passar outras mesas que podem estar bem mais “atrativas” naquele momento. Dificilmente o jogador conseguirá analisar 70 mesas, uma a uma, num espaço de tempo razoável, para poder decidir qual a melhor mesa a jogar.

Alguns, fazem o Scan e organizam a terceira janela do SpadeEye (players), por ordem de VPIP. Novamente não obterão uma table selection excelente, uma vez que um dos critérios a ser observado na seleção de mesas, é a quantidade de donkey/mesa. É muito mais lucrativo jogar em uma mesa com 3 donkeys 30/7/1, do que em outra com um Huge donkey 70/5 e mais 4 regulares para reparti-lo como você.

Outros, utilizam o botão “Filter”, para restringir os donkeys baseados em um VPIP/PFR mínimo/máximo. Ex : VPIP > 35 e PFR < 10. Mas o que acontece se houver um donkey deep runnando 34/3 ? E outro 45/11 ? Eles fatalmente não aparecerão na sua pesquisa.

Abaixo, explanarei como eu faço essa procura por donkeys, utilizando o recurso “scoring” do software spadeeye.

O primeiro passo é definir o tipo de jogador que vocês desejam localizar nas mesas, no meu caso, são eles :

– Jogadores com VPIP entre 19 e 25 e PFR entre 0 e 11 ;

– Jogadores com VPIP entre 26 e 29 e PFR entre 0 e 13 ;

– Jogadores com VPIP entre 30 e 35 e PFR entre 0 e 16 ;

– Jogadores com VPIP entre 36 e 39 e PFR entre 0 e 20 ;

– Jogadores com VPIP acima de 40 ;

– Todos jogadores acima com mínimo de 30 hands e stack maior que 50bb.

Feito isso, vamos configurar o recurso “scoring” do software spadeeye, para que ele atribua pontuação para cada donkey que encontrar, enquadrado no critério que definimos.

No SpadeEye, vá na opção Main -> Option -> Scoring, e crie as regras (rules), atribuindo 10 pontos para cada uma delas.

Ao criar as regras, certifique-se a opção “Type”, esteja setada como “Shorthanded” para os que jogam 6-max.

Notem que para os jogadores com VPIP acima 40, eu criei 2 regras, sendo uma delas para definir os “Huge Donkeys”, definidos como VPIP > 40 e PFR < 12, estes serão os únicos que receberão pontuação “11” no scoring.

Os VPIP > 40 e PFR > 12, completam outra regra, porém recebendo a pontuação padrão de 10 pontos.

A partir daí já estamos aptos a fazer o “scan” e analisar os resultados da primeira janela do spadeeye (tables), onde a coluna “score” ao lado de cada mesa, nos indicará quais as mesas com mais donkeys, para que possamos dar “join waiting list”.

– As mesas com 20 pontos, indicam que temos 2 donkeys.
– As mesas com 21 pontos, indicam que temos 1 donkey e 1 Huge donkey.
– As mesas com 22 pontos, indicam que temos 2 huge donkeys
– As mesas com 32 pontos, indicam que temos 2 huge donkyes e 1 donkey.
– As mesas com 40 pontos, indicam que temos 4 donkeys.

A idéia é dar “join” na fila de espera das mesas com mais donkeys e assim que forem abrindo as vagas, utilizaremos nosso conhecimento de posição, stack, etc., para decidirmos se vale a pena sentarmos ou não.

Considerações Finais:

– O range utilizado para definir os donkeys, pode e deve ser modificado para se ajustar a preferência de cada jogador e ao limite que ele joga.

– Quanto maior o limite a ser jogado, menor a quantidade de donkeys. Portanto, se você joga small stakes e o field do site que você joga contem uma quantidade enorme de donkeys, é recomendável estreitar o range de definição dos donkeys nas suas regras.

– Créditos ao jogador Perna do MaisEV, que me ajudou nas idéias para a realização dessa técnica de table selection.

É isso, espero que possa ajudar em suas próximas table selections.

Abraço

Aldo “DragonRib” Monteiro Jr.

Se você tiver dúvidas sobre os termos utilizados neste artigo, veja nosso dicionário de termos de poker.


Veja mais:

Salas de Poker