Coisas que Levei um Tempo para Aprender – Parte II

Por: 09/09/2008

 

Parte 3 – Aonde você quer chegar?

Este post vai parecer um pouco repetitivo de algumas coisas que Gobbo falou em seu tópico ‘Stop saying you’re betting for information!’, mas também vou bater em alguns conceitos sobre os quais ele não falou.

Eu costumava postar muitas mãos em que a resposta básica das pessoas basicamente seria “O que você está tentando fazer aqui?”. O erro comum que estava cometendo em meu jogo pós-flop era que eu não estava pensando através das minhas decisões e entendendo minha motivação para minhas ações.

Aqui está o conceito básico: toda vez que você faz uma ação em uma mão de poker (fora foldar) você precisa saber onde você está tentando chegar ao ter aquela ação. Por exemplo, uma jogada que você vê as pessoas fazendo o tempo todo é o raise no flop, então, quando recebem reraise pensam eternamente porque não sabem o que fazer. Se você vai dar raise em uma situação como esta, precisa saber se você o está fazendo como:

A. um blefe puro
B. um semi blefe
C. um value raise que espera ser reraised
D. um value raise que vai foldar para um reraise.

Na maior parte do tempo, se você está dando value raise deve ser esperado que seja reraised, mas existem situações, especialmente no river, onde raise por value, mas foldar para reraise é a jogada mais apropriada.

Se você faz uma aposta e então percebe que não faz idéia se quer que o vilão dê call ou fold, você se ferrou porque sua aposta não tem um propósito claro.

Você precisa ter um plano para cada ação. É normal fazer uma jogada e depois seu oponente reagir de uma forma que você não antecipou e pensar sobre sua decisão, mas, porque tanto do poker de torneios está no short stack, várias de suas decisões, especialmente pré-flop, devem ser bem diretas. Quando você dá raise no small blind vs um jogador no BB que tem 15 BB’s, você não deve ter uma decisão difícil quando ele der shove. Você deve ser capaz de antecipar que um jogador com este stack vai dar shove com frequência, e você deve agir de acordo com o call em um range apropriado.

O bet/raise por informação é, raramente, uma opção viável porque a aposta deve cair na categoria do blefe ou do value bet. Existem outras formas de se discernir a informação dada a você em uma mão que vomitar fichas simplesmente por aquele propósito. Eu vou me aprofundar mais sobre isso com o próximo segmento sobre leitura de mãos.Se você quer praticar este conceito da forma fácil, jogue apenas 2 mesas por alguns dias para que você tenha tempo de tomar sua decisão. Então, toda vez que tiver uma decisão que não é incrivelmente óbvia, pare e pergunte a si mesmo “Onde quero chegar com
esta mão?” Soa como uma sugestão esfarrapada, mas eu prometo que ajudará a pensar sobre o que você está fazendo.

Parte 4 – Gerenciando seu Bankroll

Se houvesse apenas uma coisa que eu pudesse ensinar ou colocar na cabeça de outro jogador de poker seria quão importante é o gerenciamento do bankroll. Existem vários jogadores de poker talentosos que são extremamente capazes nos jogos que jogam, mas devido ao pobre gerenciamento do bankroll, permanecem emperrados por anos.

O que parece ser a regra padrão para o gerenciamento do bankroll para MTT como se segue: sempre ter pelo menos 100 vezes seu buy in médio. Eu digo buy in médio porque isto permite que o jogador ‘dê tiros”.

O máximo do seu bankroll que deve colocar em um evento, normalmente depende de sua preferência, mas eu pessoalmente (e hoje em dia sou um grande nit quanto ao BR) não consigo imaginar botar muito mais que 5% do meu BR em um evento.

O maior problema em jogar fora do seu bankroll é que para a maioria dos jogadores tende a forçar um envolvimento emocional. Construir um bankroll e então arruiná-lo devido à ingerência é perturbador para quase todo mundo, e frequentemente resulta em ir ainda mais alto e mais rápido.

Eu encorajo as pessoas a não tentarem o move up muito rápido, e quando o fizerem, terem moderação. Criar um BR tão grande que os stakes que você joga tornem quase impossível de quebrá-lo, mas que te dê liberdade para dar tiros de vez em quando é o ideal.

Parte 5 – 3 betting / 4 betting

É difícil achar um bom equilíbrio entre reraise pré-flop demais e o insuficiente. Por muito tempo eu estava dando 3-bet sem parar, apenas para tornar difícil a vida das pessoas e para propósitos de imagem. Nos últimos meses, através de muita revisão eu sinto como se tivesse diminuído um pouco e achado um bom equilíbrio.

Eu meio que divido 3 betting / 4 betting em duas categorias, por value e como um blefe resteal. A maior parte deste artigo vai focar em 3 betting, visto que é mais comum que 4 betting. É possível que você passe meses sem dar 4-bet pré-flop como um blefe e isso não será um leak significante, especialmente em limites mais baixos. Então vamos nos aprofundar em 3 betting primeiro:

O primeiro fator importante relacionado a 3 betting é o tamanho do stack. Se você tem menos que 27 BB’s eu diria que qualquer 3-bet deve ser all in. Existe, entretanto, uma exceção para jogadores que levam all-ins muito sério, mas irão tolamente dar call em vários stacks efetivos para um reraise nominal. (No entanto, há exceções de jogadores que irão tratar um all-in muito seriamente, mas irão dar muitos calls tolos em raises).

Nestas situações, se o button dá raise 3X e você está com uma grande mão no BB, você deve dar reraise 9X e então shove ou check/shove a maioria dos flops, dependendo de quão bons eles são para você. Se você pôs esta quantidade do seu stack no pré-flop, você nunca deve dar check/fold no flop.

Esta jogada é conhecida basicamente como o go and go. A execução mais normal do 3 bet go and go ocorre com cerca de 28-36 BB’s. A idéia básica é esta: simplesmente dar shove no pré-flop tende a ser um pouco uma over bet. Entretanto sua mão é muito boa para um flat call. Então você dá reraise de uma quantidade que fará com que seu shove no flop (ou ocasionalmente um check/shove) seja muito natural.

Exemplo: Seu stack: 35 BB’s. Stack do CO: 40 BB’s. Você tem AsQs no BB.
Pré-flop: folda até o CO, CO aumenta para 3 BB’s.

Ok, o erro que alguns jogadores cometem aqui é um reraise pequeno. Com 28 BB’s, botar 9 BB’s seria normal, mas em uma situação como esta você precisa inflar o pot, então eu recomendo que aumente cerca de 11 BB’s. Considerando que existem antes, se o CO escolhe o call haverá 24 BB’s na mesa e você terá 24 BB’s sobrando em seu stack. Na grande maioria dos flops você precisa abrir com shove. AS ÚNICAS VEZES QUE DEVE DAR CHECK É QUANDO BATE UM FLOP MUITO PERIGOSO. Se bate Ad7s2s (ou algo parecido), deve dar check/shove neste flop.

O próximo fator importante quanto ao tamanho do 3-bet é tentar não manter seu tamanho consistente. A coisa mais óbvia que você vê as pessoas fazendo é 3-bet mínimo ou pequeno com suas mãos gigantes, para não perder o raiser original. VS vilões que não pensam e apenas vêem um bom preço e clicam no botão do call isto é ok, mas VS qualquer pessoa capaz de pensar sobre uma mão isto é muito ruim, visto que está dando dicas sobre a sua força. Você vê esse tipo de coisa com muita freqüência,
mesmo nos níveis mais altos e dos bons jogadores, e toda vez que vejo um bom jogador tentando um pequeno reraise em outro bom jogador com AA/KK eu simplesmente rio de quão tolamente transparente eles são. O fator de definição do tamanho do seu reraise deve ser stacks efetivos, NÃO a força da mão, na maioria dos casos.

Agora vamos falar sobre 3 betting como um resteal. Fazer isso de forma apropriada requer um entendimento dos fatores metagame. Você tem dado muito 3-bet recentemente? Seus 3-bets têm sido mostrados como mãos muito fortes? Você está perto da bolha? Quais suas posições? O vilão está abrindo muitos pots? Você está em uma situação de bolha com a qual o vilão se importa? O vilão está prestando alguma atenção à mesa?

Existem dois tipos de resteal, resteal com all in e resteal com fichas no stack, pretendendo foldar para um all in. Vamos falar da execução correta de ambos:

All in: o stack apropriado para isso é de cerca de 13-21 BB’s. Menos de 13 BB’s você não terá qualquer fold equity, e se você dá shove com 22 BB’s ou mais com um underpair, tende a ser um pouco de spew. A maioria dos reraises all in devem ser sobre o raise de um HJ, CO, button ou SB. A maioria das pessoas não são loose o suficiente em posições anteriores a estas para se conseguir folds suficientes, no entanto os jogadores vão continuar onde você pode lucrativamente executar isto. Eu prefiro fazer
isto com mãos que têm alguma equidade quando recebem call, suited aces, suited connectors/one/two gapers, duas figuras baixas. Porém, algumas vezes você terá uma situação em que o resteal all in com quaisquer cartas é +EV (especialmente perto da bolha), então, se você reconhecer esta situação não tenha medo de explorá-la com qualquer coisa que tenha.

Com fichas no stack: claro que começamos com os tamanhos dos stacks. Porque eu odeio colocar 30%+ do meu stack no pré-flop e foldar no pós, eu não faço isto a menos que os stacks efetivos sejam 35 BB’s ou mais. Vez ou outra você verá uma rara situação em que pode fazer isso com 30 BB’s ou pouco mais, mas não é muito freqüente. Existe uma grande diferença entre fazer isto com e sem posição. Eu tendo a ir 2-3 BB’s a mais quando OOP, para tentar prevenir que tenha que jogar um pote grande OOP com uma mão fraca.

Exemplo: stacks efetivos 40 BB’s. eu tenho 57s numa situação que penso que seja muito boa para resteal.

A. O CO é o raiser, sou o button. CO dá raise 3 BB’s, eu tendo a aumentar para 8,5-9,5 BB’s aqui. Se o vilão dá call e eu flopo um grande draw eu tento entrar se ele dá bet ou check. Se flopo um draw fraco e ele dá check eu tendo a dar check behind. Se flopo um par e ele aposta eu provavelmente dou fold, se eu flopo um par e ele dá check minha decisão vai depender da textura do bordo e do vilão.

B. O CO é o raiser, sou o BB. CO dá raise 3 BB’s. Eu tendo a aumentar para 10,5-11,5 BB’s aqui. Se o vilão dá call e flopo um grande draw eu provavelmente aposto o pot inteiro para que ele saiba que não tem FE. Se flopo um par tomo uma decisão baseada na textura do bordo e no calling range esperado do vilão. Qualquer outra coisa eu provavelmente dou check com a intenção de foldar para a maioria das apostas.

Ok, agora vamos falar sobre 4 betting. Obviamente todos sabem como dar 4-bet all in com uma mão forte depois que alguém dá 3-bet. Então vamos falar sobre como dar 4-bet com um range largo esperando receber um fold do vilão. Primeiro de tudo, esta é uma jogada muito rara de se usar, e é extremamente dependente do metagame.

Acho que os stacks mais efetivos para isto estão em torno de 37-43 BB’s. Mesmo com os stacks mais efetivos depende do vilão, como alguns vilões vão dar 3-bet com stacks efetivos de 32 BB’s com a intenção de foldar para um shove. Nesta situação, conhecer o vilão é tudo. Em stakes baixos existem muito poucos jogadores com frequência de resteal alta, então se você tenta esta jogada você está basicamente tentando blefar para alguém que te deu 3-bet com TT/AQ e agora não sabe o que fazer porque não pensou adiante. É uma coisa tão rara de se fazer que mesmo com meu volume eu
provavelmente só a uso 1-3 vezes por semana. Entretanto, se você achar um vilão que parece estar dando muitas 3-bets em você, ou frequentemente vários vilões, e você dá raise numa mão e ele novamente dá 3-bet em você (isso fica um pouco mais fácil se ele tem um tell do tamanho das apostas, como aumentar menos para resteal, etc.), vez ou outra você deve tomar o controle de volta com um 4-bet all in.

Este foi mais um trecho do artigo “Coisas que Levei um Tempo para Aprender” de Bond18 traduzido por “Robinho” com a colaboração de Pedro Ynoue. Mais uma vez agradecemos aos dois pela colaboração. Faça o download do artigo completo em pdf para continuar a leitura. Clique aqui para comentar este artigo no fórum.

Se você tiver dúvidas sobre os termos utilizados neste artigo, veja nosso dicionário de termos de poker.


Veja mais: